Displaying items by tag: Esmirna

8 Ao anjo da igreja em Esmirna escreva: Estas são as palavras daquele que é o Primeiro e o Último, que morreu e tornou a viver.

10 Conheço as suas aflições e a sua pobreza; mas você é rico! Conheço a blasfêmia dos que se dizem judeus mas não são, sendo antes sinagoga de Satanás.

11 Não tenha medo do que você está prestes a sofrer. Saibam que o diabo lançará alguns de vocês na prisão para prová-los, e vocês sofrerão perseguição durante dez dias. Seja fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da vida.

12 Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. O vencedor de modo algum sofrerá a segunda morte.

 

PARTE 2

 

*** Destinatário -> “Ao anjo da igreja em Esmirna” ***: Mais uma vez, a carta é endereçada ao líder da igreja, mas o texto se aplica a todos os membros. Veja os comentários no estudo #9#12, e #14.

*** Remetente -> “O Primeiro e o Último, que morreu e tornou a viver” ***: Jesus vem à igreja em Esmirna como alguém com quem os membros podem se identificar. Todas as coisas pelas quais estavam passando, Jesus já havia sofrido também. Ele havia sido perseguido por romanos pagãos, e por judeus. Ele foi perseguido até a morte. Até Seu corpo foi preparado para o sepultamento com uma mistura de mirra, como era o costume judeu (João 19:39-40). Mas a razão pela qual a igreja em Esmirna não precisava ter medo é porque Ele ressuscitou e está vivo. A descrição de Jesus como o remetente é exatamente o que João ouviu quando ele caiu aos Seus pés, em Apocalipse 1:17-18: “[…] Então ele colocou sua mão direita sobre mim e disse: Não tenha medo. Eu sou o primeiro e o último. Sou aquele que vive. Estive morto mas agora estou vivo para todo o sempre! […]”. Veja o estudo #10 para mais detalhes sobre essa passagem.

*** Avaliação -> “Conheço…” ***: Jesus sabe melhor do que ninguém o que está acontecendo na igreja:
Aflições: O sofrimento que a igreja em Esmirna estava sofrendo era monumental. A palavra grega usada para aflição é thlipsis, que significa “restringir, comprimir, esfregar, confinar, inescapável e esmagante pressão”. Paulo e Timóteo passaram por esse tipo de aflição enquanto estavam na Asia (2 Coríntios 1:8-9): “Irmãos, não queremos que vocês desconheçam as tribulações que sofremos na província da Ásia, as quais foram muito além da nossa capacidade de suportar, a ponto de perdermos a esperança da própria vida. De fato, já tínhamos sobre nós a sentença de morte, para que não confiássemos em nós mesmos, mas em Deus, que ressuscita os mortos.”

Pobreza: Jesus está aqui reconhecendo que a igreja não possui bens materiais. Mesmo a igreja estando situada em uma das cidades mais ricas da Ásia, os membros eram muito carentes, possivelmente devido ao extremo estado de perseguição que eles suportavam. E ainda assim, Ele diz: “mas você é rico!”. Eles eram ricos na graça de Deus. Eles eram ricos através da confiança em Sua palavra. Eles eram fiéis a Deus até a morte. Conhecer Jesus de uma maneira tão próxima e pessoal, evidenciada pela disposição de morrer por Ele, era o conforto da igreja. Mais uma vez, eles podem se identificar com Jesus (2 Coríntios 8:9): “Pois vocês conhecem a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, se fez pobre por amor de vocês, para que por meio de sua pobreza vocês se tornassem ricos.”

Blasfêmia: Jesus entende que a igreja está recebendo fortes oposições daqueles "que se dizem judeus mas não são, sendo antes sinagoga de Satanás”. Aqui vemos o contraste entre os dois grupos que haviam sido escolhidos para ser o povo de Deus em diferentes momentos. De um lado, aqueles "que se dizem judeus”. Do outro lado, temos a igreja cristã. Só porque alguém diz que é uma coisa, não significa que ele realmente é aquilo. As pessoas podem enganar uns aos outros, mas não podem enganar a Deus. Assim como em Éfeso, muito provavelmente a igreja em Esmirna também era composta por gregos e judeus. E ainda assim os judeus não cristãos acusavam e perseguiam a igreja. Cristãos judeus e gregos eram perseguidos de igual forma. Paulo viveu essa mesma situação mais de uma vez, quando judeus instigavam perseguição e agitavam as multidões contra aqueles que estavam pregando o evangelho (Atos 13:50; Atos 17:13). Apocalipse 2:9 é muito claro ao dizer que aqueles que se opõem aos que pertencem ao corpo de Cristo, na verdade fazem parte do corpo de Satanás.

*** Apelo -> “Não tenha medo; mais tribulação está vindo; mas seja fiel” ***: Haveria de se esperar que se a notícia de que mais tragédia estava para acontecer, o medo das pessoas iria aumentar. Mesmo ao Jesus dizer que mais sofrimento está para vir, Ele não está falando para a igreja ter menos medo. Ele está dizendo não tenha medo”. Não há razão para ter medo, porque quem é fiel está no lado vencedor. Essa situação nos faz lembrar de Salmo 23:4: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam”. A igreja em Esmirna já estava sob uma insuportável, restritiva e confinante pressão, quando recebeu a notícia de que mais sofrimento estava para chegar. Satanás jogaria alguns membros na prisão, e alguns iriam sofrer perseguição por 10 dias. Gênesis 24:55 e 1 Samuel * 25:38 mencionam o período de 10 dias como sendo um período curto. Mas outras duas passagens trazem explicações bem relevantes quanto aos termos “sendo testados” e “sendo fiéis”. Daniel e seus amigos passaram por uma provação de 10 dias quando resolveram testemunhar a favor do Deus verdadeiro e escolheram não se contaminar com comidas impuras (Daniel * 1:8-20). Outro período importante de 10 dias foi o período entre a ascensão de Jesus e o pentecostes. Os discípulos, juntamente com “as mulheres, Maria mãe de Jesus, e Seus irmãos” passaram esse tempo em contínua oração (Atos 1:14). Esses 10 dias para Daniel, e também para os discípulos possivelmente pareceram uma eternidade. A confiança inabalável que Daniel tinha em Deus, o guiou durante esse período de teste. Ele estava certo de que Deus iria resolver o problema. E os discípulos fortaleceram sua fé receberam o derramamento do Espírito Santo, e iniciaram seu ministério, através de muita oração e unanimidade de propósito. Jesus enviou uma mensagem desagradável sobre a iminente perseguição à igreja de Esmirna. Mas Ele também enviou uma promessa: se permanecessem fiéis mesmo se tivessem que dar suas vidas, e Ele lhes daria a coroa da vida. A palavra grega para 'coroa' é estefanos, que é uma coroa de vitória. É o tipo de coroa que era dada aos atletas vencedores nos jogos olímpicos de Esmirna. A outra palavra grega para coroa é diadema. A coroa estefanos é mencionada em outros textos do Novo Testamento (2 Timóteo 4:8;  1 Pedro 5:4), e Tiago 1:12: “Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida que Deus prometeu aos que o amam.” Os membros de Esmirna não seriam mais reconhecidos pela Coroa de Esmirna, que era feita de morte. Eles receberiam a Coroa de Vitória feita de Vida. E esta, era razão suficiente para “parar de ter medo”.

*** Chamado para ouvir o Espírito -> O Espírito diz às Igrejas ***: A mensagem de “não temer, Eu estarei contigo da perseguição até a vitória” é pra ser ouvida por todas as igrejas. Não existem desculpas para não atender esse chamado. Veja as notas do estudo #14.

*** Promessa -> "Ao Vencedor” ***: Aquele que vencer não vai passar pela segunda morte. Em Apocalipse 20:14 e Apocalipse 21:8 lemos: "o lago de fogo é a segunda morte". O lago de fogo é onde Satanás, as bestas, e aqueles cujos nomes não estão no livro da vida serão jogados para receber sua sentença final por sua rebelião contra Deus (Apocalipse 20:10). Significa morte eterna. A igreja não deveria se preocupar ou ter medo da primeira morte, porque essa morte é temporária. É como um sono. A Bíblia diz que os mortos em Cristo (aqueles que dormem no Senhor) irão ressuscitar no dia da volta de Cristo (1 Tessalonicenses 4:15-16). No relato da morte de Estevão, a Bíblia diz que ele adormeceu (Atos 7:59-60). Ninguém realmente quer sofrer e morrer, porque nós fomos criados para a vida. No entanto, vivemos em um mundo imperfeito e de pecado, onde a morte é uma realidade. Mas a morte deixa de ser uma razão para se ter medo, porque através da fé em Jesus, os cristãos conhecem o conceito de adormecer no Senhor e acordar com corpos perfeitos num piscar de olhos, para a Glória de Cristo quando Ele retornar (1 Coríntios 15:50-54). A vida eterna realmente está às portas. A segunda morte não pode tocar aqueles que escolheram receber a coroa da vida.

*** Visão da História da igreja e aplicação profética ***: O período profético dessa igreja coincide com o tempo de severa perseguição que os cristãos sofreram sob o Império Romano durante o segundo e terceiro séculos, e começo do quarto século. Esse período de perseguição se intensificou em 303 AD, quando o imperador Diocleciano lançou um ataque geral para eliminar os cristãos. Diocleciano morreu em 305, mas o plano para aniquilar o cristianismo continuou até 313, quando o imperador Constantino decretou uma lei de tolerância, colocando um fim na perseguição aos cristãos. Esse tempo de extrema perseguição durou exatamente 10 anos. Usando o princípio bíblico proféticos de 1 dia = 1 ano (Ezequiel 4:6-7; Números 14:34; Lucas 13:32), temos aqui os 10 dias de perseguição que Jesus mencionou na carta para a igreja em Esmirna.

*** Visão geral ***: A igreja em Esmirna era também uma boa igreja. Mas era pobre, perseguida, e estava sendo esmagada sob as pressões da sociedade pagã onde se encontrava. Da mesma forma como a resina da mirra era extraída, a igreja estava sendo marcada até o cerne com a faca afiada da perseguição. Quanto mais cortes, melhor seria a coleta da essência que dá origem a uma mistura perfumada e agradável. A trituração intensa da resina resultaria no mais refinado pó de mirra. Essa igreja não recebeu nenhuma admoestação de Jesus. Nada ruim foi dito sobre ela. Ele encorajou a igreja a continuar firme na fé que já possuía, mesmo que lhe custasse a vida. Aqueles que não tiveram medo de morrer pela crença em Jesus receberam duas promessas: seriam coroados com a Coroa de Vitória feita de vida, e não se encontrariam entre aqueles sentenciados com morte eterna. A mensagem para essa igreja fala sobre perseguição, tribulação, prisão, e morte. Aparenta ser cruel, mas na realidade é uma mensagem de esperança, fortalecimento, e segurança. Quando nos tornamos verdadeiros seguidores de Cristo, podemos esperar perseguição e pressão vindas de fora da igreja, e até mesmo daqueles que se dizem Santos mas que na verdade não seguem o Testemunho de Jesus. Através da carta à igreja em Esmirna, podemos ver que Jesus também sofreu perseguição e rejeição. Ele até foi traído por uma pessoa que se dizia ser Seu amigo (Mateus 26:50). Mas Jesus permaneceu conectado com Deus até o fim, e Ele venceu a morte. Em meio a pior das piores condições, ainda é possível permanecer fiel e não perder de vista o que é importante. Prisão, tribulação, e morte em Cristo são um pequeno preço a se pagar quando o prêmio no final do período de teste é a Vida Eterna.

8 Ao anjo da igreja em Esmirna escreva: Estas são as palavras daquele que é o Primeiro e o Último, que morreu e tornou a viver.

10 Conheço as suas aflições e a sua pobreza; mas você é rico! Conheço a blasfêmia dos que se dizem judeus mas não são, sendo antes sinagoga de Satanás.

11 Não tenha medo do que você está prestes a sofrer. Saibam que o diabo lançará alguns de vocês na prisão para prová-los, e vocês sofrerão perseguição durante dez dias. Seja fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da vida.

12 Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. O vencedor de modo algum sofrerá a segunda morte.

 

PARTE 1


*** História ***: Esmirna era uma cidade muito bonita e rica, que ficava cerca de um pouco mais de 56 Km de Éfeso. Hoje, é conhecida como Izmir, na Turquia. A região começou a ser povoada por volta de 3000 AC, e durante a antiguidade, Esmirna foi uma cidade-estado de influência por toda Ionia. Homero, o escritor grego, autor da Ilíada e de Odisséia, foi um dos seus residentes mais famosos. Esmirna foi destruída por volta de 600 AC pelo rei Aliates. Alexandre o Grande planejou a restauração da cidade em 340 AC, e o rei Lisímaco terminou a restauração. A cidade era famosa por sua “Coroa de Esmirna”, o monte Pagos. O topo do monte era a acrópole, e na suas encostas, haviam sido construídos muitos templos pagãos, mansões, e outros prédios de proeminência. Todas essas construções davam ao monte a aparência de uma coroa. Esmirna tinha um porto, a acrópole, um ginásio, e em certo momento foi a sede de um Festival Olímpico. A cidade restaurada tinha avenidas largas e pavimentadas, demarcada com quarteirões retangulares. Calcula-se que a população na época em que João estava escrevendo as cartas às igrejas, chegava a 200.000 habitantes. Esmirna competia com Éfeso e Pérgamo pelo título “Primeira da Ásia”, que era inscrito nas moedas.

O nome Esmirna tem sua origem na palavra mirra, que é uma resina, ou óleo, extraído da árvore Commiphora. Essa resina é uma cera natural obtida ao se fazer vários cortes na casca dessa árvore, até chegar no alburno (parte viva do tronco). A árvore então “sangra” a resina. Essa resina endurece, e após ser triturada, vira um pó. A mirra é uma substância muito aromática, e era usada para fazer perfume, e medicamentos. Talvez seu uso mais importante fosse no preparo do corpo para o sepultamento. A mirra era o principal item de exportação de Esmirna, nos tempos antigos.

Esmirna desenvolveu um relacionamento sólido com Roma, e foi a primeira cidade a construir um templo para a deusa Dea Roma, em honra da cidade de Roma, no ano de 195 AC. Em 23 AC, Esmirna ganhou o direito de construir um templo do imperador Nero. Outra deusa em Esmirna era Cibele. Sua estátua a representava sentada em um trono, com seus pés no mar, e uma coroa na cabeça. Sua imagem era uma das figuras mais comuns em várias das moedas de Esmirna.

O culto ao imperador era algo popular por toda a Ásia, começando com Julio César, passando por Calígula, até Domiciano (que era o imperador no tempo das cartas de Apocalipse). Domiciano se auto-intitulou “senhor e deus”. A cada ano, os cidadãos romanos eram obrigados a participar em alguns rituais pagãos para poderem receber um certificado atestando sua fidelidade e culto ao imperador. A implicância de Roma não era com o prestar culto ao Deus verdadeiro. Os romanos tinham uma sociedade politeísta. Um deus a mais não faria diferença. O problema começava quando uma pessoa se negava a reconhecer o imperador como deus. Esse comportamento era uma afronta ao Império, e resultava em punição. Frequentemente essas pessoas eram colocadas em uma arena com feras selvagens para o entretenimento das massas, ou queimadas em público. O judaísmo era uma religião oficialmente reconhecida, e portanto o povo judeu era isento de prestar esse voto de fidelidade e culto ao imperador. Os romanos sabiam que os judeus viviam em conformidade com as regras romanas, e que não perturbavam a ordem. O cristianismo, por outro lado, não era uma religião reconhecida ou aceitável durante os três primeiros séculos. Por isso, os cristãos daquela época eram severamente perseguidos, tanto pelos pagãos quanto pelos judeus.

*** Visão Bíblica ***: A igreja em Esmirna é mencionada apenas no livro de Apocalipse, e recebe a mensagem mais curta das sete igrejas. A maioria das informações que sabemos sobre as pessoas dessa igreja vem através dos escritos de cristãos primitivos como Policarpo e Irineu. Policarpo (DC 69 - 155) era o bispo de Esmirna. Acredita-se que ele tenha sido ordenado pelo próprio João. A história conta que Policarpo foi um dos primeiros mártires. Diz-se que ele foi amarrado a um poste aos 86 anos de idade para ser queimado. Mas, que em vez disso, foi esfaqueado, porque as chamas não conseguiam tocá-lo. De qualquer forma, queimado ou esfaqueado, Policarpo morreu porque se recusou a blasfemar o nome de Jesus.

A perseguição dos cristãos pelos judeus é mencionada na Bíblia. Começou no dia do apedrejamento de Estevão. Atos 8:1 diz: “E Saulo estava ali, consentindo na morte de Estêvão. Naquela ocasião desencadeou-se grande perseguição contra a igreja em Jerusalém. Todos, exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judéia e de Samaria.” Estevão foi o primeiro mártir, em um momento crucial na história da igreja cristã. Saulo, que se tornou Paulo após sua conversão, estava presente no apedrejamento de Estevão (Atos 7:58). Paulo era um dos perseguidores mais ferozes dos cristãos, e ía destruindo a igreja ao arrastar pessoas de suas casas para colocá-las na na prisão (Atos 8:3). O interessante é que foi essa perseguição, iniciada com a morte de Estevão, que ajudou a espalhar o evangelho rapidamente pelo mundo. Com isso, um grande número de judeus e gregos se converteu ao cristianismo (Atos 11:19-21).

Por todo o Novo Testamento, o tema 'perseguição' é frequentemente mencionado nas cartas de Paulo. Ele mesmo sofreu perseguição, e sabia que não seria o único a passar por tempos difíceis. Ele disse: “De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos. Contudo, os perversos e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados.” (2 Timóteo 3:12-13).

Jesus disse ao finalizar as Bem-Aventuranças: "Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino dos céus. Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa os insultarem, perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a recompensa de vocês nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês". (Mateus 5:10-12). O que Jesus diz nessa passagem nos lembra o que Ele está dizendo à igreja em Esmirna. Ele está falando que sofrer perseguições por causa do Seu nome não é apenas uma benção, mas é também motivo para alegria e regozijo. Jesus convida Seus seguidores a tomarem uma atitude exatamente oposta ao medo. O que nos torna capazes de não sentir medo, não é algo que vem de nós mesmos. Pela nossa própria natureza, temos medo. Mas quando estamos profundamente conectados com Deus, assim como estavam os "profetas que vieram antes de [nós]", recebemos uma habilidade sobrenatural para suportar qualquer coisa: "Tudo posso naquEle que me fortalece" (Filipenses 4:13).

*** Visão geral ***: A igreja em Esmirna vivia numa realidade contrastante. A igreja estava no meio de uma cidade livre, mas era perseguida. A cidade era rica, mas a igreja era extremamente pobre. A sociedade não tinha nenhum respeito pelo Deus verdadeiro, mas a igreja era espiritualmente rica. Essa situação contraditória não pára por aí. A igreja recebeu uma carta de Jesus dizendo que logo haveria de vir uma perseguição brutal, e ainda assim, Ele disse “não tenha medo". Jesus estava dizendo ao vencedor: pode ser que você morra durante as tribulações, mas você vai ser coroado com vida eterna. A chave para entender essa aparente situação conflitante, aceitá-la, e vencê-la, está descrita no verso 10: "seja fiel até a morte". Nas palavras do próprio Jesus: "[...] Então Jesus disse aos seus discípulos: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa, a encontrará. Pois, que adiantará ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? [...]" (Mateus 16:24-26).

   

Bíblia - JF de Almeida RC  

   
   
© Hello-Bible 2016