Saturday, 22 July 2017 05:29

75. Duas testemunhas: o mundo festejou a sua morte * Apocalipse 11:9-10 - Parte 4 de 6

Written by

9  E homens de vários povos, e tribos, e línguas, e nações verão seus corpos mortos por três dias e meio, e não permitirão que os seus corpos mortos sejam postos em sepulcros.

10  E os que habitam na terra se regozijarão sobre eles, e se alegrarão, e mandarão presentes uns aos outros; porquanto estes dois profetas tinham atormentado os que habitam sobre a terra.

 

PARTE 4

 

*** Povos, e tribos, e línguas, e nações ***: Mais uma vez vemos a distinção entre as pessoas que pertencem a Deus e as pessoas que não se voltaram para Deus. Ambos os versos (Apocalipse 11:9 e 10) começam mencionando as pessoas que se opõem às duas testemunhas de Deus. A expressão "povos e tribos, línguas e nações" foi utilizada anteriormente no livro de Apocalipse. Em Apocalipse 10:11, a voz do Céu chama João para profetizar "outra vez a muitos povos, e nações, e línguas e reis." Nos versículos anteriores, o texto focaliza as testemunhas de Deus, em quem elas eram e o que elas faziam. Vemos uma mudança nos versículos 9 e 10. As testemunhas estão mortas no meio da rua, e o leitor pode agora ver o que o resto das pessoas estavam fazendo na "grande cidade, que espiritualmente se chama Sodoma e Egito" (Apocalipse 11:8). Em Apocalipse 14:6-7, vemos que a mensagem que está sendo enviada para as nações é uma mensagem que aponta para a Verdade de Deus, chamando as pessoas ao arrependimento: "E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo, Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas." O anjo tinha o "evangelho eterno", e estava fazendo um convite àqueles que "habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo" para temerem a Deus e dar-Lhe glória. Aqueles que habitam sobre a terra, e cada nação, tribo, língua e povo representam aquelas pessoas que ainda não aceitaram o Evangelho e não adoram a Deus.

*** Os cadáveres na rua por três dias e meio ***: Agora que sabemos que as "pessoas que habitam sobre a terra" não reconhecem a supremacia de Deus, podemos entender sua reação à morte de Suas testemunhas. Os habitantes da Terra ficaram apenas olhando para as testemunhas, mortas no meio da rua (Apocalipse 11:8,9), e não fizeram nada por três dias e meio. Elas não enterraram as testemunhas e nem as tiraram para fora do caminho. Isso nos faz lembrar da linguagem usada em Apocalipse 11:2, onde lemos sobre como os gentios iriam pisar sobre a Cidade Santa por quarenta e dois meses. Quarenta e dois meses é a mesma quantidade de tempo profético que as duas testemunhas tinham para pregar a mensagem de Deus: 1260 dias. Quarenta e dois meses e 1260 dias é igual a 3,5 anos. Como dissemos muitas vezes antes em nossos estudos, em profecia, um dia = 1 ano profético (veja os estudos #16, #20, #68, #71 e #72 para uma explicação mais aprofundada). Apocalipse 11:9 nos diz que as testemunhas foram deixadas mortas na rua por 3,5 dias, que profeticamente equivale a 3,5 anos. Comparado com 1260 anos de pregação, permanecer morto na rua por 3,5 anos não parece ser um tempo muito longo. É evidente que o versículo está comparando o período em que as testemunhas ficaram mortas com o tempo que eles estavam vivas profetizando: 1 dia profético permanecendo mortas para cada ano profético que elas pregaram vestidas de saco.

Como vimos no estudo #74, o período de 1260 anos aconteceu durante a Idade Média, culminando com a Revolução Francesa. Durante a Revolução Francesa, o governo estabeleceu uma nova religião ateísta, o Culto à Razão, visando substituir o cristianismo (10 de Novembro de 1793). Podemos certamente procurar eventos relacionados ao cristianismo e à Bíblia que aconteceram 3,5 anos após a Razão ter sido elevada ao status de religião, mas perderíamos o ponto principal, se isso fosse tudo o que fizéssemos. Apocalipse 11:8-9 contêm pistas importantes para entendermos o objetivo principal do simbolismo usado no texto bíblico:

- Povos e tribos, línguas e nações: A reação à morte das duas testemunhas vai além do povo da França. Ela incluiu todo o planeta. Embora nem todos os países estivessem satisfeitos com o que os líderes franceses estavam fazendo no momento, os ideais por trás da nova religião permaneciam fortes. A Era do Iluminismo ou Era da Razão, como era chamada, dominou todo o mundo durante o século 18. Apesar de ter sido iniciada na França, o movimento não se limitou somente a esse país.

- A grande cidade que espiritualmente se chama Sodoma e Egito: A palavra-chave nessa frase é 'espiritualmente'. A atitude que tinham para com Deus é o que caracteriza o aspecto espiritual do problema na época. A França tinha seus próprios objetivos e estava lutando suas batalhas políticas. Nem todos os conflitos tinham um fundo religioso. No âmbito geral, suas batalhas são irrelevantes. Sua rejeição de Deus é o que está sendo enfatizado nos textos bíblicos, não suas guerras mesquinhas.

- A cidade onde também o seu Senhor foi crucificado: Foi com essa mentalidade de rejeição ao ensino de Deus que a nação judaica não aceitou a Jesus e o mandou para a Cruz. Assim como as duas testemunhas, o tempo que Jesus profetizou na Terra foi 3,5 anos. No Seu caso, foram 3,5 anos literais. Ao fim desse tempo, Ele morreu.

*** Os moradores da Terra comemorando ***: Agora podemos começar a ver o que esses versos estão tentando nos dizer. Eles estão comparando o caminho das duas testemunhas com o de Cristo. A diferença surge no fato de as testemunhas permaneceram sem sepultamento, enquanto Jesus foi colocado em uma tumba. As testemunhas sofreram uma humilhação terrível tendo-se em vista os padrões da época. Isso não pareceu incomodar as nações da Terra. Pelo contrário. Elas estavam comemorando a morte dos mensageiros de Deus. A Bíblia fala sobre os comportamentos comumente exibidos por aqueles que rejeitaram a mensagem de Deus. Um exemplo é a respeito das pessoas no tempo de Noé: "E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca" (Mateus 24:37-38). Lemos sobre um outro exemplo em Daniel 5, quando o rei Belsazar, cheio de auto-confiança, estava dando uma festa usando os utensílios que pertenciam ao tabernáculo de Deus. Enquanto ele estava celebrando, mal sabia ele que seu reino estava sendo tomado por seu inimigo. O padrão aqui é que aqueles que rejeitam a mensagem de Deus parecem simplesmente prosseguir com o seu dia, festejando, pisando sobre a Verdade, como se nada mais importasse. Apesar dos avisos enviados por Deus, eles parecem não estar cientes do que irá vir sobre eles - destruição pelo dilúvio ou pelo ataque inimigo, como vimos em nossos dois exemplos.

*** As duas testemunhas atormentando as pessoas da Terra ***: Podemos nos perguntar, por que exatamente elas estavam celebrando a morte das duas testemunhas? Apocalipse 11:10 parece responder a essa pergunta: é porque as duas testemunhas estavam atormentado as pessoas da Terra. O versículo menciona as duas testemunhas como sendo os "dois profetas". Em toda a Bíblia, vemos o trabalho dos profetas, chamando as pessoas e os líderes ao arrependimento. Um exemplo deste "tormento" é visto quando Deus mandou Elias chamar o rei Acabe ao arrependimento, e enviou 3,5 anos de seca sobre a terra por causa da sua idolatria (1 Reis 16: 29-33 e 1 Reis 17: 1; Lucas 4 : 25; Tiago 5:17). Quando Acabe se encontrou com Elias após 3,5 anos, Acabe chamou o profeta de "o perturbador de Israel": "E sucedeu que, vendo Acabe a Elias, disse-lhe: És tu o perturbador de Israel?" (1 Reis 18:17). Isso é exatamente o que aqueles que rejeitam a Deus pensam a respeito dos Seus mensageiros. O que eles pregam os atinge em seu ponto vulnerável, e isso os torna desconfortáveis. Eles veem o povo de Deus como perturbadores, ameaçando sua falsa sensação de segurança. A resposta de Elias a Acabe esclarece o cenário e identifica qual é o verdadeiro problema: "Então disse ele: Eu não tenho perturbado a Israel, mas tu e a casa de teu pai, porque deixastes os mandamentos do Senhor, e seguistes a Baalim," (1 Reis 18:18).

*** Visão Geral***: Quando a nova religião que substituiu a Verdade de Deus pelo raciocínio humano começou, as duas testemunhas de Deus pereceram. Elas foram apagadas, e permaneceram mortas nas ruas do mundo. As nações da Terra assistiram essa cena por 3,5 anos, e não fizeram nada para restaurar sua dignidade. Pelo contrário, elas celebraram o aparente fim daqueles que estavam constantemente lhes lembrando de se arrependerem e se voltarem a Deus. Mesmo Deus tendo advertido suas perigosas escolhas ateístas e alertado sobre as consequências inevitáveis, elas ainda preferiram rejeitar o Evangelho e levar uma vida centrada na lógica humana e nos prazeres temporários. As filosofias iniciadas com a Era do Iluminismo ainda estão vivas hoje. Seus argumentos ainda podem enganar aqueles que não estão ligados a Deus. O mundo verá os cristãos como uma ameaça à sua ordem. Os cristãos serão marcados como perturbadores. Como Jesus disse: "E sereis odiados por todos por amor do meu nome; mas quem perseverar até ao fim, esse será salvo." (Marcos 13:13). Não podemos perder o foco no prêmio que aguarda aqueles que permanecem fiéis até o fim: a vida eterna com Deus.

   
Real time web analytics, Heat map tracking
© Hello-Bible 2016