@hello_bible

@hello_bible

Saturday, 30 September 2017 10:53

83. Houve festa no Céu * Apocalipse 12:10-12

10 Então ouvi uma forte voz do céu que dizia: "Agora veio a salvação, o poder e o Reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo, pois foi lançado fora o acusador dos nossos irmãos, que os acusa diante do nosso Deus, dia e noite.

11 Eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do testemunho que deram; diante da morte, não amaram a própria vida.

12 Portanto, celebrem, ó céus, e os que neles habitam! Mas, ai da terra e do mar, pois o diabo desceu até vocês! Ele está cheio de fúria, pois sabe que lhe resta pouco tempo".

(NVI)

 

*** Uma festa depois da guerra no Céu ***: Apocalipse 12:7 começa com a frase "Houve então uma guerra no céu”. Nos últimos dois estudos, vimos como o dragão foi expulso do Céu quando Cristo ascendeu ao trono. Satanás perdeu sua posição oficial como governante da Terra. A vitória de Cristo estava selada porque Ele deu à humanidade uma chance de redenção. Ele cumpriu a sentença em nosso lugar. Essa vitória foi a razão pela qual o Céu explodiu em um grande momento de celebração. Vimos essa mesma cena em Apocalipse 5:9-14. Novamente, João ouviu o som das fortes vozes celestiais louvando a vitória de Cristo sobre aquele que vinha acusando a humanidade “diante do nosso Deus, dia e noite.” (Apocalipse 12:10). Satanás não mais podia nos acusar diante do Senhor. O dragão perdeu seu governo, mas não parou sua batalha contra Deus. Como iremos ver em Apocalipse 12:12, ele está concentrando seus ataques e acusações em outros pontos.

*** O que eles estão comemorando? ***: Os seres celestiais estão celebrando a redenção trazida à humanidade, o poder supremo de Cristo, o governo de Deus, e a remoção do “acusador dos nossos irmãos”, das cortes celestiais (Apocalipse 12:10). A expressão “dia e noite” nos dá a entender que Satanás costumava apresentar para Deus uma enxurrada de acusações contra os seres humanos. Isso coloca em perspectiva a atitude dos anjos ao redor do trono de Deus, que continuamente louvam e servem a Deus dia e noite (Apocalipse 4:8; Apocalipse 7:15). Nesse sentido, o caminho para nos defendermos contra o ataque inimigo é adorar a Deus sem cessar. Falando sobre a armadura que os cristãos devem usar durante esta batalha espiritual em que nos encontramos, Paulo disse: “Além disso, usem o escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as setas inflamadas do Maligno. Usem o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos.” (Efésios 6:16- 18). “Alegrem-se sempre. Orem continuamente. Dêem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus.” (1 Tessalonicenses 5:16-18).

*** Como poderia seres humanos superar os ataques inimigos do dragão? ***: Na cruz, Jesus providenciou uma maneira para as pessoas não terem que passar pela morte eterna. Jesus sofreu essa morte em nosso lugar. Ao acreditarmos nEle, e aceitar o Seu pagamento por nós, nossa ficha se torna limpa, e então não existe nada nela que pode ser usado contra nós. Qualquer acusação será completamente falsa. Apocalipse 12:11 menciona 3 coisas que permitem que os seres humanos vençam o dragão:

O sangue do Cordeiro: Jesus é o “Cordeiro que foi morto” por causa das nossas transgressões (Apocalipse 5:6-9). Seu sangue pode limpar a culpa em nossa ficha. Mas não devemos confundir essa bênção com uma licença para pecar. A morte de Cristo nunca teve o objetivo de tirar a nosso livre arbítrio. Somos livres para aceitar ou rejeitar a Jesus em qualquer ponto durante o tempo que Ele designou para nós. Enquanto continuarmos a aceitar o sacrifício que Ele fez ao cumprir a sentença que Ele serviu em nosso lugar, confessando nossos pecados, crendo nEle, e aceitando a transformação que Ele quer iniciar em nossas vidas, nossas fichas serão o próprio registro impecável de Jesus. Note que a salvação não acontece devido a nenhuma coisa que fazemos. Cristo é o único que fez tudo e que continua a fazer coisas por nós. Ele é o único que morreu em nosso lugar. É através do Seu sangue que nossos pecados são perdoados. É Ele quem verdadeiramente pode mudar nossas vidas e nos transformar em uma nova criatura. Nossa parte é aceitá-Lo. Nosso trabalho é escolher acreditar nEle (João 6:28, 29).

A palavra do seu testemunho: Uma vez que acreditamos no sacrifício de Jesus, nos tornamos Suas testemunhas. Quando aceitamos Seu poder transformador e permitimos que Ele transforme quem somos em quem Ele quer que nos tornemos, começamos a mostrar ao mundo o quão poderoso é o Deus a quem servimos. Passamos a ser exemplos vivos do poder e da Verdade de Deus. Assim como os anjos ao redor do trono louvam dia e de noite, Deus deve ser também o centro da nossa adoração e devoção.

O amor a Deus que vai além do amor que temos pela nossa vida temporária na Terra: Os que são capazes de vencer o inimigo são aqueles que não se colocam acima de tudo o mais. O seu amor a Deus e confiança em Sua mensagem são o combustível que os sustêm mesmo quando sua sobrevivência está em perigo. Isso nos faz lembrar da carta para Esmirna, onde a mensagem de Cristo dizia: “sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (Apocalipse 2:10). A vida com a qual deveríamos realmente nos preocupar é a nossa vida eterna. Se ainda estivermos vivos ou se morrermos antes da Segunda Vinda de Jesus não influencia em nada se vamos ou não ser levados para o céu quando Jesus voltar. No entanto, a nossa escolha de quem queremos servir durante nossa vida neste planeta pode determinar se vamos estar, ou não, entre os salvos. Este terceiro item é talvez o mais difícil de entender, pois se considerarmos esse ponto como sendo completamente literal, podemos ser levados a pensar que não devemos nos preocupar com o nosso bem-estar. No entanto, não podemos esquecer que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo (1 Coríntios 6:19-20), e por isso precisamos cuidar da nossa saúde física e mental. É através de nossas mentes que somos capazes de nos conectarmos com Deus. A importância desta terceira ferramenta de vitória é descrever o vencedor como a pessoa que se entrega completamente ao Senhor.

*** Celebrar versus ai; os habitantes do Céu versus os habitantes da terra e do mar ***: Apocalipse 12:12 separa claramente as pessoas em dois grupos: de um lado os habitantes do céu, e de outro, os habitantes da terra e do mar. O primeiro grupo é convidado a celebrar, enquanto o segundo grupo recebe um alerta. Mais uma vez, vemos que há apenas dois lados nessa guerra espiritual cósmica: o lado de Deus e do lado do inimigo. Nós vimos em nosso estudo de Apocalipse que os fiéis seguidores de Deus são considerados cidadãos celestes. Depois que eles aceitam Jesus como seu salvador, eles se tornam filhos de Deus, reis e sacerdotes (veja o estudo #5). Por outro lado, aqueles que rejeitam a cidadania celestial permanecem como habitantes da terra e do mar. A totalidade do planeta é aqui representada pela terra e o mar. Essas são as pessoas que não desejam reconhecer Cristo como o novo representante da Terra. Elas ainda estão seguindo o ex-governante, Satanás. Enquanto o povo fiel de Deus é liberto do pecado, aqueles que se recusam a acreditar na Verdade permanecem como escravos do pecado. Em lugar da alegria por causa da vitória que Cristo permitiu que Seus seguidores experimentassem, os habitantes do planeta recebem um alerta: “o diabo desceu até vocês! Ele está cheio de fúria”. Satanás está concentrando seus ataques sobre as pessoas. Ele vai tentar manter o máximo possível de pessoas quantas possível longe da verdade de Deus, evitando que elas se entreguem completamente ao Senhor. Não é por acaso que os agentes do dragão nessa Terra são simbolizados por uma besta que vem do mar e uma que vem da terra (Apocalipse 13:1-4, 11-16). Satanás está muito enfurecido com sua derrota e expulsão do Céu. Ele não pode mais atacar diretamente a Cristo, então seu plano é atacar aqueles a quem Cristo tanto ama: as pessoas por quem Ele morreu. Esse é um jeito de Satanás tentar fazer a morte de Jesus perder o sentido. Essa é a sua forma de ataque.

*** O tempo de Satanás é curto, e ele sabe disso ***: Tente, por um momento, imaginar como deve ser a sensação de viver para sempre. Pense nos anjos no céu, que viveram milhares e milhares de nossos anos terrestres na presença de Deus. Quando se está acostumado com o conceito de viver para sempre, o tempo não é um problema. Poucas centenas de anos parecem ser um piscar de olhos. Lúcifer, antes de pecar, estava acostumado a ter essa expectativa - viver para sempre. Após a sua queda, ele estabeleceu seu domínio na Terra e ainda tinha planos de ascender ao trono de Deus (Isaías 14:13-14). Depois que Jesus morreu e ascendeu ao Céu, para tomar Seu lugar no trono de Deus, Satanás perdeu qualquer chance que pensava ter de realizar seus objetivos. O dragão soube naquele momento que sua morte seria inevitável. Jesus vai voltar, e Satanás e seus agentes serão colocados no lago de fogo (Apocalipse 20:10). Quando ele perdeu aquela batalha no Céu, na ascensão de Cristo ao trono, Satanás ficou sabendo que seus dias estavam contados. Isso fez com que voltasse sua atenção para as pessoas. Ele decidiu intensificar seus ataques e direcionar sua ira contra elas, porque ele está do lado perdedor. A Bíblia fala sobre a ira de Deus como sendo a execução de sua sentença na Terra depois de ter reunido todos aqueles que Lhes pertencem (Romanos 9:22-29). Mas, ao contrário da ira de Deus, a ira de Satanás não é uma fonte da justiça. Satanás não está buscando a redenção dos fiéis. Ele está em busca de vingança. Sua busca é alimentada apenas por motivos egoístas. Satanás não se preocupa com ninguém, exceto consigo mesmo. Com o relógio correndo rapidamente até o dia da sua derrota física, ele tentará enganar tantas pessoas quanto puder.

*** Visão Geral ***: Quando Cristo retornou vitorioso para o céu e se assentou no trono, ao lado do Pai, Satanás se tornou furioso. Seu caráter maligno foi revelado ao Universo. Cristo providenciou uma maneira de salvar a humanidade e retomar Seu domínio sobre o planeta Terra. O inimigo não foi forte o suficiente para mudar o que Jesus havia feito. Satanás e seus anjos foram derrotados e mandados embora. A cena de guerra rapidamente se transformou na imagem perfeita de comemoração. Houve uma festa no céu. O céu estava se alegrando na vitória de Cristo. Os seres celestiais não adoram em silêncio. Eles sempre louvam com toda a sua alma. Com Sua morte, Jesus rompeu as algemas que impedem as pessoas de se tornarem cidadãos permanentes do Céu. A maneira de vencer o pecado é aceitar Jesus como nosso Senhor e Salvador, permitir que nossa vida seja um testemunho sobre o amor de Deus, e amar e confiar em Deus acima de tudo. É assim que devemos nos regozijar todos os dias. A festa no Céu deve se tornar a comemoração que acontece em nossos corações. Devemos celebrar a vitória de Jesus sobre o pecado. Em comparação com a eternidade, o tempo que temos para decidir viver uma vida dedicada a Cristo é curto. O momento para tomar a nossa decisão de aceitar Jesus como nosso Senhor e Salvador é agora. Diga sim a Jesus diariamente, e você irá vencer, assim como Ele o fez (Apocalipse 3:21).

10 And I heard a loud voice saying in heaven, Now is come salvation, and strength, and the kingdom of our God, and the power of his Christ: for the accuser of our brethren is cast down, who accused them before our God day and night.

11 And they overcame him by the blood of the Lamb, and by the word of their testimony; and they loved not their lives unto death.

12 Therefore rejoice, you heavens, and you that dwell in them. Woe to the inhabitants of the earth and of the sea! for the devil has come down unto you, having great wrath, because he knows that he has but a short time.

 

*** A party after the war in Heaven ***: Revelation 12:7 starts out with the phrase "And there was war in heaven”. Over the past two studies, we’ve seen how the dragon was cast out of Heaven when Christ ascended to the throne. Satan lost his official position as “ruler of the Earth”. Christ’s victory was sealed because He gave humanity a chance at redemption. He served the sentence in our place. This victory was the reason Heaven burst into a great moment of celebration. We also saw this same scene in Revelation 5:9-14. Once again, John heard the loud sound of heavenly voices praising Christ’s victory over the one who had been accusing humanity “before our God day and night.” (Revelation 12:10). Satan can no longer accuse us before the Lord. The dragon lost his rulership, but he did not stop to battle against God. As we will see in Revelation 12:12, he is concentrating his attacks and accusations elsewhere.

*** What are they celebrating? ***: The heavenly beings are celebrating redemption brought to humanity, Christ’s supreme power, God’s rulership, and the removal of the “accuser of our brethren” from the heavenly courts (Revelation 12:10). From the expression “day and night” we can understand that Satan used to present to God a flood of accusations against humans. This puts in perspective the attitude of the angels surrounding the throne of God, who would praise God and serve Him constantly day and night (Revelation 4:8; Revelation 7:15). In that sense, the way to defend ourselves against his attack is to worship God continuously. Talking about the armor Christians should wear during this spiritual battle we are on, Paul said: “Above all, taking the shield of faith, with which you shall be able to quench all the fiery darts of the wicked one. And take the helmet of salvation, and the sword of the Spirit, which is the word of God: Praying always with all prayer and supplication in the Spirit, and watching thus with all perseverance and supplication for all saints” (Ephesians 6:16-18). “Rejoice evermore. Pray without ceasing. In everything give thanks: for this is the will of God in Christ Jesus concerning you.” (1 Thessalonians 5:16-18).

*** How could humans overcome enemy attacks from the dragon? ***: At the cross, Jesus provided a way for people not to have to suffer eternal death. Jesus suffered that death in our place. Once we believe in Him, and accept His payment, our record will be wiped clean, and there will be nothing there that can be used against us. Any accusation will be completely false. Revelation 12:11 mentions 3 things that allow humans to overcome the dragon:

The blood of the Lamb: Jesus is the “Lamb who was slain” for our transgressions (Revelation 5:6-9). His blood can clean our guilty record. But we must not confuse this blessing with a license to sin. Christ’s death was never meant to take away our free will. We are free to accept or reject Him at any point during the time He allowed to us. As long as we continue to accept the sacrifice He made as He served the sentence in our place, by confessing our sins, believing in Him, and accepting the transformation He wants to impart on us, our records will be Jesus’ own spotless record. Note that salvation is not due to anything that we do. Christ is the one who did everything and who continues to do things for us. He is the one who died in our place. Through His blood, our sins are forgiven. He is the one who can actually change our lives and turn us into a new creature. Our part is to accept. Our job is to choose and believe in Him (John 6:28, 29).

The word of their testimony: Once we believe in Jesus’ sacrifice, we become His witnesses. When we accept His transforming powers and allow Him to change who we were into who He wants us to become, we start to show the world how powerful the God we serve is. We become living examples of that power and of God’s Truth. Just like the angels around the throne, who praise Him day and night, we must have God at the center of our worship and devotion.

Love for God that goes beyond our love for our temporary life on Earth: The ones who are able to overcome the enemy are those who do not put themselves above anything else. Their love for God and trust in His message is the fuel that keeps them going even when their survival is in danger. This reminds us of the letter to Smyrna, where Christ’s message read: “be faithful unto death, and I will give you a crown of life” (Revelation 2:10). The life that we should really be concerned with is our eternal life. Whether we live on or die before Jesus’ Second Coming has absolutely no influence on whether or not we will be going to Heaven when Jesus returns. However, who we choose to serve while we are still alive on this planet can determine if we will be among the saved. This third item is perhaps the most difficult to understand. If we take it too literally, we may begin to think that we shouldn’t care about our well-being. Therefore, let’s not forget that our bodies are the temple of the Holy Spirit (1 Corinthians 6:19-20), and that is why we need to take care of our physical and mental health. It is through our minds that we are able to connect to God. The importance of this third overcoming tool is to describe the overcomer as the person who has given themselves completely to the Lord.

*** Rejoice versus woe; inhabitants of Heaven versus inhabitants of the earth and sea ***: Revelation 12:12 clearly separates people into two groups: the inhabitants of Heaven and the inhabitants of the earth and sea. The first group is invited to celebrate, while the second group receives a warning. Once again, we see that there are only two sides in this cosmic spiritual war: God’s side and the enemy’s side. We’ve seen in our Revelation study that the faithful followers of God are considered heavenly citizens. Once they accept Jesus as their savior, they become children of God, kings, and priests (see study #5). On the other hand, those rejecting Heavenly citizenship remain as inhabitants of the earth and sea. The totality of the planet here is represented by "earth and sea”. Those are the people who do not wish to recognize Christ as the new ruler of the Earth. They are still following the former ruler, Satan. While God’s faithful people are freed from sin, those who refuse to believe in the Truth are still slaves. Instead of rejoicing in the victory Christ has allowed is followers to experience, the inhabitants of the planet are warned: “for the devil has come down unto you, having great wrath”. Satan is concentrating his attacks on people. He will try to keep as many people as possible from accepting God’s Truth and from giving themselves completely to the Lord. It is no coincidence that his agents on this planet are represented by a beast that comes from the sea and one that comes from the earth (Revelation 13:1-4, 11-16). Satan is very unhappy with his defeat and casting out of Heaven. He can no longer attack Christ directly, so his plan is to attack the object of Christ’s love: the people whom Jesus died for. It is a way for Satan to try and make Jesus’ death meaningless. That is his form of attack.

*** Satan’s time is short, and he knows it ***: Try, for a moment, to imagine how it must feel to be living forever. Think of the angels in Heaven, who have lived for thousands and thousands of our Earth years in the presence of God. When you are used to the concept of living forever, time is not an issue. A few hundred years seem like the blink of an eye. Lucifer, before he sinned, was used to this expectation - living forever. After the fall, he established his domain on Earth and had plans to ascended to the throne of God (Isaiah 14:13-14). After Jesus died and ascended to Heaven, to take His place at the throne of God, Satan lost any chance he thought he had to accomplish his goals. The dragon knew at that point that his demise was inevitable. Jesus will return, and Satan and his agents will be placed in the lake of fire (Revelation 20:10). When he lost that battle in Heaven, at Christ’s assertion to the throne, Satan knew his days were numbered. This made him turn his attention to the people. He decided to intensify his attacks and direct his wrath at them because he is on the losing side. The Bible talks about God’s wrath as the carrying out of His sentence on Earth after having gathered all those who belong to Him (Romans 9:22-29). But unlike God’s wrath, Satan’s wrath is not the source of justice. Satan is not seeking redemption of the faithful. He is seeking revenge. His quest is fueled by selfish reasons only. Satan doesn’t care about anybody else except himself. With the clock ticking rapidly until the day of his physical defeat, he will seek to deceive as many people as he can.

*** Overview ***: When Christ returned victorious to Heaven and sat down on the throne, next to the Father, Satan became furious. His evil character had been revealed to the Universe. Christ provided a way to save humanity and take rulership over the planet Earth back to Himself. The enemy was not strong enough to change what Jesus had accomplished. Satan and his angels were defeated and sent away. The scene of war quickly turned into the perfect picture of celebration. There was a party in Heaven. They were rejoicing in Christ’s victory. The heavenly beings don’t worship quietly. When they praise, they always do it with all their soul. With His death, Jesus broke the bonds that prevent people from becoming permanent citizens of Heaven. The way to overcome sin is to accept Jesus as our Lord and Savior, to allow our lives to be a testimony of God’s love, and to trust and love God above all else. This is how we should be rejoicing every day. The party in Heaven must become the party in our hearts. We must celebrate Jesus’ victory over sin. Compared to eternity, the time we have to decide to live a life dedicated to Christ is short. The time to make our decision to accept Jesus as our Lord and Savior is now. Say yes to Jesus daily, and you will overcome, just as He did (Revelation 3:21).

7 Houve então uma guerra no céu. Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão, e o dragão e os seus anjos revidaram.

8 Mas estes não foram suficientemente fortes, e assim perderam o seu lugar no céu.

9 O grande dragão foi lançado fora. Ele é a antiga serpente chamada diabo ou Satanás, que engana o mundo todo. Ele e os seus anjos foram lançados à terra.
(NVI)

 

PARTE 2

 

*** Houve guerra no céu ***: Baseado em Apocalipse 12:7-9, podemos entender que quando o filho da mulher foi levado para o céu, o dragão e os seus anjos o seguiram até a corte celestial. O dragão não queria deixar que Jesus tomasse para Si o domínio terrestre sem sofrer resistência alguma.

A Bíblia nos diz que, quando Jesus chegou no céu, ele se assentou no trono com o Pai (Apocalipse 5:7; Apocalipse 3:21), e os membros do coro celestial "cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue nos compraste para Deus de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; e para o nosso Deus nos fizeste reis e sacerdotes; e reinaremos sobre a terra. E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono, e dos animais, e dos anciãos; e era o número deles milhões de milhões, e milhares de milhares, que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças". (Apocalipse 5:9-12). Note que eles estavam comemorando a vitória de Jesus. Podemos ver que essa vitória também significou o governo sobre a Terra em Apocalipse 5:10,12.

Em seguida, houve guerra no céu mais uma vez. Na primeira vez, ela terminou com Lúcifer e seus anjos sendo lançados para a Terra, onde ele efetuou seu primeiro ataque contra a humanidade (veja o estudo #81). Em sua mente, ainda havia uma chance de que seus planos de dominação universal dessem certo. Desta vez, porém, os "milhões de milhões, e milhares de milhares" de seres exaltando a conquista de Cristo estavam imunes às mentiras do dragão e estavam prontos para defender a Verdade. Eles tinham acabado de presenciar o sacrifício de Jesus na cruz. Sua morte revelou não somente o caráter amoroso de Deus, mas também o caráter destrutivo do inimigo. Os falsos argumentos de Satanás haviam sido expostos.

*** Miguel e seus anjos lutam contra o dragão e os seus anjos ***: Esta guerra é uma guerra espiritual. Apocalipse 12:11 descreve as armas que permitem que as pessoas vençam o inimigo de Deus: "o sangue do Cordeiro", e "a palavra do Seu testemunho". Note que esta luta acontece não somente entre Miguel e Satanás, mas também entre os anjos de ambos os lados. Os anjos que acreditam e seguem Satanás lutaram contra os anjos que acreditam e seguem Aquele que é semelhante a Deus, Miguel. O motivo dessa guerra foi a adoração: em quem eles preferiam acreditar. É o mesmo tipo de batalha que vimos entre a serpente e Eva, e entre Satanás e Jesus no deserto (Mateus 4:1-11). Satanás desafiou a verdade. A maneira de nos defendermos é usar a Palavra de Deus, assim como Jesus fez. Por três vezes Ele revidou os ataques malignos com a expressão "está escrito” (Mateus 4: 4,7,10). O fato de que os seres celestiais estavam todos adorando a Deus tão intensamente quando Cristo subiu ao trono (eles estavam adorando em alta voz - Apocalipse 5 :12), deixou claro que as mentiras de Satanás não enganariam ninguém no Céu e Satanás e seus anjos "não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus." (Apocalipse 12:8).

*** Satanás e seus anjos são lançados para fora ***: Apocalipse 12:9 identifica o dragão de diferentes maneiras: serpente, Diabo e Satanás. 'serpente' é uma referência à primeira batalha travada na Terra quando Eva decidiu acreditar nas mentiras contra Deus (Gênesis 3:1-6). 'Diabo' significa caluniador. 'Satanás' significa adversário. Quando Lúcifer enganou um terço dos os anjos através de suas falsas acusações contra Deus, ele se tornou o inimigo de Deus e foi expulso do Céu pela primeira vez (Isaías 14:12; Lucas 10:18). O tipo de atividade que o dragão está envolvido fica claramente definido no verso: ele "engana o mundo todo” (Apocalipse 12:9). Satanás é a mente por trás de todas as ações fraudulentas de seus agentes (Apocalipse 13:11-17; Apocalipse 18:2-3; Apocalipse 19:20; Apocalipse 20:10).

Satanás perdeu o domínio sobre a terra, e o poder foi transferido para Jesus (veja o estudo #81). Lembra do que o coro celestial estava cantando quando Jesus se assentou no trono? Estavam cantando: "e reinaremos sobre a terra" e "Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças" (Apocalipse 05:10, 12).

Como podemos ter certeza de que a expulsão de Satanás mencionada em Apocalipse 12:9 acontece depois da ascensão de Cristo ao trono de Deus? A resposta vem na canção que o coro celestial começou a cantar depois que Satanás foi lançado para fora. Vemos essa canção em Apocalipse 12:10-12. As frases-chave nesse trecho são: "Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo", e que as pessoas superaram o dragão "pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho". O sangue do Cordeiro está claramente se referindo à morte de Cristo. Seus seguidores são capazes de superar a serpente porque o Messias ressuscitou e ascendeu ao céu.

*** Visão Geral ***: Estamos no meio de uma batalha espiritual. Essa batalha é mais importante do que qualquer outra guerra física que presenciamos entre as diferentes nações. O livro de Apocalipse se preocupa com as questões relacionadas à nossa vida eterna. Muitas vezes nos distraímos com as interpretações superficiais que procuram atribuir explicações materiais ao conteúdo apocalíptico desse livro. Como Paulo disse: “Pois, embora vivamos como homens, não lutamos segundo os padrões humanos. As armas com as quais lutamos não são humanas; pelo contrário, são poderosas em Deus para destruir fortalezas. Destruímos argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento, para torná-lo obediente a Cristo.” (2 Coríntios 10:3-5 - NVI). A guerra é travada contra os falsos argumentos de Satanás. Seus argumentos parecem ser muito bons, e até mesmo verdade, mas o que ele realmente quer é desviar a nossa atenção da mensagem de Deus. Mesmo sendo esta uma situação grave, não precisamos ter medo, porque Jesus já providenciou um meio para que possamos sair vencedores. Através do sacrifício de Cristo, o sangue que Ele derramou em nosso lugar, e através da Palavra de Seu testemunho, também podemos lançar o dragão para fora, e entregar o domínio de nossas vidas a Jesus. O primeiro passo para a vitória é acreditar: acreditar no poder do Cordeiro que foi morto, e não em nossas próprias forças. A batalha que o inimigo está travando contra o povo de Deus é a luta pela nossa adoração. Como os anjos no céu, temos que continuar a louvar a Deus com toda a nossa alma. Sempre que nos encontrarmos no meio de uma batalha, onde as armas das tentações estão atirando à nossa volta, devemos nos lembrar das palavras de Jesus: "Retire-se, Satanás! Pois está escrito: ‘Adore o Senhor, o seu Deus e só a ele preste culto’" (Mateus 4:10 - NVI).

7 And there was war in heaven: Michael and his angels fought against the dragon; and the dragon fought and his angels,

8 And prevailed not; neither was their place found any more in heaven.

9 And the great dragon was cast out, that old serpent, called the Devil, and Satan, who deceives the whole world: he was cast out into the earth, and his angels were cast out with him.

 

PART 2

 

*** And there was war in Heaven ***: Based on Revelation 12:7-9, we can understand that when the child was taken up to Heaven, the dragon and his angels followed Him to the Heavenly court. He did not want to let Jesus take away his earthly dominion without any resistance.

The Bible tells us that when Jesus arrived in Heaven, He sat on the throne with the Father (Revelation 5:7; Revelation 3:21), and the Heavenly chorus "sang a new song, saying, You are worthy to take the scroll, and to open the seals thereof: for you were slain, and have redeemed us to God by your blood out of every tribe, and tongue, and people, and nation; And have made us unto our God a kingdom and priests: and we shall reign on the earth. And I beheld, and I heard the voice of many angels round about the throne and the living creatures and the elders: and the number of them was ten thousand times ten thousand, and thousands of thousands; Saying with a loud voice, Worthy is the Lamb that was slain to receive power, and riches, and wisdom, and strength, and honor, and glory, and blessing." (Revelation 5:9-12). Note that they were celebrating Jesus’ victory. We can see how that victory also meant rulership over the Earth (Revelation 5:10,12).

Then, war broke out in Heaven once again. The first time, it ended with Lucifer and his angels being cast down, and their first attack on humanity (see study #81). In his mind, there was still a chance for his plans for universal domination to work. This time, however, the "ten thousand times ten thousand, and thousands of thousands" of beings praising Christ's accomplishments were immune to the dragon's lies and were ready to defend the Truth. They had just witnessed Jesus’ sacrifice on the cross. His death revealed not only the loving character of God but also the destructive character of the enemy. Satan’s false arguments had been exposed.

*** Michael and His angels fight the dragon and his angels ***: This war is a spiritual war. Revelation 12:11 describes the weapons that allow people to overcome God's enemy: "the blood of the Lamb", and "the word of their testimony". Note that this fight happens not only between Michael and Satan but also between the angels on both sides. The angels who believe and follow Satan fought the angels who believe and follow the One who is like God, Michael. This war was about worship, about who they were going to believe in. It's the same kind of battle we saw between the serpent and Eve, and between Satan and Jesus in the desert (Matthew 4:1-11). Satan challenged the truth. The way to fight back is to use the Word of God, just as Jesus did. Three times He fought back with "it is written” (Matthew 4:4,7,10). The fact that the Heavenly beings were all worshiping God so intensely when Christ ascended to Heaven (they were worshiping with a loud voice - Revelation 5:12), made it clear that Satan's lies would not deceive anyone else in Heaven. "And [Satan and his angel] prevailed not; neither was their place found any more in heaven." (Revelation 12:8).

*** Satan and his angels are cast down ***: Revelation 12:9 identifies the dragon in different ways: serpent, devil, and Satan. 'Serpent' is a reference to the first battle fought on Earth when Eve decided to believe the lies against God (Genesis 3:1-6). 'Devil' means slanderer. 'Satan' means adversary. When Lucifer deceived one-third of the angels through his slanderous accusations against God, he became God's enemy and was cast out of Heaven for the first time (Isaiah 14:12; Luke 10:18). The type of activities the dragon is involved in are clearly stated in the verse: he "deceives the whole world” (Revelation 12:9). Satan is the mind behind all of the deceitful actions of his agents (Revelation 13:11-17; Revelation 18:2-3; Revelation 19:20; Revelation 20:10).

Satan lost his dominion over the Earth, and that power was transferred to Jesus (see study #81). Remember what the celestial chorus was singing when Jesus sat on the throne? They were singing: "and we shall reign on the earth" and "Worthy is the Lamb that was slain to receive power, and riches, and wisdom, and strength, and honor, and glory, and blessing" (Revelation 5:10,12).

How do we know that the casting down of Satan mentioned in Revelation 12:9 happens after Christ's ascension to God's throne? The answer comes in the song the heavenly chorus started to sing after Satan was cast down. We read this song in Revelation 12:10-12. The key phrases in this section are: "Now is come salvation, and strength, and the kingdom of our God, and the power of his Christ" and that the people overcame the dragon "by the blood of the Lamb, and by the word of their testimony". The blood of the Lamb is clearly referring to Christ's death. His followers are able to overcome the serpent because the Messiah resurrected and ascended to Heaven.

*** Overview ***: We are in the middle of a spiritual battle. This battle is more critical than any other physical war we may see happening among the different nations. The book of Revelation is concerned with the matters related to our eternal life. Too often we become distracted with superficial interpretations that seek to assign material explanations to the apocalyptic contents of this book. As Paul said, “For though we walk in the flesh, we do not war according to the flesh: (For the weapons of our warfare are not carnal, but mighty through God to the pulling down of strongholds;) Casting down arguments, and every high thing that exalts itself against the knowledge of God, and bringing into captivity every thought to the obedience of Christ” (2 Corinthians 10:3-5). The war is fought against the false arguments Satan wants to deceive us with. His arguments sound good, and even true but what he actually wants is to turn our attention away from God’s message. Even though this is a serious situation, we do not need to be afraid because Jesus has already provided a way for us to overcome it. Through Christ’s sacrifice, the blood He shed in our place, and through the Word of His testimony, we can also cast the dragon out, and give the dominion of our lives to Jesus. The first step to victory is to believe: to believe in the power of the Lamb who was slain, not on our own strength. The battle the enemy is waging against God’s people is the fight of our worship. Like the angels in Heaven, we must continue to praise God with all our soul. Whenever we find ourselves in the middle of a battle, and the bullets of temptations are flying all around us, we must remember the words of Jesus: "Begone, Satan: for it is written, You shall worship the Lord your God, and him only shall you serve.” (Matthew 4:10).

7 Houve então uma guerra no céu. Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão, e o dragão e os seus anjos revidaram.

8 Mas estes não foram suficientemente fortes, e assim perderam o seu lugar no céu.

9 O grande dragão foi lançado fora. Ele é a antiga serpente chamada diabo ou Satanás, que engana o mundo todo. Ele e os seus anjos foram lançados à terra.

(NVI)

 

PARTE 1

 

*** Contexto Geral ***: O texto em Apocalipse 12:1-6 mostra como Satanás queria destruir Jesus durante que Ele, como homem, habitou na Terra. Através das ações de diferentes pessoas, Satanás tentou atacar Cristo várias vezes: começando quando ele era um bebê (Mateus 2:16), e, finalmente, através de uma cadeia de eventos que iniciou com a traição de Judas (Mateus 26: 14-16) Esta trilha de eventos foi até a crucificação de Cristo, mas a morte de Jesus não foi o resultado de ação humana. O ato de colocá-Lo numa cruz foi uma decisão humana, mas o próprio Jesus disse a respeito de Sua morte: "Por isso é que meu Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomá-la. Ninguém a tira de mim, mas eu a dou por minha espontânea vontade. Tenho autoridade para dá-la e para retomá-la. Esta ordem recebi de meu Pai." (João 10:17-18, NVI). Os líderes judaicos e as autoridades romanas crucificaram Jesus, mas Jesus foi quem escolheu morrer por nossas transgressões.

Em Apocalipse 12:13-17, vemos como Satanás queria destruir a mulher (a igreja). Vemos aí uma mudança de padrão de comportamento. Daquele ponto em diante, Satanás não mais estava atrás da criança. Isto implica que o Céu, para onde a criança havia sido levada, havia se tornado um lugar fora dos limites de Satanás. Vamos analisar, por um instante, as estratégias de ataque de Satanás na Terra. Podemos ver três momentos distintos em seu plano:

1) Tentando impedir que a mulher fosse fiel e dificultando que ela desse à luz a criança que esperava (eventos ocorridos desde a criação até o nascimento de Cristo);

2) Atacando a criança (eventos durante o tempo de Jesus na Terra);

3) Atacando a mulher (eventos após ressurreição e ascensão de Jesus).

Explicando mais especificamente, podemos ver que Satanás primeiro enganou todo o planeta (Adão e Eva). Em seguida, ele passou a enganar as nações e a levar as pessoas à idolatria (como vemos na maioria das histórias do Antigo Testamento). Quando o Messias nasceu, Satanás passou a atacadoras-Lo diretamente através de um decreto para matar todas as crianças menores de 2 anos. Depois, ele tentou Cristo pessoalmente, para fazer com que pecasse. Vemos vários outros exemplos desse ataque contra Jesus descritos na Bíblia. Depois que Cristo morreu, ressuscitou e ascendeu ao Céu, Satanás passou a atacar as nações, e, eventualmente, conseguiu enganar o mundo inteiro (Apocalipse 12:9, e as atividades que são vistas em Apocalipse 13 e Apocalipse 17).

Mas por que Satanás se tornou tão furioso com a mulher? Nas fases 1 e 2, a mulher era apenas uma vítima da guerra. O foco principal, até esse ponto, estava na criança. Algo deve ter acontecido para causar essa mudança. E é exatamente isso o que Apocalipse 12:7-12 está explicando. Na verdade, o trecho que descreve a perseguição da mulher começa por afirmar o que desencadeou esta perseguição: "E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho homem." (Apocalipse 12:13). Este versículo nos diz o que desencadeou a perseguição, mas não nos diz o porquê, como, ou quando o lançar para a Terra aconteceu.

*** Quando Satanás foi expulso do céu? ***: A Bíblia menciona dois momentos diferentes em que Satanás foi removido do Céu.

A primeira vez: O primeiro momento foi quando ele perdeu seus privilégios como um trabalhador celestial. Afinal, mas o que isso quer dizer? Bem, vamos imaginar o Céu antes de Lúcifer ter se tornado Satanás: seres celestiais rodeando o trono de Deus. O coro angelical cantando louvores a Deus. Planos de criação sendo preparados para novos mundos, galáxias e criaturas. O céu era uma sociedade baseada no amor. Cada ser era livre para escolher amar a Deus, bem como aos outros seres. No entanto, todos eles escolhiam amar altruisticamente. Um dia, um dos anjos viu todo esse amor que vinha em sua direção, e por um momento ele pensou como era merecedor de receber toda essa atenção. Ele olhou para a posição de Deus e se achou bom o suficiente para ser promovido a um nível maior do que o de anjo. Ele disse a si mesmo: "Subirei aos céus; erguerei o meu trono acima das estrelas de Deus; eu me assentarei no monte da assembleia, no ponto mais elevado do monte santo. Subirei mais alto que as mais altas nuvens; serei como o Altíssimo." (Isaías 14:13-14, NVI). Lúcifer queria ser como Deus.

Havia um grande problema no plano de Lúcifer. Essa posição no Céu já tinha sido preenchida por Miguel. O nome Miguel vem do hebraico Mikha'el, que significa 'Quem é como Deus'. Miguel é mencionado algumas vezes na Bíblia. Ele é o líder do exército celestial de Deus (Apocalipse 12:7), e é descrito como o arcanjo (Judas 1:9), um dos príncipes supremos (Daniel 10:13), um príncipe (Daniel 10:21), e "o grande príncipe que protege o seu povo" (Daniel 12:1, NVI). A palavra arcanjo significa o 'mensageiro-chefe', ou o 'líder dos mensageiros'. 1 Tessalonicenses 4:16 nos diz uma informação importante sobre a Segunda Vinda de Jesus: "Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro". Neste verso, vemos que Jesus é quem vem com a voz do arcanjo. Ele é o líder das hostes angelicais. Note-se que Miguel nunca é mencionado como sendo um anjo, mas como o líder dos anjos. Muitas vezes no Antigo Testamento, Deus é mencionado como o Senhor dos Exércitos (alguns exemplos: Isaías 28:29; Isaías 29:6; Isaías 37:16). Deus é o líder de seus exércitos, sejam eles angélicos ou humanos. Nós vimos em Apocalipse 7:4 (estudo #47) como Seu povo na Terra estava preparado para lutar as batalhas espirituais contra o exército inimigo (que foi descrito em Apocalipse 9:16-17). Miguel é outro título de Jesus enquanto defensor da Verdade.

Lemos sobre a queda de Lúcifer em Isaías 14:12: "Como você caiu dos céus, ó estrela da manhã, filho da alvorada! Como foi atirado à terra, você, que derrubava as nações!” (NIV). O livro de Isaías foi escrito centenas de anos antes do nascimento de Cristo. O próprio Jesus menciona a queda inicial de seu inimigo: "E disse-lhes: Eu via Satanás, como raio, cair do céu." (Lucas 10:18). Esta queda inicial aconteceu em algum momento antes de Eva dar ouvido às mentiras da serpente. A Bíblia nos diz que a serpente era Satanás (Apocalipse 12:9; Apocalipse 20:2).

Vamos voltar ao que aconteceu no Céu quando Lúcifer começou a desejar ser o governante do universo. Tente imaginar a repercussão que este pensamento gerou. Ele nunca poderia derrubar o Senhor dos Exércitos, o chefe dos anjos, sem um exército próprio. Lúcifer precisava de apoio. Ele começou a espalhar suas mentiras dizendo que Deus era injusto, impedindo Sua criação de se tornar como Deus. Esta foi exatamente a estratégia que ele usou com Eva: "Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal." (Gênesis 3:4-5). Em outras palavras, Satanás acusou Deus de ser um mentiroso ao afirmar que Eva não iria morrer se desobedecesse. Além disso, ele deu a entender que Deus estava tentando impedi-la de se tornar semelhante a Deus.

A Bíblia nos diz que Lúcifer foi capaz de enganar muitos anjos. Apocalipse 12:4 nos diz que o dragão levou consigo um terço dos anjos (simbolizados pela palavra 'estrelas'). Após o dragão ter conseguido formar o seu exército, ele foi lançado para fora do Céu. Ele então colocou-se diante da mulher, esperando a criança a nascer: "E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho." (Apocalipse 12:4). Esta passagem é uma referência à primeira vez que Satanás foi lançado para fora do céu. Ele foi removido porque já não concordava com a forma como Deus liderava Sua sociedade. Lúcifer já não podia continuar a trabalhar ou viver no céu. Lúcifer se rebelou abertamente contra a forma Celestial de vida. Em suma, Lúcifer foi expulso do Céu quando decidiu não mais seguir, amar e respeitar a Deus.

Lúcifer então voltou sua atenção para a Terra e trouxe suas mentiras consigo. Adão e Eva haviam acabado de ser criados e Deus havia acabado de lhes dar o domínio sobre o planeta (Gênesis 1:26, 28). Quando Adão e Eva pecaram, optando por seguir as mentiras da serpente, eles entregaram esse domínio a Satanás, e assim, Satanás tornou-se o príncipe deste planeta. Jesus se referiu a Satanás como príncipe (ou governante) deste mundo (João 12:31; João 14:30, João 16:11).

Na qualidade novo governante da Terra, Satanás ainda tinha acesso às reuniões celestiais. Nós vemos na Bíblia alguns exemplos desse novo papel de Satanás. "E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles. Então o Senhor disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, e disse: De rodear a terra, e passear por ela." (Jó 1:6-7). Outro exemplo é visto em Zacarias 3:1-2: "E ele mostrou-me o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do anjo do SENHOR, e Satanás estava à sua mão direita, para se lhe opor. Mas o Senhor disse a Satanás: O Senhor te repreenda, ó Satanás, sim, o Senhor, que escolheu Jerusalém, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo?"

Apocalipse 12:4 se refere ao primeiro momento quando Lúcifer parou de trabalhar para Deus e foi expulso do céu. Nesse ponto, ele começou a trabalhar para si mesmo e se tornou o representante da Terra.

A segunda vez: Quando Cristo selou o destino do pecado com a Sua morte na cruz, Satanás perdeu seu domínio sobre o planeta. Isso foi algo que Satanás havia tentado evitar a todo o custo. Ele até tentou Jesus no deserto, oferecendo-lhe uma aparente maneira de não ter que passar pela morte a fim de recuperar o domínio sobre a Terra. "Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares." (Mateus 4:8-9). A resposta de Jesus a Satanás identifica exatamente o objetivo final de Satanás (Mateus 4:10). Satanás queria ser adorado. Se ele fosse capaz de fazer com que Miguel, Aquele que é como Deus, o adorasse, então o seu ataque contra o filho da mulher teria tido êxito.

Ao falar sobre Sua morte, Jesus disse: "Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo. E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim." (João 12:31-32). A humanidade seria salva ao se voltar a Jesus. Somos salvos por causa de Seu sacrifício. Ao mesmo tempo, a morte de Jesus lançou Satanás completamente para fora do quadro Celestial. Satanás passou a não mais ser o representante da Terra. Jesus tornou-se o nosso Príncipe, e Ele é agora Quem que nos representa nas cortes celestiais. Satanás não tem mais nenhuma chance de alcançar seu objetivo de dominação universal. Quando Cristo ascendeu ao Céu, Ele se assentou no trono de Deus (Apocalipse 5:7, Apocalipse 3:21), o lugar que Satanás havia cobiçado por tanto tempo. O verso sobre a criança em Apocalipse 12:5 termina com a criança sendo levada para o céu. Apocalipse 12:7 continua a partir desse ponto, nos dizendo o que aconteceu no Céu antes de Satanás começar a perseguir a mulher.

*** Visão Geral ***: Satanás tinha um plano de ataque desde o momento em que ele percebeu que queria ascender ao trono de Deus. Ao começar sua guerra de rebelião contra Deus, ele não pode mais viver e trabalhar no Céu como um dos anjos do Senhor. Lúcifer tornou-se Satanás, o inimigo de Deus, e foi expulso do Céu. Satanás continuou seu ataque, visando a criação de Deus. Ele conseguiu enganar Adão e Eva, e as gerações que se seguiram. Quando a promessa de um Messias foi dada a Adão e Eva, Satanás começou a trabalhar ainda mais para alcançar seu objetivo de se tornar semelhante a Deus. Ele queria destruir aquEle que realmente é como Deus, Jesus. Ele tentou vencer Jesus em diferentes ocasiões e falhou todas as vezes. A morte, ressurreição e ascensão de Jesus selou o destino de Satanás de uma vez por todas, removendo qualquer possibilidade de vitória contra a autoridade de Deus. A ascensão de Jesus ao trono de Deus significou que Satanás havia perdido seu domínio sobre a Terra. Satanás não tinha mais nenhuma razão para participar das reuniões no Céu. Já não havia mais lugar no Céu para ele (Apocalipse 12:8). Nós temos uma escolha hoje. Temos a liberdade de escolher a quem queremos servir, a Deus ou a Satanás. Cristo é agora o nosso representante. Ele reinará para todo o sempre (Apocalipse 11:15), e Ele nos convida de braços abertos para nos juntarmos ao lado que sairá vencedor. Satanás é um inimigo derrotado.

7 And there was war in heaven: Michael and his angels fought against the dragon; and the dragon fought and his angels,

8 And prevailed not; neither was their place found any more in heaven.

9 And the great dragon was cast out, that old serpent, called the Devil, and Satan, who deceives the whole world: he was cast out into the earth, and his angels were cast out with him.

 

PART 1

 

*** Background ***: The text in Revelation 12:1-6 shows how Satan wanted to destroy Jesus during His time as a man time on Earth. Through the actions of different people, Satan tried to attack Christ several times: starting when He was a baby (Matthew 2:16), and finally through a chain of events that started with Judas' betrayal (Matthew 26:14-16). Even though this trail of events did lead to Christ’s death on the cross, His death was not a result of human action. Hanging Him on a cross was a human decision, but Jesus said this about His own death: "Therefore does my Father love me, because I lay down my life, that I might take it again. No man takes it from me, but I lay it down of myself. I have power to lay it down, and I have power to take it again. This commandment have I received of my Father." (John 10:17-18). The Jewish leaders and Roman authorities crucified Jesus, but Jesus chose to die for our transgressions.

In Revelation 12:13-17, we see how Satan wanted to destroy the woman (the church). We see a pattern shift. Satan was no longer after the child at that point. This implies that Heaven, where the Child had been taken to, had become off limits to Satan. Let's look for a moment at Satan's attack strategies on Earth. We can see three distinct moments in his plan:

1) Preventing the woman from being faithful and making it difficult for her to give birth to the child (events from creation to Christ’s birth);

2) Attacking the child (events during Jesus' time on Earth);

3) Attacking the woman (events after Jesus' resurrection and ascension).

More specifically, Satan first deceived the whole planet (Adam and Eve). Then he went on to deceive the nations and lead people to idolatry (as seen in most stories of the Old Testament). When the Messiah was born, Satan moved on to attack Christ directly, through a decree to kill all babies younger than 2 years old. Later, he tempted Christ in the desert, trying to cause Jesus to sin. And we see other examples of attacks against Christ described in the Bible as well. After Christ died, resurrected, and ascended, Satan moved on to attack the nations, and eventually was able to deceive the entire world (Revelation 12:9, and the activities seen in Revelation 13 and Revelation 17).

But why did Satan become so furious with the woman? In phases 1 and 2, the woman was just a casualty of war. The main focus, up to that point had been on the child. Something must have happened to cause this shift. And that is exactly what Revelation 12:7-12 is explaining. In fact, the section describing the persecution of the woman starts out by stating what triggered this persecution: "And when the dragon saw that he was cast unto the earth, he persecuted the woman who brought forth the male child." (Revelation 12:13). This verse tells us what triggered the persecution, but does not tell us why, how or when the casting down happened.

*** When was Satan Cast down from Heaven? ***: the Bible mentions two different moments when Satan was removed from Heaven.

The first time: The first moment was when he lost his privileges as a celestial worker. What does that even mean? Well, let's imagine Heaven before Lucifer became Satan. Heavenly beings surrounded the throne of God. The angelic choir was singing praises to God. Creation plans were being prepared for new worlds, galaxies, and creatures. Heaven was a society based on love. Every being was free to choose to love God as well as the other beings. Yet they all chose to love selflessly. One day, one of the angels saw all this love coming his way, and for a moment he thought how deserving he was to receive all that attention. He looked at God's position and thought he was good enough to be promoted to a status greater than that of an angel. He told himself: "I will ascend into heaven, I will exalt my throne above the stars of God: I will sit also upon the mount of the congregation, in the farthest sides of the north: I will ascend above the heights of the clouds; I will be like the most High." (Isaiah 14:13-14). Lucifer wanted to be like God.

There was one big problem in Lucifer's plan. That position in Heaven was already filled by Michael. The name Michael comes from the Hebrew Mikha'el, which means 'who is like God'. Michael is mentioned a few times in the Bible. He is the leader of God's Heavenly army (Revelation 12:7), and is described as the archangel (Jude 1:9), one of the chief princes (Daniel 10:13), a prince (Daniel 10:21), and "the great prince which stands for the children of your people" (Daniel 12:1). The word archangel means the 'chief messenger', or the 'leader of the messengers'. 1 Thessalonians 4:16 tells us an important information about Jesus' Second Coming: "For the Lord himself shall descend from heaven with a shout, with the voice of the archangel, and with the trump of God: and the dead in Christ shall rise first". In this verse, we see that Jesus is the one with the voice of the archangel. He is the leader of the angelic host. Note that Michael is never referred to as an angel but as the leader of the angels. Many times in the Old Testament, God's is referred to as Lord of Hosts (few examples: Isaiah 28:29; Isaiah 29:6; Isaiah 37:16 - the NIV translates the expression as Lord almighty). God is the leader of His armies, be them angelic or human. We saw in Revelation 7:4 (study #47) how His people on Earth was prepared to fight the spiritual battles against the enemy army (which was described in Revelation 9:16-17). Michael is another title Jesus has as the defender of the Truth.

We read about the fall of Lucifer in Isaiah 14:12: "How are you fallen from heaven, O Lucifer, son of the morning! how are you cut down to the ground, who did weaken the nations!" The book of Isaiah was written hundreds of years before the birth of Christ. Jesus Himself mentions the initial fall of His enemy: "I beheld Satan as lightning fall from heaven." (Luke 10:18). This initial fall happened sometime before Eve listened to the serpent's lies. The Bible tells us that the serpent was Satan (Revelation 12:9; 20:2).

Let's go back to what happened in Heaven, when Lucifer started to wish he was the ruler of the Universe. Try to imagine the disruption that this thought generated. He could never take down the Lord of Hosts, the Chief of the angels, without an army of his own. Lucifer needed supporters. He started spreading his lies about how God is unfair, preventing His creation from becoming like God. This is exactly the strategy he used with Eve: "And the serpent said unto the woman, You shall not surely die: For God does know that in the day you eat thereof, then your eyes shall be opened, and you shall be as gods, knowing good and evil." (Genesis 3:4-5). In other words, Satan accused God of being a liar by stating that Eve would really die if she disobeyed. Also, he implied that God was trying to prevent her from becoming like God.

The Bible tells us that Lucifer was able to deceive many angels. Revelation 12:4 tells us that the dragon was able to take with him one-third of the angels (symbolized by the word 'stars'). After the dragon got his army, he was cast down from Heaven. He then placed himself in front of the woman, waiting for the child to be born: "And his tail drew the third part of the stars of heaven, and did cast them to the earth: and the dragon stood before the woman who was ready to be delivered, to devour her child as soon as it was born." (Revelation 12:4). This passage is a reference to Satan's first casting down of Heaven. He was removed from Heaven because he no longer agreed with how God was running His society. Lucifer could no longer continue to work or live in Heaven. Lucifer openly rebelled against the Heavenly way of life. In essence, Lucifer was thrown out of Heaven when he decided not to follow, love or respect God anymore.

Lucifer turned his attention to Earth and brought his lies over with him. Adam and Eve had just been created and God had just given them dominion over the planet (Genesis 1:26,28). When Adam and Eve sinned, by choosing to follow the serpent's lies, they handed that dominion over to Satan, and so, Satan became the ruler of this planet. Jesus referred to Satan as the ruler (or prince) of this world (John 12:31; John 14:30, John 16:11).

As the new ruler of Earth, Satan still had access to Heavenly meetings. We see in the Bible some examples of Satan's new role. "Now there was a day when the sons of God came to present themselves before the LORD, and Satan came also among them. And the LORD said unto Satan, From where come you? Then Satan answered the LORD, and said, From going to and fro on the earth, and from walking up and down on it." (Job 1:6-7). Another instance is seen in Zachariah 3:1-2: "And he showed me Joshua the high priest standing before the angel of the LORD, and Satan standing at his right hand to accuse him. And the LORD said unto Satan, The LORD rebuke you, O Satan; even the LORD that has chosen Jerusalem rebuke you: is not this a brand plucked out of the fire?"

Revelation 12:4 refers to the first moment when Lucifer quit working for God and was sent out of Heaven. At that point, he started working for himself and became Earth's representative.

The second time: Once Christ sealed the fate of sin with His death on the cross, Satan lost his dominion over the planet. Satan had been trying to avoid this at all costs. He even tempted Jesus in the desert, offering Him an apparent way out of having to die in order to regain the rulership over the Earth. "Again, the devil took him up into an exceedingly high mountain, and showed him all the kingdoms of the world, and the glory of them; And said unto him, All these things will I give you, if you will fall down and worship me." (Matthew 4:8-9). Jesus' answer to Satan pinpoints exactly Satan's ultimate goal (Matthew 4:10). Satan wants to be worshipped. If he was able to get the One who is like God to worship him, then his attack against the male child would have succeeded.

Speaking about His death, Jesus said: "Now is the judgment of this world: now shall the prince of this world be cast out. And I, if I be lifted up from the earth, will draw all men unto me.” (John 12:31-32). Mankind would be saved by coming to Jesus. We are saved because of His sacrifice. At the same time, Jesus' death cut Satan completely out of the Heavenly picture. Satan no longer was the representative of Earth. Jesus became our ruler, and He is now the One who represents us in the Heavenly courts. Satan has absolutely no chance of reaching his goal of universal domination. When Christ ascended to Heaven, He sat down on the throne of God (Revelation 5:7, Revelation 3:21), the very place Satan had coveted for so long. The section about the child in Revelation 12:5 ends with the child being taken up to Heaven. Revelation 12:7 picks up from that point, telling us what happened in Heaven before Satan started to persecute the woman.

*** Overview ***: Satan had a plan of attack from the moment he realized he wanted to ascend to the throne of God. By starting his rebellious war against God, he was no longer able to live and work in Heaven as one of the angels of the Lord. Lucifer became Satan, the enemy of God, and was cast down from Heaven. Satan continued his attack by targeting God’s creation. He managed to deceive Adam and Eve, and generations that followed. When the promise of a messiah was given to Adam and Eve, Satan began to work even harder to achieve his goal of becoming like God. He was going to destroy the One who actually is like God, Jesus. He attempted to win against Jesus on different occasions and failed every single time. Jesus' death, resurrection, and ascension sealed Satan’s fate once and for all, removing any possibility of victory against God’s authority. Jesus’ assertion to God’s throne meant that Satan had lost his rulership over Earth. Satan had no longer a reason to participate in any meetings in Heaven. There was no longer a place in Heaven for him (Revelation 12:8). We also have a choice today. We have the freedom to choose who we want to serve, God or Satan. Christ is now our representative. He will reign forever and ever (Revelation 11:15), and He invites us with open arms to join the winning side. Satan is a defeated enemy.

5 E deu à luz um filho homem que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono.

6 E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias.

 

PARTE 3

 

*** Contexto geral ***: A mulher estava em trabalho de parto. Ela estava prestes a dar à luz e o dragão estava diante dela, esperando a criança nascer. O dragão queria destruir a criança. (Apocalipse 12:1-4). Como vimos nos dois estudos anteriores, a mulher grávida é a igreja de Israel. Seria dessa nação que o Messias nasceria. O dragão é Satanás, esperando o Messias nascer. Ele queria executar seu ataque o mais rápido possível.

*** A criança nasceu ***: Como havia sido profetizado, um menino realmente nasceu. Existem muitas profecias bíblicas sobre o nascimento de Cristo, como as que vemos em Miquéias 5:2-4; e Isaías 7:14. "Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará. E repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do Senhor. E deleitar-se-á no temor do Senhor; e não julgará segundo a vista dos seus olhos, nem repreenderá segundo o ouvir dos seus ouvidos. Mas julgará com justiça aos pobres, e repreenderá com eqüidade aos mansos da terra; e ferirá a terra com a vara de sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará ao ímpio" (Isaías 11:1-4). Isaías 9:6 diz: "Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz." Jesus é o menino mencionado em Apocalipse 12:5. Cristo é o cumprimento da primeira profecia sobre o Messias escrita em Gênesis 3:15 (veja o estudo #78).

*** Ele iria governar as nações com vara de ferro ***: Para entender essa passagem, precisamos ver alguns outros versos da Bíblia. Existem três elementos importantes nesse trecho de Apocalipse 12:5: "o filho homem", "as nações", e a “vara de ferro". Vamos ler o Salmo 2:7-12:

"Proclamarei o decreto: o Senhor me disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei. Pede-me, e eu te darei os gentios por herança, e os fins da terra por tua possessão. Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro. Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da terra. Servi ao Senhor com temor, e alegrai-vos com tremor. Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nele confiam."

O filho: Todos os versículos que estamos estudando apontam para Jesus como sendo o filho. A Bíblia não deixa dúvidas sobre a interpretação desse primeiro elemento.

As nações: No texto do Salmo 2:7-12, vemos os mesmos três elementos de Apocalipse 12:5: o filho, as nações, e a vara de ferro. Nesse Salmo, aprendemos que o Filho irá quebrar as nações, a menos que se arrependam e decidam servir ao Senhor (Salmo 2:11). Agora podemos entender que 'as nações' são aquelas pessoas que ainda não servem a Deus.

A vara de ferro: A vara é o instrumento com o qual Cristo iria esmagar as nações, para que pudessem ver claramente a decisão que teriam de tomar: confiar ou não nEle. (Salmo 2:12). Apocalipse 19:15 nos diz o que é essa vara de ferro que ele usa sobre as nações. "E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso." A vara de ferro é a espada afiada que sai da boca de Jesus. Você se lembra de como João descreveu o Cristo glorificado em Apocalipse 1:16? E de como Jesus se apresentou à igreja de Pérgamo em Apocalipse 2:12? Jesus tem uma espada afiada que sai de Sua boca. Ele usa essa espada para ferir as nações e trazê-las ao arrependimento. Essa espada é a Palavra de Deus, agora contida na Bíblia. Hebreus 4:12 diz: "Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração." (Veja os estudos #9, #17 e #18).

*** A criança foi arrebatada para Deus ***: À primeira vista, parece que a criança nasceu e foi imediatamente arrebatada para Deus como um bebê. Mas quando olhamos mais atentamente para Apocalipse 12:5, podemos ver a progressão dos acontecimentos. O Messias nasceu na nação judaica. Ele, então, passou a pregar Sua Verdade durante Seu ministério, chamando as pessoas ao arrependimento. Finalmente, ele morreu e ressuscitou. Ele voltou para o Céu e foi arrebatado para o Pai e Seu trono. Em Apocalipse 4 e 5 (estudos #28-36), vemos a chegada de Cristo no Céu, como o Cordeiro que havia sido morto. Ele foi achado digno de se assentar no trono, ao lado direito do Pai. A expressão "arrebatado para Deus" nos faz lembrar de outra expressão que vemos em Daniel 9:26, onde o "Messias [seria] cortado, mas não para si mesmo". Este versículo em Daniel está falando sobre o tempo em que Cristo iria morrer, selando o destino do pecado para sempre.

*** O que aconteceu com a mulher depois que ela deu à luz ***: Apocalipse 12:6 diz: "E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias." Está claro que após o parto, a mulher fugiu do dragão. Mas o que isso significa? Como já mencionamos muitas vezes antes, em analogias da Bíblia, 'mulher' é sempre um símbolo da Igreja. A mulher grávida era uma referência à igreja de Israel. Cristo nasceu da linhagem de Davi, da tribo de Judá (Mateus 1:1-2). A mulher após ter dado à luz, ainda continuou sendo um símbolo da igreja de Deus. Mas tenha em mente que ela passou a ser um símbolo da igreja de um período de tempo diferente daquele de quando estava grávida. Vimos que o filho já tinha sido levado para o Céu quando a mulher fugiu do dragão. Nesse ponto, a igreja de Deus já não era formada unicamente por israelitas. Qualquer pessoa que aceita a Jesus torna-se parte da família de Deus. "Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa." (Gálatas 3:26-29). Apocalipse 12:6 não se refere à igreja original de Israel. Depois da morte de Cristo, quem O aceita como Salvador pode ser incluído. A mulher após o parto é um símbolo da igreja em todo o mundo. Essa Igreja é formada por aqueles que permanecem fiéis à mensagem da vara de ferro de Jesus.

Ela fugiu para o deserto: O dragão passou a perseguir a mulher tão intensamente que ela precisou fugir para o deserto. A igreja cristã teve que fugir do mesmo modo como os antigos israelitas tiveram que fugir do Egito para o deserto (Êxodo 13:17; Êxodo 16:21). E assim como Deus havia preparado uma terra para os israelitas, Ele também tinha preparado um lugar para a mulher. Esse período de dificuldades duraria por 1.260 dias (Apocalipse 12:6). Mais uma vez, vemos esse período de tempo profético. Vimos este período em Apocalipse 11:2-3, quando o povo fiel de Deus (representado pelas duas testemunhas profetizando vestidas de saco) sofreu grande opressão nas mãos daqueles que não seguiam a Verdade de Deus (veja os estudos #16, #20, #68, #71 e #72). Apocalipse 12:14 deixa claro que esse período de 1.260 dias proféticos (ou 3,5 anos proféticos, o que equivale a 1.260 anos literais) é idêntico à expressão "tempo, tempos e metade de um tempo": "E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente". Daniel 7:25 também fala sobre isso, quando ele menciona um poder que "destruirá os santos do Altíssimo" por "um tempo, tempos e metade de um tempo". (Veja também Daniel 12:7).

Todas essas referências aos 1.260 anos parecem apontar para o mesmo período de tempo. O foco dessa passagem de Apocalipse não está sobre a duração exata do tempo que a Igreja iria sofrer, mas está no fato de que Deus iria proteger seu povo fiel da morte espiritual. Este período corresponde à Idade Média, uma época em que os cristãos sofreram terrivelmente. Nós sabemos que este período iria acabar antes da Segunda Vinda de Jesus. Isso porque após essa perseguição inicial, o dragão passaria a perseguir o restante da descendência da mulher (Apocalipse 12:17).

*** Visão Geral ***: A ênfase de Apocalipse 12:5 parece estar no fato de que o Messias completou Sua missão. O dragão não teve nenhum poder ou capacidade para devorar a criança em nenhum ponto da vida de Cristo na Terra. O dragão estava pronto para atacar, e ainda assim, o Filho veio e Se foi de forma perfeita. Após a morte e ressurreição de Jesus, a identidade da Igreja fiel foi alterada. Não era mais uma questão de estar geneticamente ligada a Abraão. A conexão era agora feita através do sangue de Cristo. Qualquer pessoa que O aceita verdadeiramente passa a fazer parte da Igreja. Após o parto, a mulher se tornou um símbolo da Igreja cristã. Os cristãos sofreram terríveis perseguições durante a Idade Média, um período que durou cerca de 1.200 anos. Esse tempo de sofrimento é um paralelo aos 3,5 anos que Cristo sofreu durante Seu ministério na Terra. Deus, em Seu infinito amor e misericórdia, cuidou de Seu povo durante esse tempo difícil, dando sustento e nutrição espiritual. Assim como Jesus, o povo pode ter sofrido e enfrentado a morte. O próprio Jesus nos advertiu sobre a perseguição que iríamos sofrer por seguir Sua Palavra: "Tratarão assim vocês por causa do meu nome, pois não conhecem aquele que me enviou. Se eu não tivesse vindo e lhes falado, não seriam culpados de pecado. Agora, contudo, eles não têm desculpa para o seu pecado. Aquele que me odeia, também odeia o meu Pai. Se eu não tivesse realizado no meio deles obras que ninguém mais fez, eles não seriam culpados de pecado. Mas agora eles as viram e odiaram a mim e a meu Pai. Mas isto aconteceu para se cumprir o que está escrito na Lei deles: ‘Odiaram-me sem razão’. Quando vier o Conselheiro, que eu enviarei a vocês da parte do Pai, o Espírito da verdade que provém do Pai, ele testemunhará a meu respeito. E vocês também testemunharão, pois estão comigo desde o princípio." (João 15:21-27, NVI). Devemos continuar a testemunhar e viver de acordo com as instruções de Deus. Devemos confiar que Deus continuará a nos nutrir aqui na Terra, enquanto Ele está preparando um lugar para nós no céu. Jesus disse: "Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo." (João 16:33, NVI).

5 And she brought forth a male child, who was to rule all nations with a rod of iron: and her child was caught up unto God, and to his throne.

6 And the woman fled into the wilderness, where she has a place prepared by God, that they should feed her there a thousand two hundred and three score days.

 

PART 3

 

*** Background ***: The woman was in labor. She was about to give birth and the dragon was standing in front of her, waiting for the child to be born. The dragon wanted to destroy the child. (Revelation 12:1-4). As we saw in the previous two studies, the pregnant woman is the Israel church. It was from that nation that the Messiah would be born. The dragon is Satan, waiting for the Messiah to be born. He wanted to place his attack as soon as possible.

*** The child was born ***: As prophesied, a male child was indeed born. There are many prophecies in the Bible concerning the birth of Christ such as the ones we see in Micah 5:2-4; Isaiah 7:14. "And there shall come forth a rod out of the stem of Jesse, and a Branch shall grow out of his roots. But with righteousness shall he judge the poor, and decide with equity for the meek of the earth: and he shall strike the earth with the rod of his mouth, and with the breath of his lips shall he slay the wicked." (Isaiah 11:1-4). Isaiah 9:6 says: "For unto us a child is born, unto us a son is given: and the government shall be upon his shoulder: and his name shall be called Wonderful, Counselor, The mighty God, The everlasting Father, The Prince of Peace." Jesus is the male child Revelation 12:5 is referring to. Christ is the fulfillment of the first prophecy about the messiah written in Genesis 3:15 (see study #78).

*** He would rule the nations with a rod of iron ***: In order to understand this verse, we need to look at a few verses in the Bible. There are three important elements in this section of Revelation 12:5: "the male child", "the nations", and the “rod of iron". Let's read Psalm 2:7-12:

"I will declare the decree: the LORD has said unto me, You are my Son; this day have I begotten you. Ask of me, and I shall give you the nations for your inheritance, and the uttermost parts of the earth for your possession. You shall break them with a rod of iron; you shall dash them in pieces like a potter's vessel. Be wise now therefore, O you kings: be instructed, you judges of the earth. Serve the LORD with fear, and rejoice with trembling. Kiss the Son, lest he be angry, and you perish in the way, when his wrath is kindled but a little. Blessed are all they that put their trust in him."

The male child: All the verses we are studying point to Jesus as the male child. The Bible leaves no doubt about the interpretation of this first element.

The nations: In this text of Psalm2:7-12, we see the same three elements of Revelation 12:5: the son, the nations, and the rod of iron. In this Psalm, we learn that the Son will break the nations unless they repent and decide to serve the Lord (Psalm 2:11). Now we know that 'the nations' are those people who do not yet serve God.

The rod of iron: The rod is the instrument Christ would use to break the nations, so they could see clearly the decision they have to make: to trust Him or not (Psalm 2:12). Revelation 19:15 tells us what is this rod of iron that He uses on the nations: "And out of his mouth goes forth a sharp sword, that with it he should smite the nations: and he shall rule them with a rod of iron: and he treads the winepress of the fierceness and wrath of Almighty God." The Rod of iron is the sharp sword that comes out of Jesus' mouth. Remember John's description of the glorified Christ in Revelation 1:16? And how Jesus introduced Himself to the church of Pergamum in Revelation 2:12? Jesus has a sharp sword that comes out of His mouth. He uses it to smite the nations and bring them to repentance. This sword is the Word of God, which is now contained in the Bible. Hebrews 4:12 says: "For the word of God is living, and powerful, and sharper than any two-edged sword, piercing even to the dividing asunder of soul and spirit, and of the joints and marrow, and is a discerner of the thoughts and intents of the heart." (See studies #9, #17 and #18).

*** The child was caught up unto a God ***: At a first glance, it seems that the child was born and was immediately caught up to God as a baby. But when we look closely to Revelation 12:5, we start to see the progression of events. The Messiah was born into the Jewish nation. He then spread His Truth during His ministry, calling people to repentance. Finally, he died and resurrected. He went back to Heaven and was caught up to the Father and His throne. In Revelation 4 and 5 (studies #28-36), we see Christ’s arrival in Heaven, as the Lamb who was slain. He was worthy to sit down on the throne, at the right side of the Father. The expression "caught up unto God" reminds us of another expression we see in Daniel 9:26, where the "Messiah [would be] be cut off, but not for himself". This verse in Daniel is talking about the time when Christ would die, sealing the fate of sin forever.

*** What happened to the woman after she gave birth ***: Revelation 12:6 says: "And the woman fled into the wilderness, where she had a place prepared by God, that they should feed her there a thousand two hundred and three score days." It is clear that after giving birth the woman ran away from the dragon. But what does that mean? As we've mentioned many times before, in Bible analogies, 'woman' is always a reference to the church. The pregnant woman was a reference to the Israel church. Christ was born from the line of David, from the tribe of Judah (Matthew 1:1-2). The woman after she gave birth still continues to be a symbol for God's church. But keep in mind that she became a symbol for the church of a different time period from the one when she was pregnant. We saw that the son had returned to Heaven by the time the woman ran away from the dragon. At that point, God's church was not made up of Israelites alone. Anyone who accepts Jesus becomes part of God's family. "For you are all the children of God by faith in Christ Jesus. For as many of you as have been baptized into Christ have put on Christ. There is neither Jew nor Greek, there is neither bond nor free, there is neither male nor female: for you are all one in Christ Jesus. And if you are Christ's, then are you Abraham's descendants, and heirs according to the promise." (Galatians 3:26-29). Revelation 12:6 is not a reference to the original Israel church. After Christ's death, anyone who accepts Him as Savior can be included. The woman after giving birth is a symbol for the worldwide Church. This Church is formed by those who remain faithful to the iron rod message of Jesus.

She fled to the wilderness: The dragon was now persecuting the woman in such intensity that she needed to run away into the wilderness. The Christian church had to run away just like the ancient Israelites had to flee from Egipt into the wilderness (Exodus 13:17; Exodus 16:21). And just as God had provided a land for the Israelites, He had also prepared a place for the woman. This period of hardship would last for 1260 days (Revelation 12:6). Once again, we see this prophetic time period. We saw this period in Revelation 11:2-3 when the faithful people of God (represented by the two witnesses prophesying in sackcloth) suffered oppression in the hand of those who do not follow God's Truth (see studies #16, #20, #68, #71 and #72). Revelation 12:14 makes it clear that this period of 1260 prophetic days (or 3.5 prophetic years, which equals to 1260 literal years) is identical to the expression "time, times, and half a time": "And to the woman were given two wings of a great eagle, that she might fly into the wilderness, into her place, where she is nourished for a time, and times, and half a time, from the face of the serpent". Daniel 7:25 also talks about this, when he mentions a power that would "wear out the saints of the most High" for "a time, times and half a time". (See also Daniel 12:7).

All of these references to 1260 years seem to point to the same period of time. The focus of this passage in Revelation is not on the exact length of time the Church would suffer, but that God would protect His faithful people from spiritual death. This period corresponds to the Dark Ages, a time when Christians suffered terribly. We know that this period was to end before the Second Coming of Jesus. This is because after this initial persecution, he would go on to persecute "the remnant of her offspring" (Revelation 12:17).

*** Overview ***: The emphasis of Revelation 12:5 seems to be in the fact that the Messiah completed His mission. The dragon was powerless and unable to devour the Son in any point of Christ's life on Earth. The dragon was ready to devour, and yet, the Son came and went flawlessly. After Jesus's death and resurrection, the identity of the faithful church changed. It was no longer a matter of being genetically linked to Abraham. The connection now was done through Christ's blood. Anyone who truly accepts Him becomes part of the Church. After giving birth, the woman became a symbol for the Christian Church. Christians suffered terrible persecution during the Dark Ages, a period that lasted about 1200 years. This time of suffering parallels the 3.5 years Christ suffered during His ministry on Earth. God, in His infinite love and mercy, cared for His people during that difficult time, by sustaining and nourishing them spiritually. Like Jesus, they may have suffered and faced death. Jesus warned us about the persecution we would suffer for following His Word: "But they will treat you like this on account of My name, because they do not know the One who sent Me. If I had not come and spoken to them, they would not be guilty of sin. Now, however, they have no excuse for their sin. Whoever hates Me hates My Father as well. If I had not done among them the works that no one else did, they would not be guilty of sin; but now they have seen and hated both Me and My Father. But this is to fulfill what is written in their Law: ‘They hated Me without reason.’ When the Advocate comes, whom I will send you from the Father—the Spirit of truth who goes out from the Father—He will testify about Me. And you also must testify, because you have been with Me from the beginning.” (John 15:21-27, Berean Study Bible). We must keep on testifying and live according to God's instructions. We must trust that God will continue to nourish us here on Earth while He is preparing a place for us in Heaven. Jesus said: "These things I have spoken to you, so that in Me you may have peace. In the world you have tribulation, but take courage; I have overcome the world". (John 16:33, New American Standard Bible).

3 E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas.

4 E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho.

 

PARTE 2

 

*** O segundo sinal: um grande dragão vermelho ***: A descrição do segundo sinal segue o mesmo padrão do primeiro (estudo #78). João vê um símbolo, ele descreve o símbolo e a situação em que o símbolo é encontrado. O segundo símbolo é um grande dragão vermelho. Esta não é a primeira vez na Bíblia em que um animal terrível é o símbolo de um inimigo do povo de Deus. Encontramos dois monstros marinhos no Antigo Testamento, Leviatã, e Raabe (algumas versões traduzem como crocodilo, monstro do mar, e Gabarola). Esses dois animais são um símbolo usado para se referir ao Faraó do tempo de Israel antigo (Leviatã: Salmo 74:14; Isaías 27:1; Raabe: Salmo 89:10; Isaías 30:7; Isaías 51: 9). Existem também outras referências a monstros utilizados como símbolos de Babilônia (Jeremias 51:34), e Faraó (Ezequiel 29:3; Ezequiel 32:2). A cor vermelha era frequentemente utilizada como a cor do derramamento de sangue (2 Reis 3:22-23; Naum 2:3); e do pecado (Isaías 1:18). Esta cor é também associada com a besta (Apocalipse 17:3); uma prostituta vestida de escarlate que “tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua fornicação”, e com “a mulher [que] estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus" (Apocalipse 17:4, 6). Nem todas as menções à cor vermelha, no entanto, estão ligadas ao pecado e símbolos malignos. Números 19:2 nos diz que Deus ordenou aos israelitas que trouxessem uma “uma novilha ruiva, que não [tivesse] defeito, e sobre a qual não [tivesse] sido posto jugo”. Eles a trouxeram ao sacerdote, para que ele pudesse oferecê-la como um sacrifício a Deus. E assim, vermelho também era associado com sacrifício. Em Apocalipse 6:4, vimos um cavalo vermelho, vindo do Céu, indo para a Terra, representando a oportunidade que as pessoas têm de se apresentarem a Deus, redimidas pelo sangue de Jesus (veja o estudo #39). No entanto, o símbolo usado em Apocalipse 12:3 não parece indicar que o vermelho está sendo usado como símbolo de redenção, porque é uma referência ao dragão. O significado parece se encaixar melhor com o derramamento de sangue, o pecado e abominação. Por quê essa conclusão? Porque a Bíblia é muito clara sobre quem o dragão é: “a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo” (Apocalipse 12:9).

*** A aparência do dragão ***: Além de ser vermelho, o dragão tem uma aparência muito estranha. Ele tem “sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas”. Temos aqui mais símbolos que explicam outros símbolos. Então, vamos por partes, a fim de entendermos melhor esse texto.

Sete cabeças e dez chifres: Esta expressão é tirada do livro de Daniel. Daniel recebeu uma visão sobre os reinos da terra que se seguiriam após a queda do Império Romano (Daniel 7:7-8). O anjo explicou a Daniel: “Quanto aos dez chifres, daquele mesmo reino se levantarão dez reis; e depois deles se levantará outro, o qual será diferente dos primeiros, e abaterá a três reis.” (Daniel 7:24-25). Com o desaparecimento do Império Romano por volta do ano 476 DC, dez tribos surgiram na Europa, e tomaram conta do território romano. Essas tribos eram os: ostrogodos, visigodos, francos, vândalos, alamanos, suevos, anglo-saxões, hérulos, lombardos, e burgúndios. Assim como a profecia de Daniel havia predito (Daniel 7:8; Daniel 7:24), sete delas permanecem até hoje, mas três foram destruídas. As tribos restantes se tornaram alguns dos países europeus que temos nos tempos modernos. O Francos se tornaram o povo francês, os alamanos se tornaram os alemães, os anglo-saxões se tornaram o povo inglês, os lombardos se tornaram os italianos, os suevos se tornaram o povo português, os visigodos se tornaram os espanhóis, e os burgúndios se tornaram os suíços. As três tribos extintas são os hérulos, vândalos e ostrogodos. Em Apocalipse 12:3, o dragão tem sete cabeças e dez chifres. Há mais chifres do que cabeças. Os dez chifres são provavelmente uma referência aos dez chifres vistos originalmente em Daniel 7:7, antes de três serem destruídos. As sete cabeças restantes parecem ser uma referência para as sete potências europeias que permaneceram. Apocalipse está ligando essas tribos europeias ao dragão vermelho, indicando que estavam ocorrendo atividades satânicas naquela região. É importante distinguir as atividades satânicas dos cidadãos desses países. De nenhuma maneira a Bíblia está chamando os cidadãos desses países de pessoas más. O livro de Apocalipse retrata sistemas, poderes organizados de governo. Apocalipse não é um livro sobre um ser humano em específico.

Sete coroas sobre a cabeça: A palavra usada para coroa aqui é diadema, que é diademata em grego. Esta coroa é muito diferente da coroa da vitória (stephanos) que a mulher grávida estava usando em Apocalipse 12:1. O diadema é uma coroa real, como as muitas coroas (diademas) sobre a cabeça de Jesus em Apocalipse 19:12-16. Satanás, o dragão, está aqui se apresentando como o único digno de usar a coroa real. O objetivo de Satanás, desde o início, era “subir acima das alturas das nuvens” e “ser como o Altíssimo” (Isaías 14:14). O dragão se posicionou por trás dos poderes da Terra, como uma figura de autoridade, tendo como objetivo oprimir o povo de Deus ao longo da história.

*** A situação ***: Apocalipse 12:4 descreve a situação em que o dragão é encontrado. Mais adiante neste capítulo, o texto irá expandir mais a respeito da primeira parte do verso, onde diz: “E a sua cauda arrastava a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra”. Os eventos descritos na primeira metade de Apocalipse 12:4 levaram aos acontecimentos descritos na segunda metade do verso: “e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho.

E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu: No estudo das trombetas (#57, #58 e #59), vimos como o exército de gafanhotos tinha caudas venenosas que atacavam as pessoas a nível espiritual. A Bíblia diz: “o profeta que ensina a falsidade é a cauda”, e ele será cortado do meio do povo de Deus (Isaías 9:14,15). As mentiras do dragão enganaram um terço das estrelas do céu. A expressão 'estrelas é usada em Apocalipse como um símbolo para mensageiros (Apocalipse 1:20), neste caso, mensageiros celestes: anjos. No estudo das trombetas, vimos o exército satânico pronto para atacar e torturar aqueles que não têm o selo de Deus (Apocalipse 9:4, estudo #58). O ataque dos gafanhotos descrito em Apocalipse 9 atinge aqueles que rejeitam o puro Evangelho (na era cristã). Em Apocalipse 12, o exército está pronto para atacar o filho da mulher, assim que ele nasce. Os eventos descritos nos primeiros versos de Apocalipse 12 aconteceram antes e durante a primeira vinda do Messias, ou seja, antes do ataque dos gafanhotos sobre os ímpios. A queda de Lúcifer e seus anjos, do Céu, o levou ao seu primeiro ataque aos seres humanos. No Jardim do Éden, Lúcifer, que se tornou Satanás, enganou Eva e a convenceu a comer do fruto proibido (Gênesis 3). Os julgamentos contidos nas primeiras quatro trombetas são sempre direcionados a apenas um-terço da Terra (Apocalipse 8:7-13), e não a todo o planeta. Quando o antigo Israel se voltou para o paganismo e desobediência, Deus usou seus profetas para enviarem a mensagem a respeito dos juízos de Deus que cairiam sobre eles. Esses julgamentos deveriam afetar um-terço da nação (Ezequiel 5:11-12; Zacarias 13:8-9). A expressão de ‘um-terço' é usada para se referir a um grupo de seres que se opõem à verdade Deus e se colocam ao lado dos falsos ensinamentos de Satanás. Em outras palavras, a primeira metade de Apocalipse 12:4 diz que as mentiras de Satanás enganaram uma parte considerável dos anjos celestiais, mas não toda a população angelical. Satanás e os anjos que se aliaram a ele foram lançados à Terra (Apocalipse 12: 9). Eles já não queria seguir o estilo de vida do Céu.

O dragão estava pronto para devorar a criança: Depois que Adão e Eva pecaram, Deus lhes deu a primeira promessa de um Salvador, que iria esmagar a cabeça da serpente, para resolver de uma vez por todas, o problema do pecado que havia entrado na Terra. Desde então, Satanás passou a esperar a vinda do Messias. Ele estava descontente com sua situação. Ele não mais possuía sua posição no céu, e então embarcou numa missão para enganar a criação preciosa de Deus, que Ele havia formado à Sua própria imagem e semelhança: os seres humanos. Desde o Éden, Satanás sabia que Deus enviaria alguém que seria capaz de infligir um ferimento mortal na sua existência. A cabeça do pecado seria permanentemente esmagada pela semente da mulher (Gênesis 3:15, veja Estudo #78 para obter os detalhes sobre esta promessa). Os ideais de Satanás de ser como Deus o corroeram de tal forma ao ponto de ficar diante da mulher, a igreja de Deus, pronto para atacar. Israel estava prestes a dar à luz ao Messias (veja o estudo #78 para ver os detalhes). A segunda parte do versículo nos dá a ideia de que Satanás estava esperando ansiosamente por esse momento. Ele estava preparando um ataque. Ele estava pronto para tragar a criança, e tinha um plano para derrotar o Messias.

*** Visão Geral ***: A rebelião de Lúcifer contra Deus levou à propagação de grandes mentiras no céu. Lúcifer conseguiu enganar um número significativo de anjos e os convenceu a se juntarem à sua causa. Lúcifer tornou-se o dragão, a antiga serpente, o pai da mentira (Apocalipse 12:9). Ele passou a lançar suas mentiras sobre os seres humanos. Ele esperou pelo momento em que Deus enviaria um Salvador para a Terra. O Redentor nasceria como um bebê. Um recém-nascido parecia ser um alvo fácil. Então Satanás se posicionou para atacadoras. Ele queria destruir o Messias antes que o Messias pudesse esmagar a cabeça da serpente. A fim de alcançar seu objetivo, Satanás infiltrou os poderes terrestres da época com suas mentiras e formas enganosas. Mas ele não percebeu que Deus já havia predito quão mal sucedido esse plano satânico seria - o filho da mulher, o Messias, sairia vitorioso e esmagaria a serpente de forma fatal. Não importa quão incansavelmente o dragão trabalhe em seus planos de ataque, seu fim já foi revelado ao Universo. Satanás será destruído para sempre (Apocalipse 20:10). Deus vai curar todas as cicatrizes causadas pelo pecado. “E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.” (Apocalipse 21:4). Cristo reinará por toda a eternidade (Apocalipse 11:15). Amém.

3 And there appeared another sign in heaven; and behold a great red dragon, having seven heads and ten horns, and seven crowns upon his heads.

4 And his tail drew the third part of the stars of heaven, and did cast them to the earth: and the dragon stood before the woman who was ready to be delivered, to devour her child as soon as it was born.

 

PART 2

 

*** The second sign: a great red dragon ***: The description of second sign follows the same pattern as the first sign (study #78). John sees a symbol; he describes the symbol and the situation in which the symbol is found. The second symbol is a great red dragon. This is not the first time in the Bible where a terrible beast is the symbol of an enemy of God’s people. We find two sea monsters in the Old Testament, Leviathan, and Rahab. These two beasts are a symbol used to refer to the Pharaoh from the time of the ancient Israel (Leviathan: Psalm 74:14; Isaiah 27:1; Rahab: Psalm 89:10; Isaiah 30:7; Isaiah 51:9). There are also other references to monsters used as symbols for Babylon (Jeremiah 51:34), and Pharaoh (Ezekiel 29:3; Ezekiel 32:2). The color red was often used as the color of bloodshed (2 Kings 3:22-23; Nahum 2:3); and of sin (Isaiah 1:18). This color is also associated with the beast (Revelation 17:3); a prostitute dressed in scarlet “having a golden cup in her hand full of abominations and filthiness of her fornication”, and “the woman drunken with the blood of the saints, and with the blood of the martyrs of Jesus" (Revelation 17:4,6). Not all mentions to the color red, however, are linked to sin and evil symbols. Numbers 19:2 tells us that God commanded the Israelites to bring a “red heifer without spot, wherein is no blemish, and upon which never came a yoke”. They were to bring it to the priest, so he could offer it as a sacrifice to God. And so, red was also associated with sacrifice. In Revelation 6:4, we had a red horse, coming from Haven, going to the Earth, representing the opportunity people have to present themselves to God, redeemed by the blood of Jesus (see study #39). The symbol used in Revelation 12:3, however, does not seem to indicate that the color red is being used as a symbol for redemption because it is a reference to the dragon. The meaning seems to fit more with bloodshed, sin, and abomination. Why this conclusion? Because the Bible is very clear about who the dragon is: “that old serpent, called the Devil, and Satan, who deceives the whole world” (Revelation 12:9).

*** What the dragon looks like ***: Besides being the color red, the dragon has a very strange appearance. It has “seven heads and ten horns, and seven crowns upon his heads.” We have here more symbols explaining another symbol. So, let's break it down in order to understand this text.

Seven heads and ten horns: This expression is drawn from the book of Daniel. Daniel received a vision about the kingdoms of the Earth that would follow after the demise of the Roman Empire (Daniel 7:7-8). The Angel explained to Daniel that “the ten horns out of this kingdom are ten kings that shall arise” (Daniel 7:24-25). With the fading away of the Roman Empire around the year 476 AD, ten tribes emerged in Europe, taking over what was once a united Roman territory. These tribes were: Ostrogoths, Visigoths, Franks, Vandals, Alemannians, Suevi, Anglo-Saxons, Heruli, Lombards, and Burgundians. Just as Daniel’s prophecy predicted (Daniel 7:8; Daniel 7:24), seven of these still remain to this day but three were destroyed. The remaining tribes evolved into some of the European countries we have in modern times. The Franks became the French, the Alemannians became the Germans, the Anglo-Saxons became the English, the Lombards became the Italians, Suevi became the Portuguese, the Visigoths became the Spanish, and The Burgundians became the Swiss. The three extinct tribes are the Heruli, Vandals, and Ostrogoths. In Revelation 12:3, the dragon has seven heads and ten horns. There are more horns than heads. The ten horns are likely a reference to the ten horns seen originally in Daniel 7:7, before three of them were destroyed. The seven remaining heads seem to be a reference to the seven remaining European powers. Revelation is linking those European tribes to the red dragon, indicating that satanic activities were taking place in that area. It is important to distinguish the satanic activities from the citizens of those countries. In no way is the Bible calling the citizens of a particular country evil. The book of Revelation deals with systems, ruling powers which exist in an organized fashion. Revelation is not a book about anyone specific human being.

Seven crowns upon his head: The word used for crown here is the word diadems, diadēmata in Greek. This crown is very different than the crown of victory (stephanos) the pregnant woman had in Revelation 12:1. The diadem is a royal crown, like the many crowns on Jesus’ head in Revelation 19:12-16. Satan, the dragon, is portraying himself as the one worthy to wear the royal crown. Satan's objective, from the beginning, was to “ascend above the heights of the clouds” and to “be like the most High” (Isaiah 14:14). The dragon positioned himself behind the powers of Earth, as an authority figure with the objective of oppressing God’s people throughout history.

*** The situation ***: Revelation 12:4 describes the situation the dragon is found. Later in this chapter, the text will expand more on the first portion of the verse, where it says: “And his tail drew the third part of the stars of heaven, and did cast them to the earth”. The events described in the first half of Revelation 12:4 led to the scene described in the second half: “and the dragon stood before the woman who was ready to be delivered, to devour her child as soon as it was born.

And his tail drew the third part of the stars of heaven: Going back to the study of the trumpets (#57, #58, and #59), we saw how the army of locusts had poisonous tails that attack people on a spiritual level. The Bible says: “the prophet that teaches lies, he is the tail”, and he will be cut off from among the people of God (Isaiah 9:14,15). The dragon’s lies deceived one-third of the stars of Heaven. Stars is used in Revelation as a symbol for messengers (Revelation 1:20), in this case, heavenly messengers: angels. In the study of the trumpets, we saw the satanic army ready to attack and torture those who do not have the seal of God (Revelation 9:4, study #58). The locust attack described in Revelation 9 is inflicted on those who reject the pure Gospel (Christian Era). In Revelation 12, that army is ready to attack the son of the woman, as soon as he is born. The events described in the first verses of Revelation 12 happen before the locust attack on the wicked, before and during the first coming of the Messiah. The fall of Lucifer and his angels from Heaven led to his first attack on humans, at the Garden of Eden. Lucifer, who became Satan, deceived Eve and convinced her to eat the forbidden fruit (Genesis 3). The judgments contained in the first 4 trumpets are always aimed at just one-third of the Earth (Revelation 8:7-13), never over all the planet. When the ancient Israel turned to paganism and disobedience, God used His prophets to deliver a message about God’s judgments that would fall over them. Those judgments were to affect one-third of the nation (Ezekiel 5:11-12; Zechariah 13:8-9). The expression one-third is used to refer to a group of beings that oppose God’s Truth and side with Satan's false teachings. In other words, the first half of Revelation 12:4 says that Satan’s lies deceived a considerable portion of the heavenly angels, but not the entire angelic population. Satan and the angels who sided with him were cast down to Earth (Revelation 12:9). They no longer wished to follow Heaven’s way of life.

The dragon was ready to devour the child: After Adam and Eve sinned, God gave them the first promise of a Savior, who would smash the head of the serpent, forever solving the sin problem that had entered the earth. Since then, Satan had been awaiting the coming of the Messiah. He was unhappy with his situation. He no longer held his position in Heaven and he had embarked on a mission to deceive God’s precious creation, who had been fashioned after God’s own image: humans. Since Eden, he had lived with the knowledge that God would send someone who would be able to inflict a deadly injury to his existence. The head of sin would be permanently crushed by the seed of the woman (Genesis 3:15, see study #78 for details on this promise). Satan’s ideals to be like God consumed him in such a way that led him to stand before the woman, God's church, ready to attack her. Israel was about to give birth to the Messiah (see study #78 for details). The second portion of the verse gives us the idea that Satan was eagerly waiting for that moment to happen. He was preparing an attack. He was ready to devour. He had a plan to defeat the Messiah.

*** Overview ***: Lucifer’s rebellion against God led to the spreading of great lies in Heaven. Lucifer managed to deceive a significant number of angels and convinced them to join his cause. Lucifer became the dragon, the old serpent, the father of lies (Revelation 12:9). He went on to cast his lies over the humans. He waited for the moment when God would send a Savior to Earth. The Redeemer would be born as a baby. A newborn seemed to be an easy target. So Satan positioned himself to attack. He wanted to destroy the Messiah before the Messiah could smash his head once and for all. Satan infiltrated the earthly powers of the time with his lies and deceptive ways, in order to achieve his goal. But he failed to realize that God had already foretold how successful Satan’s plan of attack would turn out to be: the Messiah would win and fatally crush the serpent. No matter how hard the dragon works on his plans of attack, his end has already been revealed to the Universe: Satan will be destroyed forever (Revelation 20:10). God will heal all the scars caused by sin. “And God shall wipe away all tears from their eyes; and there shall be no more death, neither sorrow, nor crying, neither shall there be any more pain: for the former things are passed away.” (Revelation 21:4). Christ will reign for all eternity (Revelation 11:15). Amen.

Page 4 of 22
   
© Hello-Bible 2016