@hello_bible

@hello_bible

Tuesday, 07 February 2017 17:50

Trusting God completely

Sometimes, we don't know where God is leading us. We need to humble ourselves before Him, and trust Him completely. God will guide us when we open...

Posted by Hello Bible on Monday, February 6, 2017

Monday, 06 February 2017 17:48

Orando por você

Orando por você hoje. Lembre-se: Deus é maior e mais forte do que qualquer obstáculo.

Posted by Hello Bible on Monday, February 6, 2017

Monday, 06 February 2017 17:41

Praying for you

Praying for you today. Remember: God is greater and stronger than any obstacle.

Posted by Hello Bible on Monday, February 6, 2017

Jesus é o Pão da Vida! Ele é o Pão Nosso de cada dia que devemos pedir em oração. Eu quero dizer SIM para a mensagem de vida que Ele nos dá hoje!

Posted by Hello Bible on Friday, February 3, 2017

Friday, 03 February 2017 17:19

The Daily Bread we should ask for in prayer

Jesus is the Bread of Life. He is the Daily Bread we should ask for in prayer. I want to say YES to the living message He gives us today!

Posted by Hello Bible on Friday, February 3, 2017

4  E foi-lhes dito que não fizessem dano à erva da terra, nem a verdura alguma, nem a árvore alguma, mas somente aos homens que não têm nas suas testas o selo de Deus.

5  E foi-lhes permitido, não que os matassem, mas que por cinco meses os atormentassem; e o seu tormento era semelhante ao tormento do escorpião, quando fere o homem.

6  E naqueles dias os homens buscarão a morte, e não a acharão; e desejarão morrer, e a morte fugirá deles.

 

Parte 2 - Apocalipse 9:4-6

 

*** A ordem para não danificar a erva verde ***: Apocalipse 9:4 começa com uma ordem. Os gafanhotos mencionados em Apocalipse 9:3, que saíram do poço do abismo, recebem a ordem para não fazer aquilo que os gafanhotos fazem de melhor: danificar a vegetação verde e viva . Vimos a menção a árvores e ervas verdes na primeira trombeta (Apocalipse 8:7 - estudo #52). Na primeira trombeta, Deus havia permitido que um-terço da vegetação fosse queimada. Na quinta trombeta, Ele não permite que nenhuma erva verde seja destruída. Se havia alguma dúvida quanto as árvores e as ervas verdes serem um símbolo do povo de Deus (Jeremias 17:7-8), o verso em Apocalipse 9:4 a remove completamente. Nesse verso, os que não possuem o selo de Deus são mencionados em contraste às ervas e árvores. Portanto, os que possuem o selo de Deus são protegidos durante os ataques dos gafanhotos que vimos no começo da quinta trombeta (estudo #57). Por outro lado, a vegetação morta representa aqueles que não possuem o selo de Deus e podem ser afetados.

*** Que não os matassem, mas que os atormentassem por cinco meses ***: Os versos 4 e 5 de Apocalipse 9 começam de uma maneira parecida: “E foi-lhes dito” e “E foi-lhes permitido”. Essas ordens, ditas no tempo passivo, começaram em Apocalipse 9:3, quando os gafanhotos receberam poderes de escorpião. Como vimos no estudo #57, Deus é quem permite que o inimigo revele ao mundo seu próprio caráter maligno. Assim como na história de Jó, Deus coloca limites estabelecendo até que ponto Satanás e seus anjos podem prosseguir com suas atividades demoníacas. Durante o primeiro ataque de Satanás a Jó, Deus estabeleceu um limite. Satanás podia atacar diretamente qualquer coisa que Jó possuísse, mas não poderia tocá-lo (Jó 1:12). Uma série de calamidades se seguiu na vida de Jó, em especifico a perda de todas as suas posses e de todos os seus filhos. Deus não estava atacando Jó. Satanás estava. Esse é o mesmo caso na passagem de Apocalipse. Deus é quem determina os limites, dizendo aos gafanhotos que as pessoas que possuem o selo de Deus estão fora dos limites de ataque. Além disso, aqueles que não possuem o selo de Deus também não deveriam ser mortos, mas deveriam sentir os efeitos das atividades satânicas por um período limitado de tempo. Os gafanhotos poderiam usar seu poder de escorpião para atormentar os não-selados por cinco meses. Existem dois períodos de cinco meses mencionados na Bíblia. O primeiro, vemos após Isabel ter concebido: ela se escondeu por cinco meses. Ela estava grávida de João Batista, o homem que clamaria no deserto “Endireitai o caminho do Senhor” (João 1:23). No sexto mês de gravidez de Isabel, o anjo Gabriel anunciou a Maria a concepção de Jesus (Lucas 1:24-27). O anuncio da primeira vinda de Jesus veio após o término do período de cinco meses de isolamento de uma mulher fiel. A outra passagem incluindo um período de cinco meses é encontrada na história de Noé e do Dilúvio. Esse evento aparenta ser muito significativo para o entendimento dos cinco meses de Apocalipse. Naquela época, os judeus contavam o tempo e os meses, baseando-se no ciclo lunar. Os meses tinham 30 dias, e o ano tinha 360 dias. De tempos em tempos, eles acrescentavam um mês extra para compensar. O período de 150 dias é um período de cinco meses de 30 dias cada.

 

O Dilúvio

O ataque dos gafanhotos na quinta trombeta

Todas as fontes do grande abismo se romperam, e as janelas dos céus se abriram (Gênesis 7:11)

Gafanhotos saíram do poço do abismo para danificar a terra (Apocalipse 9:2-4)

Noé e sua família, e todos os seres viventes dentro da Arca foram protegidos durante o Dilúvio (Gênesis 7:23)

Aqueles com o selo de Deus são protegidos dos ataques dos gafanhotos (Apocalipse 9:4)

As águas perigosas prevaleceram por 150 dias (cinco meses) (Gênesis 7:24; Gênesis 8:3)

O tormento que os gafanhotos vão proporcionar irá durar por cinco meses (Apocalipse 9:5; Apocalipse 9:10)

 

Assim como vimos em Gênesis, o período de cinco meses também é mencionado duas vezes em Apocalipse. Ao contrário do texto em Gênesis, o começo e o fim do período de cinco meses em Apocalipse não é bem definido, em termos de datas precisas. Isso sugere que o foco não está em saber especificamente quando os cinco meses começam ou terminam. O foco central do texto aparenta estar no fato de que esse é um período temporário. Da mesma maneira como ocorreu na história de Noé, os fiéis na fase da quinta trombeta também serão protegidos contra os ataques dos gafanhotos. Após Jesus falar aos seus seguidores, que Ele havia visto Satanás cair do Céu (Lucas 10:18), Jesus deu para eles um poder especial: “Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum.” (Lucas 10:19).

*** As pessoas vão querer morrer, mas não conseguirão ***: O tormento será tão severo durante o período de cinco meses, que aqueles sem o selo desejaram morrer. O estado de estresse mental será tão intenso durante esse período, que as pessoas buscarão ativamente a morte. O texto indica que as pessoas passariam a buscar voluntariamente, maneiras de se matarem, para acabar com o sofrimento através de suas próprias forças. Elas iriam lidar com o problema por conta própria. Dizer que alguém buscaria a morte é uma afirmação muito forte. Esse estado mental de desespero nos faz lembrar de Jó. Ele desejou encontrar a morte e acabar com todo seu sofrimento de uma vez (Jó 3:21). De fato, ele desejou que nunca tivesse nascido (Jó 3:11-13). Mas, será que o texto de Apocalipse está falando de uma maneira literal? Será que as pessoas estão procurando por morte física? Precisamos pensar no aspecto profético de todas as trombetas. Quando pensamos assim, percebemos que nunca houve na história um momento em que as pessoas não podiam morrer, ser mortas, ou cometerem suicídio. O tormento em Apocalipse parece ser mais significativo a nível espiritual. Os escorpiões têm permissão de atacar apenas a vegetação morta ou a que está morrendo: as pessoas que não possuem o selo de Deus. A “vegetação” sendo atacada já está espiritualmente infectada e afligida (terceira e quarta trombetas). Isso significa que esse tormento é um agravamento do problema que eles já possuem. Jeremias 8:3 fala sobre como as pessoas que não são parte da família de Deus preferem escolher “antes a morte do que a vida”. É tão comum ver as pessoas fazendo más escolhas em tantos aspectos da vida. Escolhas que sabemos ser prejudiciais. Uma morte espiritual completa e numa escala global nesse ponto da história, não está dentro dos limites dos parâmetros de Deus.

*** Tormento de escorpião, quando fere o homem ***: No estudo #57, vimos que os gafanhotos saindo do poço do abismo tinham poderes de escorpião (Apocalipse 9:3). Em Apocalipse 9:5, podemos entender que o tormento que esses gafanhotos infligem é como o de escorpião, “quando fere o homem”. Escorpiões usam suas caudas para inserir veneno em suas vítimas. Muitas vezes, seu veneno não chega a ser mortal para humanos adultos, com algumas exceções. Mas isso não quer dizer que não existe sofrimento para o ser humano envolvido. As atividades demoníacas representadas pelo ataque dos gafanhotos aparentam estar focalizadas em envenenar as pessoas em uma intensidade ainda maior do que a que foi vista durante o envenenamento das águas com absinto (terceira trombeta, estudo #54). Isaías 9:14,15 nos diz: “Assim o Senhor cortará de Israel a cabeça e a cauda, o ramo e o junco, num mesmo dia. (O ancião e o homem de respeito é a cabeça; e o profeta que ensina a falsidade é a cauda).” A cauda do dragão vermelho, Satanás, enganou a terça parte dos anjos, assim como seduziu a todo o mundo (Apocalipse 12:4,9). O tormento semelhante ao do escorpião, quando fere o homem, em Apocalipse 9:5, acontece por causa da cauda, que é o símbolo dos falsos profetas, picando as pessoas com suas falsas informações e guiando todas elas para um caminho de morte.

*** Visão Geral ***: Quando os gafanhotos saíram do poço do abismo, e se moveram para atacar a Terra, Deus limitou quão longe poderiam ir. Os gafanhotos representam as atividades satânicas que almejam deter as pessoas para que não alcancem a Verdade. Portanto, aqueles que plenamente aceitaram a Verdade estarão imunes a esse ataque, porque eles buscaram uma constante conexão com o Senhor. Aqueles que não estão conectados com Deus ainda sentem a necessidade de se conectarem com algo, e eles encontram caudas de gafanhotos que mais se parecem com escorpiões. Eles desejam atormentar essas pessoas com falsos ensinamentos e filosofias contrárias à verdade de Deus. Essa tortura irá durar por algum tempo, mas chegará ao fim. O período de cinco meses serve para lembrar ao leitor que os fiéis de Deus não serão atingidos, assim como Noé não foi atingido e permaneceu protegido dentro da Arca. É importante ter em mente que Noé sentiu a Arca se mover e tremer com a tempestade violenta do lado de fora. Deus não impediu Noé de passar por essa experiência, mas Ele o manteve protegido durante o Dilúvio. Se Deus é aquEle a Quem servimos, então não temos nada a temer. A mensagem principal é: não há como a cauda venenosa das mentiras do inimigo nos agarrar quando estamos completamente rodeados pela verdade de Deus e protegidos com o Seu selo.

4  And it was commanded them that they should not hurt the grass of the earth, neither any green thing, neither any tree; but only those men who have not the seal of God in their foreheads.

5  And to them it was given that they should not kill them, but that they should be tormented five months: and their torment was as the torment of a scorpion, when it strikes a man.

6  And in those days shall men seek death, and shall not find it; and shall desire to die, and death shall flee from them.

 

Part 2 - Revelation 9:4-6

 

*** The command not to hurt the green vegetation ***: Revelation 9:4 starts with a command. The locusts mentioned in Revelation 9:3, which came out of the pit, are ordered not to do what locusts do best: hurt the green and live vegetation. We saw the mention of grass, trees, and green things back in the first trumpet (Revelation 8:7 - study #52). In the first trumpet, God had allowed one-third of the vegetation to be burned up. Here, in the fifth trumpet, He is not allowing any green thing to be hurt. If there was any doubt that the trees, grass, and green things were a symbol for God’s people (Jeremiah 17:7-8), the end of Revelation 9:4 can remove it completely. In this verse, the ones without the seal of God stand in contrast to the grass, trees, and green things. The ones with the seal of God are protected during the attacks of the locusts, which we read about in the beginning of the fifth trumpet (study #57). On the other hand, the dead vegetation represents the ones without the seal of God and they can be hurt.

*** Not to be killed but tormented for five months ***: Verses 4 and 5 of Revelation 9 start in a similar way: “it was commanded” and “it was given”. These orders, stated in the passive tense, actually started in Revelation 9:3, when the locusts received scorpion powers. As we saw in study #57, God is the One who allows the enemy to show the world his own evil character. Just as in the story of Job, God places limits as to how far He will allow Satan and his angels to proceed with their demonic activities. During Satan’s first attack on Job, God set a limit. Satan could harm anything Job had, but he could not touch Job (Job 1:12). A series of calamities in Job’s life followed, particularly the loss of all of his possessions and all of his children. God was not attacking Job. Satan was. This is the case in this passage of Revelation as well. God is the One setting the boundaries, telling the locusts the sealed people of God are off limits. Beyond that, the people without God’s seal are not to be killed either, but they should feel the effects of the satanic activities for a limited time. The locusts could use their scorpion powers to torment the non-sealed people for five months. There are two interesting five-month periods mentioned in the Bible. The first one happened after Elizabeth conceived: she hid for five months. She was pregnant with John the Baptist, the man who would come and cry out in the wilderness “Make straight the way of the Lord” (John 1:23). In Elizabeth’s 6th month of pregnancy, Gabriel announced to Mary the conception of Jesus (Luke 1:24-27). The announcement of Jesus’ first coming came after a faithful woman was done being secluded for a period of five months. The other passage including a period of five months is in the story of Noah and the Flood. This event seems to be of great significance for the understanding of the five-month period in Revelation. Back then, the way that the Jewish people counted time and months, followed the lunar cycle. The months had 30 days, for a year of 360 days. Ever so often, they would have an extra month to compensate. The period of 150 days is a period of five months of 30 days each.

 

The Flood

The locust attack in the 5th trumpet

Springs of water broke from the deep, the rain poured and flooded the Earth, to harm the earth (Genesis 7:11)

Out of the bottomless pit, came locusts that would harm the earth (Revelation 9:2-4)

Noah, his family, and all the living things in the Ark were protected during the flood (Genesis 7:23)

Those who have the seal of God are safe from the locust attack (Revelation 9:4)

The pouring of the harmful waters lasted for 150 days (5 months) (Genesis 7:24; Genesis 8:3)

The torment the locusts will inflict will last for 5 months (Revelation 9:5; Revelation 9:10)

 

Just as we see in Genesis, the period of five months is mentioned twice in Revelation as well. Unlike the text in Genesis, the beginning and the end of the five-month period in Revelation is not well defined in terms of precise dates. This suggests that the specific knowledge of when the five months begin or end is not the focus. The point of the text seems to be on the fact that this is a temporary period. Like in the story of Noah, God’s faithful people in the time of the fifth trumpet will also be protected from the locust attack. After Jesus told His followers He watched Satan fall from Heaven (Luke 10:18), He gave them a special power: “Behold, I give unto you power to tread on serpents and scorpions, and over all the power of the enemy: and nothing shall by any means hurt you.” (Luke 10:19).

*** People will want to die, but they won’t be able to ***: The torment will be so severe during the five months that those without the seal will seek death. The state of mental stress would be so deep during this time, that people would actively wish to die. The text indicates that people would voluntarily look for ways to kill themselves, to end the suffering by their own powers. They would want to take matters into their own hands. To say someone would seek death is a very strong statement. This desperate state of mind reminds us of Job. He wished he could find death and end it all at once (Job 3:21). In fact, he wished he had never been born (Job 3:11-13). But is the text in Revelation speaking literally? Are the people looking for physical death? We must think about the prophetic aspect of all the trumpets. And when we do that, we realize there was never a moment in history when people were not able to die, be killed, or take their own lives. The torment in Revelation seems to be more significant on a spiritual level. The locusts are allowed to attack only the dead and dying vegetation, the people who do not have the seal of God. The “vegetation” under attack is already spiritually infected and afflicted (3rd and 4th trumpets). This means that this torment is a deepening of a problem they already had. Jeremiah 8:3 talks about how the people who are not part of God’s family prefer to choose death rather than life. It is so common to see people making poor choices in many aspects of life that are known to be detrimental. Complete spiritual death on a global scale at that point was not within the boundaries of God’s parameters.

*** Torment of a scorpion, when it strikes a man ***: In study #57 we saw that the locusts coming out of the pit had scorpion powers (Revelation 9:3). In Revelation 9:5, we understand that the torment the locusts inflict is that of a scorpion, “when it strikes a man”. Scorpions use their tails to insert venom in their victims. Oftentimes, scorpion venom is less than deadly to adult humans, with a few exceptions. But that doesn’t mean there is no suffering for the human involved. The demonic activities represented by the locust attack seems to be aimed at poisoning people at an intensity even greater than the one seen during the poisoning of the waters with wormwood (3rd trumpet, study #54). Isaiah 9:14,15 tells us: “Therefore the LORD will cut off from Israel head and tail, palm branch and reed, in one day. The elder and honorable, he is the head; and the prophet that teaches lies, he is the tail.” The tail of the red dragon, Satan, deceived a third part of the angels, as well as the whole world (Revelation 12:4,9). The “torment of a scorpion, when it strikes a man”, in Revelation 9:5, happens because of its tail, which is a symbol for false teachers, stinging people with false information and guiding them to a deadly path.

*** Overview ***: When the locusts came out of the pit and moved on to attack the Earth, God limited how far they could go. The locusts represent the satanic activities that aim to further keep people from reaching the Truth. Those who have already truly accepted the Truth are immune to this attack because they seek to be in constant connection with the Lord. Those who are not connected to God still feel the need to connect to something, and they encounter the scorpion-like tail of the locusts, which aim to torment those people with false teachings and philosophies that are contrary to God’s truth. This torture will go on for some time, but it will come to an end. The period of five months serves to remind the reader that the faithful people of God will not be harmed, just as Noah was protected inside the Ark. It is important that we remember: Noah still felt the Ark move and shake with the violent storm outside. God did not keep Noah from having the experience altogether, but He kept Noah safe as he lived through the Flood. If God is the One we serve, then we do not need to be afraid. The main message is: there is no space for the venomous tail of the enemy’s lies to attach to us when we are completely surrounded by God’s truth and protected by His seal.

1  E o quinto anjo tocou a sua trombeta, e vi uma estrela que do céu caiu na terra; e foi-lhe dada a chave do poço do abismo.

2  E abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço, como a fumaça de uma grande fornalha, e com a fumaça do poço escureceu-se o sol e o ar.

3  E da fumaça vieram gafanhotos sobre a terra; e foi-lhes dado poder, como o poder que têm os escorpiões da terra.

 

Parte 1 - Apocalipse 9:1-3

 

*** Estrela que caiu do Céu ***: Vimos a estrela que caiu do Céu quando falamos sobre a terceira trombeta (Apocalipse 8:10-11). No estudo #54, vimos que a Estrela que caiu do Céu era Satanás. Ele era conhecido como Lúcifer antes de ser expulso do Céu. Lemos sobre a sua queda em Isaías 14:12-21. "Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!" (Isaías 14:12).” Com base em Apocalipse 9:1 e Apocalipse 9:11, podemos ver que a estrela que caiu do Céu é também identificada como sendo o anjo do poço do abismo. Sua queda aconteceu antes do toque das trombetas. Na terceira trombeta, a Estrela caída se chamava Absinto, que envenenou a mensagem original do Evangelho (simbolizado pelo termo 'águas'). Misturou a verdade com falsos ensinamentos e deu essa mistura de beber ao povo. As águas envenenadas causaram a morte de muitos.

*** A chave do poço do abismo ***: Antes de falarmos sobre a chave, precisamos primeiro entender o que é o poço do abismo. A expressão grega usada aqui é “phreatos tēs abyssou”. Ela significa exatamente buraco do abismo. A palavra abismo é também encontrada em Gênesis 1:2: "E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas." A palavra hebraica traduzida como "abismo" é ṯə-hō-wm. Algumas versões traduzem esse termo como "profundezas". Vemos a palavra ṯə-hō-wm usada também na história do Dilúvio. A Bíblia diz que "No ano seiscentos da vida de Noé, no mês segundo, aos dezessete dias do mês, naquele mesmo dia se romperam todas as fontes do grande abismo, e as janelas dos céus se abriram" (Gênesis 7:11, veja também Gênesis 8:2). Esses não são os únicos exemplos onde a palavra abismo é usada. Foi usada também para descrever um lugar vazio, de desolação (Jeremias 4:23-30). Um conceito semelhante é encontrado em Ezequiel 26:19, com a palavra "assolada" ou "abandonada"; e em Isaías 24:21-23, com a palavra "masmorra", onde os exércitos rebeldes do Céu e os reis da Terra serão confinados antes de sua punição (Isaías 24:21-23).

Vamos agora falar sobre a chave desse lugar. Essa chave é um instrumento que pode fechar ou abrir o abismo. Sozinha, a chave é apenas um objeto. Sua importância vem do saber quem a tem e quem pode usá-la. 'Chave' é um símbolo de autoridade e de controle. Lemos no Novo Testamento, que Jesus é quem tem o poder de enviar as forças demoníacas para o abismo. Certa vez, Jesus retirou muitos demônios de um homem (Lucas 8:26-39). Eles estavam sujeitos ao comando de Jesus para deixarem aquele homem. O poder de Deus era (e ainda é) maior que a força que os anjos caídos podem ter sobre as pessoas. Os demônios imploraram que Jesus "não os mandasse para o abismo" (Lucas 8:31). Jesus não somente tinha o poder para mandar que saíssem do homem, mas também para mandar todos eles para o abismo. Jesus é quem tem as chaves do poço do abismo. Jesus é também aquEle que tem as chaves da morte e dos sepulcros (Apocalipse 1:18; veja estudo #10).

A palavra abismo é um símbolo da capacidade que Deus tem de deter e restringir os anjos maus enquanto eles aguardam Seu julgamento. É mais importante entender esse conceito do abismo como sendo o poder que Deus tem sobre eles, do que como um local real ou caverna subterrânea onde eles se reúnem. O ponto é: Deus está no controle (Judas 1:6; 2 Pedro 2:4; Apocalipse 20:1-3). Eles não podem prosseguir com suas atividades a não ser que Deus lhes dê a permissão. Os verso em Apocalipse 9:1,2 nos diz que Satanás recebeu permissão de sair do abismo e iniciar seu trabalho de cobrir a Terra com sua fumaça. A princípio, essa ação pode parecer estranha. Nós não compreendemos tudo que Deus enxerga da situação em que nos encontramos. Da mesma maneira como Deus deu a Satanás permissão para testar Jó (Jó 1:6-12), Ele está dando permissão para que Satanás prepare seus ataques na Terra. Jó saiu de sua experiência com um relacionamento com Deus muito mais forte e com uma confiança no Senhor mais revigorada. Do mesmo modo, os ataques do inimigo não poderão derrubar as pessoas do caminho da Eternidade se elas confiarem em Deus completamente, mesmo quando não estiverem compreendendo o que estiver acontecendo.

*** Fumaça saiu do abismo, e escureceu o sol e o ar ***: Assim que Satanás recebeu a permissão de agir, vários símbolos foram usados no texto para nos dizer o que aconteceu em seguida. O primeiro símbolo é fumaça, que saiu do poço do abismo. João descreve essa fumaça como a que sai de uma fornalha. No Antigo Testamento, o termo "fumaça de fornalha" aparece na descrição da destruição de Sodoma e Gomorra (Gênesis 19:28) e quando o Senhor desceu no Monte Sinai, para dar a Moisés os Dez Mandamentos (Êxodo 19:18). No fim do verso em Apocalipse 9:2, vemos que a fumaça saindo do abismo é responsável pelo escurecimento do sol e do ar. Ao contrário do escurecimento que ocorreu na quarta trombeta, que foi parcial e afetou um-terço dos astros, a escuridão vista no quinto selo é completa. Até mesmo o ar é afetado. Esse tipo de escuridão nos faz lembrar da escuridão descrita na nona. praga do Egito (Êxodo 10:21). Nesse ponto do verso de Apocalipse, ainda não sabemos do que essa fumaça se trata. Apenas sabemos seu efeito: escuridão na Terra.

*** Gafanhotos saem da fumaça ***: O fato de a escuridão de Apocalipse 9:2 também afetar o ar, não é uma coincidência. A razão disso se torna clara no texto seguinte: do poço do abismo saiu voando uma nuvem de gafanhotos. Nas pragas do Egito, vemos a praga dos gafanhotos (Êxodo 10:1-20), que aconteceu imediatamente antes da praga da escuridão que mencionamos antes. Durante a praga dos gafanhotos, a terra do Egito também foi coberta de escuridão (Êxodo 10:15). Escuridão e gafanhotos são símbolos dos julgamentos de Deus (Joel * 1:1-12). A consequência da rejeição à luz é a escuridão espiritual (João 3:18-21).

*** Gafanhotos com poder de escorpião ***: Os gafanhotos saindo do abismo não eram gafanhotos comuns. Eles haviam recebido poder para serem como escorpiões. Mais uma vez, temos aqui a expressão "foi-lhes dado poder". Esses gafanhotos receberam a permissão de fazer seu trabalho com habilidades de escorpião. Eles parecem estar numa missão de vida ou morte. A natureza dessa cena é bastante simbólica, o que se acentua pelo fato desses gafanhotos se comportarem de uma maneira diferente do que naturalmente haveria de se esperar. Mas isso vai se tornar mais claro nos próximos estudos.

*** Visão Geral ***: O poço do abismo são as circunstâncias pelas quais os anjos caídos são restringidos e atados sob o poder de Deus. Eles não têm permissão de agir e obliterar a humanidade. Deus respeita o livre arbítrio dos seres humanos tão profundamente, que Ele permite que as pessoas escolham em quem querem acreditar. Em alguns momentos, Ele permite que as forças demoníacas entrem em ação. As pessoas têm que fazer uma escolha. Será que querem acreditar nas águas contaminadas e na nuvem de gafanhotos e, ao mesmo tempo, rejeitar a Luz da Vida? Ou será que querem receber Cristo em suas vidas, e seguirem a verdade de Deus? Os primeiros três versos da quinta trombeta parecem ser assustadores. Mas o ponto principal que precisamos focalizar é que Deus é quem está no controle da situação. Ele sabe o quanto limitar as atitudes desses anjos caídos que estão saindo da restrição em um enxame. Precisamos manter em mente a história de Jó, e nos lembrarmos de que se formos fiéis, nossa salvação é garantida. Podemos não entender os métodos de Deus. Podemos até não entender o próprio Deus. Mas podemos confiar no Seu poder e santidade, e nos assegurarmos de que tudo que Ele faz é com a intenção de nos fazer saber que Ele é Deus.

1  And the fifth angel sounded, and I saw a star fall from heaven unto the earth: and to him was given the key of the bottomless pit.

2  And he opened the bottomless pit; and there arose a smoke out of the pit, as the smoke of a great furnace; and the sun and the air were darkened by reason of the smoke of the pit.

3  And there came out of the smoke locusts upon the earth: and unto them was given power, as the scorpions of the earth have power.

 

Part 1 - Revelation 9:1-3

 

*** Star fell from Heaven ***: We saw the star that fell from Heaven when we talked about the third trumpet (Revelation 8:10-11). In study #54, we saw that the star that fell from Heaven was Satan. He was known as Lucifer before he was cast out of Heaven. We read about his fall in Isaiah 14:12-21. “How are you fallen from heaven, O Lucifer, son of the morning! how are you cut down to the ground, who did weaken the nations!” (Isaiah 14:12). Based on Revelation 9:1 and Revelation 9:11, we can see that the star that fell from Heaven is also identified as the angel of the bottomless pit (or the abyss, depending on the translation). His fall happened prior to the sounding of the trumpets. In the third trumpet, the fallen star was called Wormwood, and it poisoned the original message of the Gospel (symbolized by the term ‘waters’). It mixed the truth with false teachings and gave that mix for people to drink. The poisonous waters caused the spiritual death of many.

*** The key to the bottomless pit ***: Before we talk about the key, we need to understand what that the abyss (or bottomless pit) is in the first place. The Greek expression used here is “phreatos tēs abyssou”. It means the pit of the abyss.The word abyss is also found in Genesis 1:2: “And the earth was without form, and void; and darkness was upon the face of the deep. And the Spirit of God moved upon the face of the waters.” The Hebrew word translated as “deep” is the word ṯə-hō-wm, which also means sea and abyss. We see the word ṯə-hō-wm being used during the account of the Flood. The Bible says that the “all the fountains of the great deep [were] broken” (Genesis 7:11, see also Genesis 8:2). These are not the only instances where the word abyss is used. It was used to describe a place of emptiness and desolation (Jeremiah 4:23-30). A similar concept is found in Ezekiel 26:19, with the word void; and in Isaiah 24:21-23, with the word dungeon, referring to the prison where the rebellious hosts of Heaven and kings of the earth will be confined before their punishment.

Now, let’s talk about the key to this place. The key is the instrument that can open or close the abyss. By itself, any key is just an object. Its importance comes from knowing who has it and can use it. ‘Key’ is a symbol of authority and control. We read in the New Testament, that Jesus is the One with the power to send demonic forces to the abyss. One time, Jesus cast many demons out of one man (Luke 8:26-39). They were subject to Jesus’ command to leave that man. The power of God was, and still is, greater than the grip that fallen angels may have over people. The demons begged Jesus not to “command them to go out into the abyss” (Luke 8:31). Jesus not only had the power to order them out of the man but also to order them to go to the abyss. Jesus is the one who has the keys to the bottomless pit. Jesus is also the One with the keys to death and the graves (Revelation 1:18, please see study #10).

The word abyss is a symbol for the ability that God has to confine and restrict the evil angels while they await their judgment. It is more important that we understand this concept of the abyss as the power that God has over them, than a physical place or underground cavern where they gather. The point here is that God is in control (Jude 1:6; 2 Peter 2:4; Revelation 20:1-3). They cannot move about, unless God allows them to. Revelation 9:1-3 tell us that Satan was given permission to move out of the abyss, and initiate his work of covering the Earth with his smoke. At first, this action may sound very strange. The fact is we don’t understand all that God understands of the situation we are in. Just as when God gave Satan permission to test Job (Job 1:6-12), He is giving Satan permission to prepare his attacks on Earth. Job came out of his experience with a much stronger relationship with God and a with a more invigorated trust in the Lord. In the same way, the enemy’s attacks will not knock people off the path to Eternity if they keep their truth entirely on God, even when they don’t understand what is going on.

*** Smoke came out of the pit, and darkened the sun and the air ***: As soon as Satan was permitted to act, a series of symbols is used to tell us what happened next. The first symbol is smoke, which came out of the pit of the abyss. John describes this smoke as the one that comes out of a furnace. In the Old Testament the term “smoke of a furnace” appears in the description of the destruction of Sodom and Gomorra (Genesis 19:28), and when the Lord descended on mount Sinai, to give Moses the 10 Commandments (Exodus 19:18).The end of the verse in Revelation 9:2, we see that the smoke coming out of the pit is responsible for darkening the sun and the air. Unlike the darkness in the fourth trumpet, which was partial and affecting one-third of the celestial bodies, the darkness seen in the fifth trumpet are not measured. We have the impression that the darkness is complete. Even the air is affected. This type of darkness reminds us of the darkness described in the 9th Egyptian plague (Exodus 10:21). At this point in the verse in Revelation, we still don’t know what the smoke is all about. We only know its effect: it causes darkness on the Earth.

*** Locusts came out of the smoke ***: The fact that the darkness of Revelation 9:2 also affects the air, is not a coincidence. The reason for that becomes clear in the next verse: out of the pit of the abyss, came flying a cloud of locusts. Going back to the Egyptian plagues, we see the plague of locusts (Exodus 10:1-20), which came right before the plague of darkness that we just talked about. During the plague of the locusts, the land of Egypt was also covered with darkness (Exodus 10:15). Darkness and locusts are symbols of God’s judgments (Joel 1:1-12). The consequence of rejecting light is spiritual darkness (John 3:18-21).

*** Locusts with scorpion power ***: The locusts coming out of the pit weren’t ordinary locusts.They received power to be like scorpions. Here we have, once again, the expression “received power”. These locusts were permitted to do their locust work carrying scorpion abilities. They seem to be on a deadly mission. The nature of this scene is very symbolic. This is accentuated by the fact that these locusts behave in a manner different from what would be expected naturally. But this will be more clear in the next studies.

*** Overview ***: The bottomless pit, or abyss, is the circumstances by which the fallen angels are restricted and bound under the power of God. They are not allowed to act and obliterate humanity. God’s respect for human free will is so profound that He allows people to choose who and what they want to believe in. Sometimes, He allows for the demonic forces to act. People will have to make a choice. Do they want to believe in the contaminated waters and in the cloud of locusts and, at the same time, reject the Light of Life? Or do they want to receive Christ in their lives, and follow God’s truth? The first three verses of the fifth trumpet may seem frightening. But the main point we must take from this section, is that God is the one in control of the situation. He knows how much to limit the actions of these fallen angels that are swarming out of restriction. We must keep the story of Job in mind, and remember that if we are faithful, our salvation is guaranteed. We may not understand God’s methods. We may not even understand God but we can trust in His power and holiness. We can be assured that everything He does is with the intention to make us know He is God.

13  E olhei, e ouvi uma águia que, voando pelo meio do céu, dizia com grande voz: Ai, ai, ai dos que habitam sobre a terra! por causa dos outros toques de trombeta dos três anjos que ainda vão tocar. (Almeida Revisada Imprensa Bíblica)

 

*** Uma águia voando ***: A palavra 'águia' foi traduzida do grego aetos, que significa "abutre, águia". Essa palavra é usada novamente em Apocalipse 19:17-18. Algumas versões da Bíblia traduziram a palavra aetos como anjo. Mas quando comparamos com outros versos, podemos ver que a palavra abutre ou águia combina melhor com o julgamento dos oráculos contra Israel, que lemos no Antigo Testamento (Deuteronômio 28:49; Ezequiel 32:4; Ezequiel 39:17). Oséias 8:1 diz: "Põe a trombeta à tua boca. Ele vem como águia contra a casa do Senhor; porque eles transgrediram o meu pacto, e se rebelaram contra a minha lei." O soar da trombeta aconteceria por causa da transgressão ao concerto de Deus e à Sua Lei. Os que haviam apostatado seriam lançados para fora, e os abutres (aves do céu) pousariam sobre eles (Ezequiel 32:4). Essa imagem nos faz lembrar de algo que Jesus disse. Quando falava sobre os eventos perto de Sua Segunda Vinda, Jesus disse: "Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão as águias." (Mateus 24:28). A palavra grega usada nesse verso também é a palavra aetos. O ponto é que, algumas pessoas não serão ajuntadas quando a trombeta soar. Elas estarão do lado de fora, aguardando os abutres.

Existem muitos exemplos na Bíblia mostrando que aquele carregando o pecado é retirado de cena. Adão e Eva foram mandados para fora do Eden quando o pecado veio ao mundo (Gênesis 3:23-24). Caim foi enviado para fora da região após matar seu irmão (Genesis 4:14,16">Genesis 4:14,16). Jesus, foi levado para fora da cidade, onde foi pregado na cruz, carregando os pecados do mundo em seus ombros (João 19:16,17). No Dia da Expiação, dois bodes faziam parte do fim do ritual; um devia ser o sacrifício queimado, e o outro devia ser levado para fora do acampamento, simbolicamente carregando embora o registro dos pecados que haviam se acumulado no tabernáculo durante o ano (Levítico 16:21,22). Esse era o bode expiatório, ou emissário. Como o texto e simbolismo de Apocalipse segue a mesma ordem do ritual de sacrifício do Antigo Testamento, podemos ver exatamente em Apocalipse, onde está o evento equivalente ao bode expiatório. Essa parte com o bode acontecia ao final da cerimonia, após o ritual de sacrifício. Então, a parte correspondente em Apocalipse se encontra também nos momentos finais do livro. Em Levítico 16:21,22, lemos que o bode expiatório era para ser levado para um local de desolação, fora do acampamento. Da mesma maneira, vemos em Apocalipse 20:1-3, 7-10, que Satanás será aprisionado no abismo por mil anos (local de desolação, completamente separado do local onde os salvos estarão). Depois de algum tempo ele será solto para receber sua sentença final. Satanás não carrega os pecados como símbolo de remissão do pecador que se arrependeu. Ele carrega o pecado porque sua natureza maléfica é revelada no fim da história do mundo. Ele é a personificação da separação de Deus causada pelo pecado. Assim, como o era o bode expiatório, Satanás será enviado para fora dos limites onde se encontra o povo de Deus.

Em todos esses exemplos, vemos aquele que carrega o pecado sendo colocado no banco dos réus, do lado de fora do acampamento de Deus, longe dos escolhidos. O trabalho de Cristo é tirar o pecado do mundo (1 João 3:5; João 1:29). Foi isso que Ele fez na cruz. Ele pagou o preço pelo pecador, mesmo sendo inocente. Mas o fato de Jesus ter cumprido a sentença que era nossa, não faz com que o julgamento em que nos encontramos acabe por aí. O verdadeiro culpado ainda tem que ser identificado. As acusações de Satanás contra Deus foram fortes. Mas no Calvário, o caráter de Deus e o de Satanás foram revelados. O sangue de Cristo removeu o pecado do pecador. No entanto, Jesus é inocente. Satanás é o verdadeiro culpado nesse julgamento. Chegará o momento dele receber sua sentença, por toda a dor e todo o pecado que se desencadeou por sua causa.

Em Lucas 17:34-37, Jesus contou ao povo uma analogia a respeito dos salvos e daqueles que não iriam entrar no reino de Deus. Nesse cenário, algumas pessoas seriam tomadas, e outras deixadas. Aqueles sendo tomados estavam, aparentemente, fazendo um trabalho muito semelhante àqueles que seriam deixados: alguns estavam dormindo, outros moendo e outros semeando no campo. Mas, de alguma maneira, eles acabaram vivendo experiências diferentes, no fim. Os discípulos estavam curiosos para saber para onde eles haviam sido levados, e logo veio a pergunta: "[...] Onde, Senhor? E ele lhes disse: Onde estiver o corpo, aí se ajuntarão as águias." (Lucas 17:37). A palavra 'águia' nesse verso também é aetos. Existe muita confusão a respeito desses versos, e as pessoas podem pensar que aqueles sendo tomados são os que estão salvos, e os que estão sendo deixados são os que vão se perder. Mas Jesus deixa claro: aqueles sendo retirados são os que enfrentarão os abutres. Eles serão o alvo de Seu julgamento. Jesus irá retirar o pecado do acampamento. Esses versos não representam pessoas sendo secretamente arrebatadas para o Céu, enquanto aqueles que permanecem são deixados para trás, para enfrentar tribulações. Esses versos demonstram a justiça de Cristo, ao executar Seus julgamentos. Os abutres ao redor daqueles que são retirados do reino de Deus estão ali por causa daqueles que "transgrediram o [Seu] pacto, e se rebelaram contra a [Sua] lei" (Oséias 8:1).

*** Três ais ***: A palavra 'ai' foi traduzida do grego oúaí, que é uma expressão de tristeza e denuncia. Em Apocalipse 8:13, como vemos no texto em grego, os abutres estão anunciando 3 ais iminentes, vindo sobre os moradores da Terra. Cada um dos ais vem com uma das trombetas seguintes. Este não é o único exemplo na Bíblia onde essa palavra foi usada. Mateus 18:7,8 é um bom exemplo de um ai semelhante. Jesus estava falando com os discípulos a respeito daqueles que entrariam no reino do Céu. Ele disse: "Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem! Portanto, se a tua mão ou o teu pé te escandalizar, corta-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida coxo, ou aleijado, do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno." O ai virá por causa das ofensas, ou escândalos, do mundo. Aqueles que causaram essas ofensas irão sofrer. Da mesma maneira que temos que cortar fora e retirar qualquer coisa que nos leva a pecar, Jesus irá cortar fora e retirar as partes apóstatas do Corpo de Cristo (a Igreja). O termo 'ai' é mencionado em outras partes de Apocalipse: Apocalipse 9:12; Apocalipse 11:14; Apocalipse 12:12; Apocalipse 18:10. Esses versos se referem às coisas terríveis que vão acontecer com aqueles que se opõem a Deus.

*** Os que habitam sobre a terra ***: Mais uma vez, vemos o alvo dos julgamentos de Deus. Aqueles que habitam sobre a terra são o contraste aos cidadãos do Céu (veja o estudo #42). Em Apocalipse 12:12, vemos que os que habitam no Céu deveriam se alegrar, enquanto aqueles que habitam na Terra são o alvo da exclamação do ai. Os fiéis escolhidos de Deus não são os que estão nessa mira. Esse conceito vem sendo repetido em todas as trombetas até agora. Ainda há tempo para os habitantes da terra fazerem uma escolha diferente, se eles atenderem ao chamado de Deus.

*** Visão Geral ***: As primeiras quatro trombetas foram um alerta àqueles que haviam saído para fora do caminho da verdade. As próximas três trombetas irão mostrar como os eventos vistos nas quatro primeiras, se desenvolveram. Apocalipse 8:13 é o anúncio do perigo iminente, alertando a respeito das atividades demoníacas sendo jogadas sobre as pessoas que rejeitaram a verdadeira mensagem de Deus. A presença dos abutres anunciando os ais, indica que a intensidade dos julgamentos de Deus está para aumentar. Os abutres já estão voando sobre as carcaças daqueles que estão espiritualmente mortos. Se o alerta está sendo feito publicamente, é porque os moradores da Terra ainda têm tempo de mudar de lado, e sair do caminho sem saída. Eles ainda podem passar a trilhar o caminho do vencedor. Eles ainda podem ser completamente transformados pelo sangue redentor de Jesus. "Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." (2 Coríntios 5:17).

Page 10 of 22
   
Real time web analytics, Heat map tracking
© Hello-Bible 2016