Saturday, 03 September 2016 00:30

29. Ao redor do trono * Apocalipse 4:5-8

Written by

5  E do trono saíam relâmpagos, e trovões, e vozes; e diante do trono ardiam sete lâmpadas de fogo, as quais são os sete espíritos de Deus.

6  E havia diante do trono um como mar de vidro, semelhante ao cristal. E no meio do trono, e ao redor do trono, quatro animais cheios de olhos, por diante e por detrás.

7  E o primeiro animal era semelhante a um leão, e o segundo animal semelhante a um bezerro, e tinha o terceiro animal o rosto como de homem, e o quarto animal era semelhante a uma águia voando.

8  E os quatro animais tinham, cada um de per si, seis asas, e ao redor, e por dentro, estavam cheios de olhos; e não descansam nem de dia nem de noite, dizendo: Santo, Santo, Santo, é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, que era, e que é, e que há de vir.

 

*** Relâmpagos, vozes, e trovões ***: Os versos 2, 3, e 4 do capítulo 4 de Apocalipse, dão uma descrição detalhada do trono de Deus. No verso 5, começamos a ver algumas atividades importantes que acontecem na sala do trono. Lemos sobre os relâmpagos, trovões, e vozes que vêm do trono. Essa descrição nos faz lembrar da cena no Monte Sinai, quando Deus estava dando os Dez Mandamentos para Moisés (Êxodo 19:16; Êxodo 20:18). Esses não são os únicos momentos em que vemos a presença de Deus associada com trovões e relâmpagos. Podemos ver um relato semelhante em Jó 40:9; Salmo 77:18; Salmo 104:7; Ezequiel 1:13. A poderosa e ativa presença de Deus emana de Seu trono.

*** Sete lâmpadas de fogo ***: Em frente ao trono, estão sete lâmpadas. Essas lâmpadas estão acesas, e são os sete Espíritos de Deus. A palavra grega usada para 'lâmpada' nesse verso, é a palavra lampade, que se refere a uma lamparina com um pavio, e óleo. Em Zacarias 4, vemos sete lâmpadas, que eram os olhos do Senhor “que percorrem por toda a Terra” (Zacarias 4:10). Em Apocalipse 5:6, lemos que os sete Espíritos são sete olhos enviados por toda a Terra. Como vimos no estudo #5, os sete Espíritos de Deus são a perfeita representação do Espírito Santo. Ele está presente ali, diante do trono.

*** O mar de vidro ***: João menciona o mar de vidro em Apocalipse 4:6 e em Apocalipse 15:2. Aqui, no capítulo 4, ele descreve esse elemento como estando em frente ao trono. Ele o compara com três coisas: mar, vidro, e cristal. O mar dá a ideia de água e movimento. O vidro e o cristal são objetos sólidos e estáticos. Todos três têm uma qualidade de transparência, e podem refletir a luz, dependendo de como ela atinge a superfície do objeto. Não ficou claro se o vidro está servindo para descrever uma superfície lisa e plana, ou para indicar uma área texturizada como cacos de vidro. Apocalipse 15:2 traz ainda mais uma comparação: fogo. João diz que ele viu “algo semelhante a um mar de vidro misturado com fogo”. Algumas traduções falam que o povo vitorioso estava de pé “junto ao mar de vidro”. Mas, o original em Grego, diz que o povo estava de pé no mar de vidro. No capítulo 4, os salvos ainda não estão no céu. O fogo, apesar de presente, representando o Espírito Santo diante do trono do Pai, não é mencionado como sendo parte do mar de vidro nessa hora. Levando-se em conta a linguagem do Santuário, a água estava presente, na bacia de bronze. A bacia era também chamada de mar (2 Reis 25:13-16; 1 Crônicas 18:8; 2 Crônicas 4:6; Jeremias 52:17,20). O sacerdotes tinham que se lavar antes dos sacrifícios, e antes de entrarem na Tenda do Encontro. Isso era um símbolo do batismo, como vimos no estudo #9. Em Mateus 3:11, lemos as palavras de João Batista a respeito de Cristo: “E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; cujas alparcas não sou digno de levar; ele vos batizará com o Espírito Santo, e com fogo.” Daniel * 7:10 menciona um rio de fogo que emana do trono de Deus. É interessante notar que em Apocalipse 15:2, quando os salvos estão de pé no mar de vidro, fogo está misturado ali. Mas no capítulo 4, que é a cena que acontece antes dos remidos chegarem, o fogo é descrito em separado. Muito provavelmente, essa não é uma combinação literal de mar, vidro, ou fogo. O mar de vidro parece ser um local difícil de ser descrito. O ponto é que, ele marca uma área importante diante do trono de Deus, onde os vencedores irão estar um dia.

*** Os quatro seres viventes ***: Esse não é o único momento em que esses seres aparecem em Apocalipse. Eles estão sempre perto do trono de Deus, rendendo louvores e O servindo (Apocalipse 4:6,8-9; Apocalipse 5:6,8-9,14; Apocalipse 6:1,3,5-7; Apocalipse 14:3; Apocalipse 19:4). Essa também não é a primeira vez eles são mencionados na Bíblia. Podemos ler a respeito deles em Ezequiel 1:5-10; Ezequiel 10:12,14,20-22; Isaías 6:2-3. Eles nos lembram os querubins dourados na Arca do Concerto, no Santuário Terrestre (Êxodo 25:18-21; 1 Reis * 6:23-28). A imagem de Deus sentado entre querubins é vista também em outras passagens do Antigo Testamento (2 Reis * 19:15; Salmo 80:1; Salmo 99:1; Isaías 37:16). Isaías os chama de serafins, e diz que eles O louvam, dizendo “Santo, santo, santo, é o Senhor dos Exércitos” (Isaías 6:2-3). Em Apocalipse 4:8, João nos diz que eles não descansam nem de dia, nem de noite, e permanecem louvando a Deus continuamente, dizendo “Santo, santo, santo é o Senhor, o Deus todo-poderoso, que era, que é e que há de vir.” Tanto em Isaías quanto em Apocalipse, vemos esses seres louvando a Trindade.

- Cheio de olhos, tanto ao redor como por dentro; tinham seis asas e quatro faces diferentes: Ezequiel 10:12 os descreve como sendo cheio “de olhos ao redor”. Ele diz também que cada um deles tem 4 faces: como a de um homem, de um leão, de um boi, e de uma águia (Ezequiel 1:5-10). Ezequiel viu um ser com quatro faces, e João viu quatro seres, cada um com uma face diferente (Apocalipse 4:7). Ezequiel deu uma descrição longa e detalhada sobre esses seres. Mas, aparentemente, para João, eles não eram o foco da cena, e talvez, apenas um lado de cada um desses seres estava sendo revelado para ele. Poderia ser também uma ordem diferente de anjos. Independente da anatomia específica desses seres, o papel que eles desempenham parece ser muito especial. Eles lideram o coro de louvor e adoração, e eles servem a Deus, literalmente bem de perto. Esses seres também estão envolvidos com a abertura dos primeiros quatro selos (Apocalipse 6:1-8). Existem muitas opiniões a respeito do que cada face representa. Pode ser que seja uma referência a sua força, serviço, inteligência, e rapidez. Pode ser também um símbolo das qualidades do caráter de Deus, incluindo Sua agilidade, habilidade de ver tudo e saber de tudo.

*** Visão Geral ***: Trovões e relâmpagos estavam saindo do trono de Deus. Isso quer dizer que o trono não estava vazio. A magnitude da Sua glória podia ser sentida, vista, e ouvida. O Espírito Santo estava também nessa cena, em toda Sua perfeição e plenitude, descrito como os sete Espíritos de Deus. Mas nem todos os membros da Trindade estavam presentes. Jesus não estava ali. Mesmo assim, as criaturas celestes perto do trono de Deus continuavam louvando a Trindade continuamente, ao dizerem: “Santo, santo, santo é o Senhor, o Deus todo-poderoso” (Apocalipse 4:8). Essa descrição se refere a um momento no qual nem Jesus e nem os remidos estavam presentes. Ninguém estava de pé no mar de vidro ainda. Baseado no que lemos no capítulo 4, podemos entender que isso acontece antes da Segunda Vinda de Cristo. Um momento em que Jesus não estava no Céu, mas em que o Espírito Santo estava. Na realidade, O Espírito Santo é onipresente. Sua presença na sala do trono não impede Suas atividades de acontecerem na Terra ao mesmo tempo. Mas para que João pudesse entender, assim como nós hoje também, a cena foi mostrada a João dessa maneira. Podemos entender que essa parte da visão parece descrever o que estava acontecendo no Céu antes da ascensão de Jesus. O capítulo 4 nos mostra como é a sensação de estar na presença de Deus.

   
Real time web analytics, Heat map tracking
© Hello-Bible 2016