Saturday, 19 March 2016 16:52

5. Trabalhadores em terras estrangeiras * Apocalipse 1:4-6

Written by

4 João, às sete igrejas que se encontram na Ásia, graça e paz a vós outros, da parte daquele que é, que era e que há de vir, da parte dos sete Espíritos que se acham diante do seu trono

5 e da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados,

6 e nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai, a ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!


*** Às sete igrejas que se encontram na Ásia ***: Estas igrejas se encontravam na província romana da Ásia. Hoje, esta região é parte da Turquia.

*** Graça e paz ***: vemos essa forma de cumprimento nas cartas de Pedro e Paulo (Romanos 1:7; 1 Coríntios 1:3; 2 Corintios 1:2; Gálatas 1:3; 1 Pedro1:2; 2 Pedro 1:2). 'Graça' é a palavra grega charis, que era uma forma comum de cumprimento. 'Paz', do cumprimento hebraico shalom, é traduzida para grego no texto original como eirēnē. Para os primeiros cristãos, esta era uma maneira significativa de cumprimentar uns aos outros, e era sempre falada nesta ordem. Primeiro a palavra graça, e então a palavra paz. Ao dizerem "Olá" eles estavam reconhecendo a benção que é a graça de Jesus, e a bênção de paz que vem após recebermos Sua graça. Está claro que essa benção de graça e paz vem da Trindade em igual medida: "daquele que é que era e que há de vir", dos "sete Espíritos que se acham diante do seu trono", e de "Jesus Cristo".

*** Daquele que é, que era e que há de vir ***: Como podemos ver, a graça e a paz vêm da Trindade. A primeira pessoa mencionada na frase é Deus Pai. Apocalipse 4 começa descrevendo a cena da sala do trono, e Deus Pai está sentado no Seu trono. Jesus ainda não havia chegado nessa sala. No verso 8, vemos os quatro seres viventes ao redor do trono proclamando "Santo, santo, santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, Aquele que era, que é e que há de vir!” Deus Pai revelou Seu nome a Moisés em Êxodo 3:13-17: "Eu Sou o Que Sou". Os versos em Êxodo também mencionam a parte em que Ele ERA o Deus de Abraão, Isaque, e Jacó. O Deus que estabeleceu um concerto com estes homens, por todas as gerações. Assim, o povo poderia se assegurar de que o grande EU SOU, aquele que ERA o Deus dos pais da nação de Israel, também é o Deus que HAVERIA DE VIR para livrar o povo da "aflição do Egito". O nome de Deus ainda era relevante na época de João, e ainda é relevante hoje. Deus está à frente do plano que pode libertar a humanidade de uma vez por todas. E esta é a mensagem de liberdade que Ele está dando a Jesus, e que João precisa passar para as igrejas.

*** Dos sete Espíritos que se acham diante do seu trono ***: a segunda pessoa mencionada na frase é o Espírito Santo. Podemos ver que o Espírito Santo está presente diante do trono de Deus. Voltando à version grega do Antigo Testamento (Septuaginta), em Isaías 11, podemos ler o que acontece quando o Espírito Santo repousa sobre Jesus. Mas antes de lermos sobre o que acontece, temos uma descrição de sete aspectos do Espírito Santo: o Espírito de sabedoria, de entendimento, de conselho, de fortaleza, de conhecimento, de piedade, e de temor do Senhor. Zacarias 4 fala sobre sete lâmpadas que são os olhos do Senhor que "percorrem por toda a terra". Em Apocalipse 4:5, podemos ver os sete Espíritos de Deus representados como sete tochas de fogo diante do trono de Deus. Apocalipse 5:6 O descreve como sete olhos enviados por toda a terra. Quando olhamos para todos esses textos, podemos ver a cena: o Espírito Santo, em Sua plenitude, diante do trono de Deus, pronto para descer à terra e iniciar Suas atividades.

*** De Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra ***: agora temos a terceira fonte de graça e paz. Esta parte é uma referencia bem clara a Jesus. Em João 18:36-37, vemos a conversa que Jesus teve com Pilatos, onde Jesus menciona os três títulos presentes nesse texto de Apocalipse: Ele veio "testemunhar da verdade", e que por essa razão ele "nasceu" neste mundo, e que ele tem um "reino". Estes três títulos são termos do Salmo 89:27 e 37, usados para descrever o descendente de Davi, o "primogênito, o mais elevado entre os "reis da terra", que será estabelecido no trono como a testemunha fiel no céu. A palavra traduzida como testemunha é a palavra martus. Esta palavra deu origem a palavra mártir, aquele que testemunha até a morte. Então, temos aqui Jesus, aquele que testemunhou até a morte, o filho de Deus que ressuscitou de entre os mortos, e que por isto se tornou o único e supremo regente da terra.

*** Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados ***: Cristo nos ama de maneira contínua. O ato de libertar a humanidade se completou com Sua morte na cruz.

*** Nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai ***: Êxodo 19:5-6 fala que o povo escolhido de Deus seria para Ele "reino de sacerdotes e nação santa". Em 1 Pedro 2:9 vemos que os escolhidos de Deus são sacerdócio real, e nação santa. Pelo Seu sangue, Cristo promoveu Seus seguidores ao nível de reino e sacerdotes. Os cristãos são transformados em cidadãos da casa de Deus (Efesios 2:19). A terra não é mais a sua pátria (Filipenses 3:20), pertecem a pátria celeste. O aceitar os ensinamentos de Cristo e Ele como nosso salvador pessoal é a documentação necessária para nos tornarmos cidadãos do Céu. A cidadania começa no momento dessa aceitação. Mesmo ainda morando num país estrangeiro, o país dos cidadãos da terra, os Cristãos já possuem todos os direitos e deveres de quem é cidadão do céu. O texto é claro a respeito de qual é o nosso dever, qual o nosso trabalho: Jesus nos fez sacerdotes. Em 2 Coríntios 5:20, Paulo esclarece um pouco mais esse trabalho. O trabalho de um representante em terras estrangeiras: "De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus". Em nosso dever de sacerdote, nós devemos apelar aos outros em nome de Cristo para que eles se reconciliem com Deus. Em outras palavras, nós devemos pregar a mensagem. Agora, vamos olhar mais detalhadamente para este emprego de sacerdote, e ver exatamente como começamos o serviço. Êxodo 29 traz o passo a passo dado por Deus, e Levíticos 8 conta a história de quando Arão e seus filhos foram consagrados. Sabemos que Arão se tornou o sumo sacerdote, e seus filhos se tornaram sacerdotes. No nosso caso, Jesus é o Sumo Sacerdote (Hebreus 8:1), e nós nos tornamos sacerdotes.

- Tornando-se sacerdote: vamos ver como os filhos de Arão se tornaram sacerdotes, e traçar um paralelo com a nossa realidade de hoje:
1) Os filhos de Arão estavam cientes de que o sacrifício estava pronto para ser oferecido -Êxodo 29:1-3 (Nós nos tornamos cientes dos ensinamentos de Jesus e Seu sacrifício).
2) Os filhos de Arão foram lavados com água, em público - Êxodo 29:4 (somos batizados com água).
3) Eles então foram vestidos em túnicas sacerdotais - Êxodo 29:8 (em Isaías 61:10 Lemos: porque Deus "me cobriu de vestes de salvação e me envolveu com o manto de justiça").
4) E por fim, eles foram ordenados através do sacrifício oferecido - Êxodo 29:9-34 (A morte de Cristo nos ordenou e nos fez sacerdotes).

Em Êxodo 29:44-45 lemos que depois que Arão e seus filhos foram ordenados, Deus os consagrou como sacerdotes, e então disse que Ele iria vir e morar com o povo e ser o Deus de Israel.


*** A ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém! ***: A glória e o poder pertençem àquele que é a testemunha fiel, o soberano dos reis, o primogênito dos mortos, que nos ama, e que nos libertou do pecado. Pertençem a Jesus Cristo.

*** Visão Geral ***: Ao escrever para os cristãos da Ásia, João descreve a Trindade individualmente, na plenitude de Sua existência. E estabelece uma relação entre os seres humanos e as atividades divinas da Trindade. Deus Pai, Espírito Santo, e Filho cumprimentam e abençoam em igual intensidade as igrejas, com Sua graça e paz. O sacrifício de Jesus nos deu o presente de pertencermos ao céu. Não há nada que possamos FAZER para recebermos este presente. Simplesmente precisamos aceitá-lo de verdade. E PORQUE nós recebemos esse presente, somos chamados a trabalhar como sacerdotes. Fazer o trabalho de sacerdotes não nos transforma em cidadãos celestes. Fazer o trabalho nos ajuda a espalhar a mensagem para que outros também possam ter essa oportunidade de escolher a Cristo, e de também se tornarem cidadãos do céu. João enfatiza o poder transformador do amor de Jesus: Seu amor nos deu liberdade do pecado, nos deu cidadania celestial, e nos fez sacerdotes. E é por isso que Jesus merece eterna glória e poder.

   
Real time web analytics, Heat map tracking
© Hello-Bible 2016