Displaying items by tag: Guerra no Céu

7 Houve então uma guerra no céu. Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão, e o dragão e os seus anjos revidaram.

8 Mas estes não foram suficientemente fortes, e assim perderam o seu lugar no céu.

9 O grande dragão foi lançado fora. Ele é a antiga serpente chamada diabo ou Satanás, que engana o mundo todo. Ele e os seus anjos foram lançados à terra.
(NVI)

 

PARTE 2

 

*** Houve guerra no céu ***: Baseado em Apocalipse 12:7-9, podemos entender que quando o filho da mulher foi levado para o céu, o dragão e os seus anjos o seguiram até a corte celestial. O dragão não queria deixar que Jesus tomasse para Si o domínio terrestre sem sofrer resistência alguma.

A Bíblia nos diz que, quando Jesus chegou no céu, ele se assentou no trono com o Pai (Apocalipse 5:7; Apocalipse 3:21), e os membros do coro celestial "cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue nos compraste para Deus de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; e para o nosso Deus nos fizeste reis e sacerdotes; e reinaremos sobre a terra. E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono, e dos animais, e dos anciãos; e era o número deles milhões de milhões, e milhares de milhares, que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças". (Apocalipse 5:9-12). Note que eles estavam comemorando a vitória de Jesus. Podemos ver que essa vitória também significou o governo sobre a Terra em Apocalipse 5:10,12.

Em seguida, houve guerra no céu mais uma vez. Na primeira vez, ela terminou com Lúcifer e seus anjos sendo lançados para a Terra, onde ele efetuou seu primeiro ataque contra a humanidade (veja o estudo #81). Em sua mente, ainda havia uma chance de que seus planos de dominação universal dessem certo. Desta vez, porém, os "milhões de milhões, e milhares de milhares" de seres exaltando a conquista de Cristo estavam imunes às mentiras do dragão e estavam prontos para defender a Verdade. Eles tinham acabado de presenciar o sacrifício de Jesus na cruz. Sua morte revelou não somente o caráter amoroso de Deus, mas também o caráter destrutivo do inimigo. Os falsos argumentos de Satanás haviam sido expostos.

*** Miguel e seus anjos lutam contra o dragão e os seus anjos ***: Esta guerra é uma guerra espiritual. Apocalipse 12:11 descreve as armas que permitem que as pessoas vençam o inimigo de Deus: "o sangue do Cordeiro", e "a palavra do Seu testemunho". Note que esta luta acontece não somente entre Miguel e Satanás, mas também entre os anjos de ambos os lados. Os anjos que acreditam e seguem Satanás lutaram contra os anjos que acreditam e seguem Aquele que é semelhante a Deus, Miguel. O motivo dessa guerra foi a adoração: em quem eles preferiam acreditar. É o mesmo tipo de batalha que vimos entre a serpente e Eva, e entre Satanás e Jesus no deserto (Mateus 4:1-11). Satanás desafiou a verdade. A maneira de nos defendermos é usar a Palavra de Deus, assim como Jesus fez. Por três vezes Ele revidou os ataques malignos com a expressão "está escrito” (Mateus 4: 4,7,10). O fato de que os seres celestiais estavam todos adorando a Deus tão intensamente quando Cristo subiu ao trono (eles estavam adorando em alta voz - Apocalipse 5 :12), deixou claro que as mentiras de Satanás não enganariam ninguém no Céu e Satanás e seus anjos "não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus." (Apocalipse 12:8).

*** Satanás e seus anjos são lançados para fora ***: Apocalipse 12:9 identifica o dragão de diferentes maneiras: serpente, Diabo e Satanás. 'serpente' é uma referência à primeira batalha travada na Terra quando Eva decidiu acreditar nas mentiras contra Deus (Gênesis 3:1-6). 'Diabo' significa caluniador. 'Satanás' significa adversário. Quando Lúcifer enganou um terço dos os anjos através de suas falsas acusações contra Deus, ele se tornou o inimigo de Deus e foi expulso do Céu pela primeira vez (Isaías 14:12; Lucas 10:18). O tipo de atividade que o dragão está envolvido fica claramente definido no verso: ele "engana o mundo todo” (Apocalipse 12:9). Satanás é a mente por trás de todas as ações fraudulentas de seus agentes (Apocalipse 13:11-17; Apocalipse 18:2-3; Apocalipse 19:20; Apocalipse 20:10).

Satanás perdeu o domínio sobre a terra, e o poder foi transferido para Jesus (veja o estudo #81). Lembra do que o coro celestial estava cantando quando Jesus se assentou no trono? Estavam cantando: "e reinaremos sobre a terra" e "Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças" (Apocalipse 05:10, 12).

Como podemos ter certeza de que a expulsão de Satanás mencionada em Apocalipse 12:9 acontece depois da ascensão de Cristo ao trono de Deus? A resposta vem na canção que o coro celestial começou a cantar depois que Satanás foi lançado para fora. Vemos essa canção em Apocalipse 12:10-12. As frases-chave nesse trecho são: "Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo", e que as pessoas superaram o dragão "pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho". O sangue do Cordeiro está claramente se referindo à morte de Cristo. Seus seguidores são capazes de superar a serpente porque o Messias ressuscitou e ascendeu ao céu.

*** Visão Geral ***: Estamos no meio de uma batalha espiritual. Essa batalha é mais importante do que qualquer outra guerra física que presenciamos entre as diferentes nações. O livro de Apocalipse se preocupa com as questões relacionadas à nossa vida eterna. Muitas vezes nos distraímos com as interpretações superficiais que procuram atribuir explicações materiais ao conteúdo apocalíptico desse livro. Como Paulo disse: “Pois, embora vivamos como homens, não lutamos segundo os padrões humanos. As armas com as quais lutamos não são humanas; pelo contrário, são poderosas em Deus para destruir fortalezas. Destruímos argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento, para torná-lo obediente a Cristo.” (2 Coríntios 10:3-5 - NVI). A guerra é travada contra os falsos argumentos de Satanás. Seus argumentos parecem ser muito bons, e até mesmo verdade, mas o que ele realmente quer é desviar a nossa atenção da mensagem de Deus. Mesmo sendo esta uma situação grave, não precisamos ter medo, porque Jesus já providenciou um meio para que possamos sair vencedores. Através do sacrifício de Cristo, o sangue que Ele derramou em nosso lugar, e através da Palavra de Seu testemunho, também podemos lançar o dragão para fora, e entregar o domínio de nossas vidas a Jesus. O primeiro passo para a vitória é acreditar: acreditar no poder do Cordeiro que foi morto, e não em nossas próprias forças. A batalha que o inimigo está travando contra o povo de Deus é a luta pela nossa adoração. Como os anjos no céu, temos que continuar a louvar a Deus com toda a nossa alma. Sempre que nos encontrarmos no meio de uma batalha, onde as armas das tentações estão atirando à nossa volta, devemos nos lembrar das palavras de Jesus: "Retire-se, Satanás! Pois está escrito: ‘Adore o Senhor, o seu Deus e só a ele preste culto’" (Mateus 4:10 - NVI).

Tagged under

7 Houve então uma guerra no céu. Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão, e o dragão e os seus anjos revidaram.

8 Mas estes não foram suficientemente fortes, e assim perderam o seu lugar no céu.

9 O grande dragão foi lançado fora. Ele é a antiga serpente chamada diabo ou Satanás, que engana o mundo todo. Ele e os seus anjos foram lançados à terra.

(NVI)

 

PARTE 1

 

*** Contexto Geral ***: O texto em Apocalipse 12:1-6 mostra como Satanás queria destruir Jesus durante que Ele, como homem, habitou na Terra. Através das ações de diferentes pessoas, Satanás tentou atacar Cristo várias vezes: começando quando ele era um bebê (Mateus 2:16), e, finalmente, através de uma cadeia de eventos que iniciou com a traição de Judas (Mateus 26: 14-16) Esta trilha de eventos foi até a crucificação de Cristo, mas a morte de Jesus não foi o resultado de ação humana. O ato de colocá-Lo numa cruz foi uma decisão humana, mas o próprio Jesus disse a respeito de Sua morte: "Por isso é que meu Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomá-la. Ninguém a tira de mim, mas eu a dou por minha espontânea vontade. Tenho autoridade para dá-la e para retomá-la. Esta ordem recebi de meu Pai." (João 10:17-18, NVI). Os líderes judaicos e as autoridades romanas crucificaram Jesus, mas Jesus foi quem escolheu morrer por nossas transgressões.

Em Apocalipse 12:13-17, vemos como Satanás queria destruir a mulher (a igreja). Vemos aí uma mudança de padrão de comportamento. Daquele ponto em diante, Satanás não mais estava atrás da criança. Isto implica que o Céu, para onde a criança havia sido levada, havia se tornado um lugar fora dos limites de Satanás. Vamos analisar, por um instante, as estratégias de ataque de Satanás na Terra. Podemos ver três momentos distintos em seu plano:

1) Tentando impedir que a mulher fosse fiel e dificultando que ela desse à luz a criança que esperava (eventos ocorridos desde a criação até o nascimento de Cristo);

2) Atacando a criança (eventos durante o tempo de Jesus na Terra);

3) Atacando a mulher (eventos após ressurreição e ascensão de Jesus).

Explicando mais especificamente, podemos ver que Satanás primeiro enganou todo o planeta (Adão e Eva). Em seguida, ele passou a enganar as nações e a levar as pessoas à idolatria (como vemos na maioria das histórias do Antigo Testamento). Quando o Messias nasceu, Satanás passou a atacadoras-Lo diretamente através de um decreto para matar todas as crianças menores de 2 anos. Depois, ele tentou Cristo pessoalmente, para fazer com que pecasse. Vemos vários outros exemplos desse ataque contra Jesus descritos na Bíblia. Depois que Cristo morreu, ressuscitou e ascendeu ao Céu, Satanás passou a atacar as nações, e, eventualmente, conseguiu enganar o mundo inteiro (Apocalipse 12:9, e as atividades que são vistas em Apocalipse 13 e Apocalipse 17).

Mas por que Satanás se tornou tão furioso com a mulher? Nas fases 1 e 2, a mulher era apenas uma vítima da guerra. O foco principal, até esse ponto, estava na criança. Algo deve ter acontecido para causar essa mudança. E é exatamente isso o que Apocalipse 12:7-12 está explicando. Na verdade, o trecho que descreve a perseguição da mulher começa por afirmar o que desencadeou esta perseguição: "E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho homem." (Apocalipse 12:13). Este versículo nos diz o que desencadeou a perseguição, mas não nos diz o porquê, como, ou quando o lançar para a Terra aconteceu.

*** Quando Satanás foi expulso do céu? ***: A Bíblia menciona dois momentos diferentes em que Satanás foi removido do Céu.

A primeira vez: O primeiro momento foi quando ele perdeu seus privilégios como um trabalhador celestial. Afinal, mas o que isso quer dizer? Bem, vamos imaginar o Céu antes de Lúcifer ter se tornado Satanás: seres celestiais rodeando o trono de Deus. O coro angelical cantando louvores a Deus. Planos de criação sendo preparados para novos mundos, galáxias e criaturas. O céu era uma sociedade baseada no amor. Cada ser era livre para escolher amar a Deus, bem como aos outros seres. No entanto, todos eles escolhiam amar altruisticamente. Um dia, um dos anjos viu todo esse amor que vinha em sua direção, e por um momento ele pensou como era merecedor de receber toda essa atenção. Ele olhou para a posição de Deus e se achou bom o suficiente para ser promovido a um nível maior do que o de anjo. Ele disse a si mesmo: "Subirei aos céus; erguerei o meu trono acima das estrelas de Deus; eu me assentarei no monte da assembleia, no ponto mais elevado do monte santo. Subirei mais alto que as mais altas nuvens; serei como o Altíssimo." (Isaías 14:13-14, NVI). Lúcifer queria ser como Deus.

Havia um grande problema no plano de Lúcifer. Essa posição no Céu já tinha sido preenchida por Miguel. O nome Miguel vem do hebraico Mikha'el, que significa 'Quem é como Deus'. Miguel é mencionado algumas vezes na Bíblia. Ele é o líder do exército celestial de Deus (Apocalipse 12:7), e é descrito como o arcanjo (Judas 1:9), um dos príncipes supremos (Daniel 10:13), um príncipe (Daniel 10:21), e "o grande príncipe que protege o seu povo" (Daniel 12:1, NVI). A palavra arcanjo significa o 'mensageiro-chefe', ou o 'líder dos mensageiros'. 1 Tessalonicenses 4:16 nos diz uma informação importante sobre a Segunda Vinda de Jesus: "Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro". Neste verso, vemos que Jesus é quem vem com a voz do arcanjo. Ele é o líder das hostes angelicais. Note-se que Miguel nunca é mencionado como sendo um anjo, mas como o líder dos anjos. Muitas vezes no Antigo Testamento, Deus é mencionado como o Senhor dos Exércitos (alguns exemplos: Isaías 28:29; Isaías 29:6; Isaías 37:16). Deus é o líder de seus exércitos, sejam eles angélicos ou humanos. Nós vimos em Apocalipse 7:4 (estudo #47) como Seu povo na Terra estava preparado para lutar as batalhas espirituais contra o exército inimigo (que foi descrito em Apocalipse 9:16-17). Miguel é outro título de Jesus enquanto defensor da Verdade.

Lemos sobre a queda de Lúcifer em Isaías 14:12: "Como você caiu dos céus, ó estrela da manhã, filho da alvorada! Como foi atirado à terra, você, que derrubava as nações!” (NIV). O livro de Isaías foi escrito centenas de anos antes do nascimento de Cristo. O próprio Jesus menciona a queda inicial de seu inimigo: "E disse-lhes: Eu via Satanás, como raio, cair do céu." (Lucas 10:18). Esta queda inicial aconteceu em algum momento antes de Eva dar ouvido às mentiras da serpente. A Bíblia nos diz que a serpente era Satanás (Apocalipse 12:9; Apocalipse 20:2).

Vamos voltar ao que aconteceu no Céu quando Lúcifer começou a desejar ser o governante do universo. Tente imaginar a repercussão que este pensamento gerou. Ele nunca poderia derrubar o Senhor dos Exércitos, o chefe dos anjos, sem um exército próprio. Lúcifer precisava de apoio. Ele começou a espalhar suas mentiras dizendo que Deus era injusto, impedindo Sua criação de se tornar como Deus. Esta foi exatamente a estratégia que ele usou com Eva: "Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal." (Gênesis 3:4-5). Em outras palavras, Satanás acusou Deus de ser um mentiroso ao afirmar que Eva não iria morrer se desobedecesse. Além disso, ele deu a entender que Deus estava tentando impedi-la de se tornar semelhante a Deus.

A Bíblia nos diz que Lúcifer foi capaz de enganar muitos anjos. Apocalipse 12:4 nos diz que o dragão levou consigo um terço dos anjos (simbolizados pela palavra 'estrelas'). Após o dragão ter conseguido formar o seu exército, ele foi lançado para fora do Céu. Ele então colocou-se diante da mulher, esperando a criança a nascer: "E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho." (Apocalipse 12:4). Esta passagem é uma referência à primeira vez que Satanás foi lançado para fora do céu. Ele foi removido porque já não concordava com a forma como Deus liderava Sua sociedade. Lúcifer já não podia continuar a trabalhar ou viver no céu. Lúcifer se rebelou abertamente contra a forma Celestial de vida. Em suma, Lúcifer foi expulso do Céu quando decidiu não mais seguir, amar e respeitar a Deus.

Lúcifer então voltou sua atenção para a Terra e trouxe suas mentiras consigo. Adão e Eva haviam acabado de ser criados e Deus havia acabado de lhes dar o domínio sobre o planeta (Gênesis 1:26, 28). Quando Adão e Eva pecaram, optando por seguir as mentiras da serpente, eles entregaram esse domínio a Satanás, e assim, Satanás tornou-se o príncipe deste planeta. Jesus se referiu a Satanás como príncipe (ou governante) deste mundo (João 12:31; João 14:30, João 16:11).

Na qualidade novo governante da Terra, Satanás ainda tinha acesso às reuniões celestiais. Nós vemos na Bíblia alguns exemplos desse novo papel de Satanás. "E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles. Então o Senhor disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, e disse: De rodear a terra, e passear por ela." (Jó 1:6-7). Outro exemplo é visto em Zacarias 3:1-2: "E ele mostrou-me o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do anjo do SENHOR, e Satanás estava à sua mão direita, para se lhe opor. Mas o Senhor disse a Satanás: O Senhor te repreenda, ó Satanás, sim, o Senhor, que escolheu Jerusalém, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo?"

Apocalipse 12:4 se refere ao primeiro momento quando Lúcifer parou de trabalhar para Deus e foi expulso do céu. Nesse ponto, ele começou a trabalhar para si mesmo e se tornou o representante da Terra.

A segunda vez: Quando Cristo selou o destino do pecado com a Sua morte na cruz, Satanás perdeu seu domínio sobre o planeta. Isso foi algo que Satanás havia tentado evitar a todo o custo. Ele até tentou Jesus no deserto, oferecendo-lhe uma aparente maneira de não ter que passar pela morte a fim de recuperar o domínio sobre a Terra. "Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares." (Mateus 4:8-9). A resposta de Jesus a Satanás identifica exatamente o objetivo final de Satanás (Mateus 4:10). Satanás queria ser adorado. Se ele fosse capaz de fazer com que Miguel, Aquele que é como Deus, o adorasse, então o seu ataque contra o filho da mulher teria tido êxito.

Ao falar sobre Sua morte, Jesus disse: "Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo. E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim." (João 12:31-32). A humanidade seria salva ao se voltar a Jesus. Somos salvos por causa de Seu sacrifício. Ao mesmo tempo, a morte de Jesus lançou Satanás completamente para fora do quadro Celestial. Satanás passou a não mais ser o representante da Terra. Jesus tornou-se o nosso Príncipe, e Ele é agora Quem que nos representa nas cortes celestiais. Satanás não tem mais nenhuma chance de alcançar seu objetivo de dominação universal. Quando Cristo ascendeu ao Céu, Ele se assentou no trono de Deus (Apocalipse 5:7, Apocalipse 3:21), o lugar que Satanás havia cobiçado por tanto tempo. O verso sobre a criança em Apocalipse 12:5 termina com a criança sendo levada para o céu. Apocalipse 12:7 continua a partir desse ponto, nos dizendo o que aconteceu no Céu antes de Satanás começar a perseguir a mulher.

*** Visão Geral ***: Satanás tinha um plano de ataque desde o momento em que ele percebeu que queria ascender ao trono de Deus. Ao começar sua guerra de rebelião contra Deus, ele não pode mais viver e trabalhar no Céu como um dos anjos do Senhor. Lúcifer tornou-se Satanás, o inimigo de Deus, e foi expulso do Céu. Satanás continuou seu ataque, visando a criação de Deus. Ele conseguiu enganar Adão e Eva, e as gerações que se seguiram. Quando a promessa de um Messias foi dada a Adão e Eva, Satanás começou a trabalhar ainda mais para alcançar seu objetivo de se tornar semelhante a Deus. Ele queria destruir aquEle que realmente é como Deus, Jesus. Ele tentou vencer Jesus em diferentes ocasiões e falhou todas as vezes. A morte, ressurreição e ascensão de Jesus selou o destino de Satanás de uma vez por todas, removendo qualquer possibilidade de vitória contra a autoridade de Deus. A ascensão de Jesus ao trono de Deus significou que Satanás havia perdido seu domínio sobre a Terra. Satanás não tinha mais nenhuma razão para participar das reuniões no Céu. Já não havia mais lugar no Céu para ele (Apocalipse 12:8). Nós temos uma escolha hoje. Temos a liberdade de escolher a quem queremos servir, a Deus ou a Satanás. Cristo é agora o nosso representante. Ele reinará para todo o sempre (Apocalipse 11:15), e Ele nos convida de braços abertos para nos juntarmos ao lado que sairá vencedor. Satanás é um inimigo derrotado.

   

Bíblia - JF de Almeida RC  

   
   
© Hello-Bible 2016