Sunday, 26 November 2017 10:21

91. A besta que emerge do mar: guerreando contra as pessoas e quebrando a Lei de Deus * Apocalipse 13:7-10 - PARTE 6

Written by

7 E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação.

8 E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.

9 Se alguém tem ouvidos, ouça.

10 Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a paciência e a fé dos santos.

 

PARTE 6

 

*** Guerra contra os santos ***: No estudo anterior, aprendemos que as atividades blasfemas da besta são extensas. A besta que saiu do mar deseja ter na terra, autoridade semelhante a de Deus. Ela afirma ter o poder de mudar a lei de Deus, de mudar a forma como as pessoas compreendem quem Deus é, de impedir que as pessoas se conectem diretamente a Deus, e de decidir o destino das pessoas. Esse poder sobre os santos é destacado em Apocalipse 13:6 como blasfêmias da besta contra o povo de Deus, “os que habitam no céu”. Essa frase é uma boa ponte para versículo 7. O próprio dragão estava se preparando para guerrear contra o restante do povo fiel (Apocalipse 12:17), e agora a besta do mar se juntou ao dragão neste esforço, demonstrando ainda mais a sua aliança. Seu objetivo: derrotar as pessoas (Apocalipse 13:7). E assim, durante os quarenta e dois meses proféticos (1.260 anos literais durante a Idade Média), o povo de Deus foi oprimido e sofreu tremendamente nas mãos dos poderes político-religiosos da época (veja os estudos #16, #20, #68, #71, #72, #80 e #85).

*** Poder sobre todas as tribos, línguas e nações ***: Sabemos que o dragão tinha dado poder à besta que saiu do mar (Apocalipse 13:2), mas no verso 7 lemos a respeito de quão longe esse poder se estende. A besta que saiu do mar recebeu poder “sobre todas as tribos, línguas e nações.” (Apocalipse 13:7). O dragão quer que a besta do mar passe a competir pelo mesmo território reivindicado por Cristo. Quando estudamos a entronização de Cristo, em Apocalipse 5, vimos como os seres celestiais estavam louvando a Jesus porque Ele havia redimido os seres humanos através da Sua morte na cruz e tornado a salvação disponível para “toda tribo, e língua, e povo e nação” (Apocalipse 5:9). Essa mensagem de salvação deve ser pregada “aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo” (Apocalipse 14:6). Quando vemos essa comparação, podemos compreender a verdadeira natureza da missão da besta que saiu do mar: conquistar o território de Jesus com uma mensagem diferente - uma mensagem concorrente. Devemos ter em mente, em vista dessa grande área de atuação, que a besta pode usar diferentes meios para influenciar as pessoas a afastá-las da verdade. Muito do que é dito a respeito do trabalho da besta envolve aqueles que professam ser cristãos, mas a besta também recebeu domínio sobre aqueles que não pertencem à fé cristã. Nem todas as nações do mundo são cristãs, e o verso diz que a besta recebeu poder sobre todas as nações. Existem muitas maneiras de enganar as pessoas. E a besta, juntamente com o dragão estão trabalhando para manter tantas pessoas quanto possível, longe da verdade a respeito de Deus.

*** E todos os que habitam sobre a terra adoraram a besta ***: Apocalipse 13:3-4 nos diz que quando o ferimento mortal sarar completamente, o povo da terra adorará a besta que saiu do mar e ao dragão. Em Apocalipse 13:8, no entanto, vemos a esperança que neutraliza o tamanho assustador do campo de operação da besta. Mesmo que a besta esteja trabalhando para enganar a todos no planeta, apenas aqueles cujos nomes não estão escritos no livro da vida de Jesus irão cair nos truques da besta e adorar a besta e o dragão. Aqueles que acreditam em Jesus e aceitam a verdade inalterada de Deus serão incluídos no livro da vida de Jesus. De acordo com o Salmo 69:28, esse livro é onde os nomes das pessoas justas são escritos. Cabe a cada um de nós escolher se queremos ou não, ter o nome removidos desse livro. A Bíblia diz que “E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.” (Apocalipse 22:19). Em outras palavras, se alguém pregar uma mensagem que é contrária ao que está contido na Bíblia, Deus irá remover seu nome do livro da vida. É dessa forma, com muita seriedade, que Deus leva em consideração o nosso livre arbítrio. Somos livres para escolher se queremos ou não ser incluídos no livro de Deus. Ao escolhermos adorar a Deus e amá-Lo de verdade, então, estamos assim escolhendo fazer parte do Seu livro. Se, porém, optarmos por adorar e seguir a besta, então, estaremos com isso, solicitando que nossos nomes sejam removidos do livro da Vida.

Note que há algo especial a respeito do livro da vida. Ele pertence ao “Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.” (Apocalipse 13:8). Isto é importante porque torna claro que nós dependemos de Jesus a fim de sermos salvos. Ninguém mais tem o poder de conceder salvação às pessoas. Somente o sacrifício de Jesus tem poder para nos salvar, e Ele deu a Sua vida sem nenhum custo para nós. Não há nada que possamos fazer ou adicionar ao sacrifício de Jesus que poderia aumentar nossas chances de salvação. Tudo o que tinha que ser feito já foi feito. Ele está oferecendo seu trabalho, sua vida, sua morte e sua ressurreição em troca da nossa aceitação do Seu sacrifício. Não existem trabalhos extras que poderíamos fazer que ajudariam a completar Sua graça salvadora. Sua graça já é perfeita e completa. Tudo o que temos a fazer é dizer sim e segui-Lo. Quaisquer boas obras que fizermos depois do nosso encontro com Cristo serão uma consequência dos Seus poderes de transformação em nossas vidas. Não há necessidade de oferecermos a Ele nossas penitências em troca de perdão ou salvação. A Bíblia diz: “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” (Romanos 5:8). “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16). Deus já tinha um plano de salvação estabelecido desde a fundação da terra. Os seres humanos nem haviam ainda feito nenhum trabalho, bom ou mau, quando Jesus decidiu que iria oferecer Sua própria vida por nós. Isso nos mostra quão profundo é o Seu amor.

*** Você está prestando atenção? ***: Aqui está um chamado muito semelhante ao que vimos nas sete cartas às sete igrejas em Apocalipse 2-3: “Se alguém tem ouvidos, ouça” (Apocalipse 13:9). Jesus está nos chamando para prestar muita atenção na mensagem que Ele está enviando ao seu povo. A mensagem não é sobre como devemos ter medo da besta, do dragão, ou do seu poder. O ponto principal não é o que a besta pode fazer contra nós, mas o que Deus vai fazer com a besta e o dragão no final. A opressão e perseguição contra o povo fiel de Deus são temporárias, mas a destruição de Satanás e de seus aliados é certa e permanente. Apocalipse 13:9 é um chamado para prestar atenção na mensagem no verso 10, que se refere ao sofrimento mencionado nos versículos anteriores: “Se alguém é para o cativeiro, para o cativeiro vai: se alguém matar à espada, é necessário que seja morto à espada. Aqui está a perseverança e a fé dos santos.” (Apocalipse 13:10, Sociedade Bíblica Britânica)

- "Se alguém é para o cativeiro, para o cativeiro vai": Esta declaração é direcionada aos fiéis de Deus. O verso nos lembra do que Jesus disse: “Mas importa que o evangelho seja primeiramente pregado entre todas as nações. Quando, pois, vos conduzirem e vos entregarem, não estejais solícitos de antemão pelo que haveis de dizer, nem premediteis; mas, o que vos for dado naquela hora, isso falai, porque não sois vós os que falais, mas o Espírito Santo. E o irmão entregará à morte o irmão, e o pai ao filho; e levantar-se-ão os filhos contra os pais, e os farão morrer. E sereis odiados por todos por amor do meu nome; mas quem perseverar até ao fim, esse será salvo.“ (Marcos 13:10-13). Também somos lembrados de Apocalipse 12:11: “E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte.” Nós não devemos nos surpreender se formos confrontados com sofrimento, perseguição, ou até mesmo morte por causa da nossa decisão de ir contra qualquer coisa diferente do que Deus nos ordenou na Bíblia. Se, a fim de permanecermos fiéis tivermos que enfrentar o cativeiro, então será preferível enfrentar a prisão do que abandonar os princípios de Deus.

- “Se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto": Esta declaração é direcionada aos perseguidores e destaca como será o seu fim: a morte. Esta tradução é encontrada nas versões da Bíblia como King James, Almeida Corrigida e Revisada Fiel, com base no Códice Sinaiticus do 4º século. Algumas outras traduções da Bíblia incluem a segunda declaração no mesmo formato da primeira, como se fosse dirigida ao povo de Deus: “Se alguém há de ser morto à espada, à espada haverá de ser morto” (NVI). Essas traduções são baseadas em outros manuscritos como o Códice Alexandrino do século 5, e estão incluídos em versões como a Nova Versão Internacional, entre outras. A tradução baseada no Códice Sinaiticus parece corresponder mais de perto às palavras de Jesus em Mateus 26:52: “Então Jesus disse-lhe: Embainha a tua espada; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão.” Jeremias 15:1-2 e Jeremias 43:11 trazem um aviso semelhante ao povo apóstata e aos opressores do povo de Deus. Com base nesses outros versículos da Bíblia, podemos entender que, mais provavelmente, a segunda declaração em Apocalipse 13:10 é dirigida àqueles que estão perseguindo povo fiel de Deus; àqueles que trazem o cativeiro e a morte. Seu fim é certo, e foi determinado por Deus. Deus trará um fim à injustiça e ao mal.

- “Aqui está a paciência e a fé dos santos”: O povo de Deus não é chamado para pegar a espada e revidar com luta. Os fiéis são chamados a suportar as provações e perseguições. Eles estão sendo chamados a ter fé e a confiar que Deus está no controle. Mesmo que se encontrem do outro lado da espada da besta, os filhos de Deus são chamados a confiar na espada de Deus, a espada que sai da boca de Jesus (Apocalipse 1:16). Sua espada é a Sua verdade, contida na Bíblia. A verdade sai da Sua boca, não sai da boca de homens que procuram mudar a mensagem, a fim de adequá-la a seus próprios propósitos. Cristo nos chama a perseverar até o fim: “mas quem perseverar até ao fim, esse será salvo.” (Marcos 13:13). Somos capazes de suportar não porque haja qualquer força em nós mesmos, mas porque há força na Palavra de Deus, e porque aqueles que suportam têm fé: “Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” (Apocalipse 14:12).

*** Quebrando a Lei de Deus ***: A besta que saiu do mar recebeu um poder muito vasto. Poder para enganar o mundo inteiro. Não apenas aqueles que professam ser cristãos e podem ser contaminados por mensagens alteradas. A besta tem o objetivo de enganar o mundo inteiro, dentro e fora da igreja, através de qualquer meio necessário. A besta que saiu do mar está buscando culto e uma posição equivalente à Deus. Este comportamento vai diretamente contra o 1º e 2º mandamentos de Deus (Êxodo 20:1-6), que dizem que não devemos ter outros deuses além do Deus no céu, e que não devemos criar ou servir a outros deuses. Como a besta prega doutrinas falsas para o mundo, deturpando o caráter de Deus, a besta também está quebrando o 3º mandamento (Êxodo 20:7), que diz que não devemos tomar o nome de Deus em vão. A Bíblia diz que o poder político-religioso do tempo do fim iria procurar “mudar os tempos e a lei” (Daniel * 7:25), e o quarto mandamento (Êxodo 20: 8-11) é o único dos dez que tem a ver com tempo. O verso fala sobre o momento especial que o próprio Deus escolheu como Seu santo dia e como um memorial para a conexão que Ele estabeleceu com Seu povo. O quarto mandamento começa dizendo “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus [...]” (Êxodo 20: 8-10). A Bíblia nos ensina a guardar o sétimo dia. O próprio Jesus guardou o sétimo dia (Lucas 4:16; Mateus 12: 8). Como seguidores de Cristo, não deveríamos também fazer o mesmo? Os cristãos do primeiro século guardavam o sábado (Lucas 23: 52-56; Atos 13:42,44; Atos 15:21; Atos 16:13; Atos 17: 2-3; Atos 18: 4). Paulo nos adverte contra a desobediência ao quarto mandamento e nos convida para entrar no descanso de Deus: “Assim, ainda resta um descanso sabático para o povo de Deus; pois todo aquele que entra no descanso de Deus, também descansa das suas obras, como Deus descansou das suas. Portanto, esforcemo-nos por entrar nesse descanso, para que ninguém venha a cair, seguindo aquele exemplo de desobediência.” (Hebreus 4:9-11, NVI).

Ao escolherem ir diretamente contra as instruções do Pai Celeste, Satanás e seus agentes estão quebrando o 5º mandamento (Êxodo 20:12), que requer obediência aos pais. Apocalipse 13:7 nos diz que a besta e o dragão estão travando uma guerra contra o povo de Deus. Eles querem evitar que as pessoas recebam a vida eterna. Através de perseguição, prisão e até mesmo morte, o dragão e a besta fazem tudo o que podem para manter as pessoas afastadas do Doador da Vida. Ao fazerem isso, eles quebram o 6º mandamento (Êxodo 20:13), que diz: “Não matarás”. Jesus disse que Satanás foi um “homicida desde o princípio” (João 8:44). Satanás quer fazer a Igreja se afastar de seu Noivo, Jesus Cristo, e quer fazer com que ela escolha traí-Lo ao acreditar nos falsos ensinamentos do dragão. Essa associação entre Satanás e a Igreja tem a intenção de quebrar o 7º mandamento (Êxodo 20:14), que adverte contra o adultério. O dragão pretende roubar a noiva de Deus e mantê-la para si mesmo. Não porque ele ama a noiva, mas porque ele odeia a Deus. Satanás está em busca de vingança contra Deus ao tentar tirar a Igreja das mãos de Deus. Nesse processo, ele quebra o 8º mandamento (20:15), que diz “Não furtarás”.

Além disso, o dragão, e agora também a besta, vêm espalhando mentiras sobre o caráter de Deus desde o princípio! Jesus chamou Satanás de o pai da mentira (João 8:44). Os falsos ensinos que saem da sua boca são a sua arma mais forte nesta guerra espiritual. O 9º mandamento (Êxodo 20:16) nos adverte contra esse comportamento. Devemos procurar ser como o Pai Celestial e não como o pai da mentira. Toda essa rebelião contra Deus começou porque Satanás desejou ascender acima das estrelas de Deus e ser semelhante ao Altíssimo (Isaías 14:13-14). Satanás cobiçou a casa de Deus, Sua noiva, Seus servos e Seus pertences. Satanás colocou a si próprio no centro de sua vida e acabou esquecendo seu propósito como anjo e ser criado. Ao fazer isso, ele acabou quebrando o 10º mandamento (Êxodo 20:17), que nos adverte contra a cobiça daquilo que não nos pertence. Ao dragão e seus agentes seguirem quebrando cada um dos mandamentos de Deus, eles trabalham para induzir as pessoas a imitarem seu exemplo. Isso acontece porque o quebrar da Lei envia uma mensagem clara. Uma mensagem sobre a falta de amor a Deus. Lembre-se do que Jesus disse: “Se me amais, guardai os meus mandamentos.” (João 14:15).

*** Visão Geral ***: O poder da besta que saiu do mar está nos chamando para não guardarmos os mandamentos de Deus, mas Jesus está nos chamando para seguirmos a Deus. Jesus nos advertiu: quem escolher seguir a Cristo seria odiado, rejeitado e perseguido, assim como Ele foi. As pessoas vão nos odiar e nos rejeitar quando pregarmos a mensagem inalterada da Bíblia. A besta que saiu do mar é quem está enganando as pessoas, fazendo com que pensem que os mandamentos de Deus são uma coisa do passado ou que acreditem que eles foram alterados. É verdade, nós não somos salvos pela lei, somos salvos pela graça através da fé (Efésios 2:8). Mas os mandamentos são importantes porque eles são como a luz do motor no painel de um carro, que acende quando há um problema e informa o motorista que ele precisa levar o carro ao mecânico. A luz de nosso motor espiritual nos diz que temos que buscar o único que pode nos consertar, que pode nos perdoar. Você consideraria reparar seu problema do motor removendo a luz do painel do carro? Não, nunca. Se optarmos por ignorar a nossa luz do motor, então não teremos como saber que precisamos do nosso Salvador Jesus Cristo. Assim como a luz no painel não pode corrigir o problema no carro ou evitar que o motor se quebre, os Dez Mandamentos não têm poder para livrar o pecador do pecado. Só Jesus pode fazer isso. O que a besta e o dragão mais gostariam é que todas as pessoas rejeitassem e ignorassem a luz que Deus deu aos Seus filhos. O objetivo do dragão é evitar que o mundo inteiro busque o perdão de Deus por seus pecados. E essa é a guerra que a besta que saiu do mar e o dragão estão travando contra todas as nações. Ao quebrarem os mandamentos de Deus, eles enganam as pessoas para que passem a quebrá-los também. Não podemos esquecer como a Bíblia descreve os fiéis do tempo do fim: eles são “os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo” (Apocalipse 12:17). No Novo Testamento, Paulo descreveu a lei de Deus como santa, justa e boa (Romanos 7:12). Aqui está o que Jesus disse sobre a lei de Deus: “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.” (Mateus 5:17). “Se me amais, guardai os meus mandamentos.” (João 14:15). “do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.” (João 15:10). “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido.” (Mateus 5:18).

   
Real time web analytics, Heat map tracking
© Hello-Bible 2016